Stephen Hawking | TEMPO

Stephen William Hawking (Oxford, 8 de janeiro de 1942) é um físico teórico e cosmólogo britânico e um dos mais consagrados cientistas da atualidade. Doutor em cosmologia, foi professor lucasiano de matemática na Universidade de Cambridge , onde hoje encontra-se como professor lucasiano emérito, um posto que foi ocupado por Isaac Newton, Paul Dirac e Charles Babbage. Atualmente, é diretor de pesquisa do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica (DAMTP) e fundador do Centro de Cosmologia Teórica (CTC) da Universidade de Cambridge.

Biografia

Stephen William Hawking (AFI: [‘stifən ‘hɔkɪŋ]) nasceu exatamente no aniversário de 300 anos da morte de Galileu. Seus pais eram Frank Hawking, um biólogo pesquisador que trabalhava como parasitólogo no Instituto Nacional de Pesquisa Médica de Londres, e Isabel Hawking. Teve duas irmãs mais novas, Philippa e Mary, e um irmão adotivo, Edward. Hawking sempre foi interessado por ciência. Em sua infância, quando ainda morava em St Albans, estudou na St Albans High School for Girls (garotos de até 10 anos eram educados em escolas para garotas) entre 1950 e 1953 – ele foi um bom aluno, mas não era considerado excepcional.

Entrou, em 1959, na University College, Oxford, onde pretendia estudar matemática, conflitando com seu pai que gostaria que Stephen estudasse medicina. Como não pôde, por não ser disponível em tal universidade, optou então por física, formando-se três anos depois (1962). Seus principais interesses eram termodinâmica, relatividade e mecânica quântica. Obteve o doutorado na Trinity Hall em Cambridge em 1966, onde é atualmente um membro honorário. Nesta época foi diagnosticada em Stephen W. Hawking a doença degenerativa ELA (esclerose lateral amiotrófica). Depois de obter doutorado, passou a ser pesquisador e, mais tarde, professor no Gonville and Caius College. Depois de abandonar o Instituto de Astronomia em 1973, Stephen entrou para o Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica tendo, entre 1979 e 2009, ano em que atingiu a idade limite para o cargo, ocupado o posto de professor lucasiano de Matemática, cátedra que fora de Newton, sendo atualmente professor lucasiano emérito da Universidade de Cambridge.

Casou pela primeira vez em julho de 1965 com Jane Wilde, separando-se em 1991. Casou depois com sua enfermeira Elaine Mason em 16 de setembro de 1995, da qual se divorciou em 2006. Hawking continua combinando a vida em família (seus três filhos e três netos) e sua investigação em física teórica junto com um extenso programa de viagens e conferências.

Hawking é portador de esclerose lateral amiotrófica (ELA)5 , uma rara doença degenerativa que paralisa os músculos do corpo sem, no entanto, atingir as funções cerebrais, sendo uma doença que ainda não possui cura. A doença foi detectada quando tinha 21 anos. Em 1985 Hawking teve que submeter-se a uma traqueostomia após ter contraído pneumonia visitando o CERN na Suíça e, desde então, utiliza um sintetizador de voz para se comunicar. Gradualmente, foi perdendo o movimento dos seus braços e pernas, assim como do resto da musculatura voluntária, incluindo a força para manter a cabeça erguida, de modo que sua mobilidade é praticamente nula. Em 2005 Hawking usava os músculos da bochecha para controlar o sintetizador, e em 2009 já não podia mais controlar a cadeira de rodas elétrica. Desde então outros grupos de cientistas estudam formas de evitar que Hawking sofra de síndrome do encarceramento, cogitando traduzir os pensamentos ou expressões de Hawking em fala. A versão mais recente, desenvolvida pela Intel e cedida a Hawking em 2013, rastreia o movimento dos olhos do cientista para gerar palavras.

Em 9 de janeiro de 1986, foi nomeado pelo papa João Paulo II membro da Pontifícia Academia das Ciências.

Participações em filmes, séries e programas de TV

Em 1993 participou num episódio da série Star Trek: The Next Generation numa cena em que é um holograma, conjuntamente com Newton e Einstein, jogando cartas com o personagem Data.

Em 1994 participou na gravação do disco do Pink Floyd, The Division Bell, fazendo a voz digital em “Keep Talking”. Vinte anos depois, o álbum feito a partir das sobras de estúdio de The Division Bell, The Endless River, usa um sample de Hawking gravado para um comercial na faixa “Talkin’ Hawkin'”.

Fez algumas participações em The Simpsons, Futurama, Dexter’s Laboratory (O laboratório de Dexter), The Fairly OddParents (Os Padrinhos Mágicos), Family Guy (uma família da pesada) e no cartoon Dilbert. Recentemente fez uma participação numa propaganda do Discovery Channel chamada Eu amo o Mundo, onde ele disse “Boom De Ya Da”.

Em 2012, participou num episódio de The Big Bang Theory (no Brasil, Big Bang: a teoria), onde conversa com Sheldon Cooper. Neste episódio, Sheldon Cooper cometeu um erro básico de aritmética e desmaiou na frente do Stephen. No mesmo ano, Hawking leu um discurso durante a cerimônia de abertura dos Jogos Paraolímpicos de Verão de 2012 em Londres.

Cinebiografias

A vida de Stephen Hawking já foi contada em dois documentários e dois filmes.

Os documentários foram A Brief History of Time (1991), em que Errol Morris usou o livro homônimo como base para relatar a vida do cientista; e Hawking (2013), narrado pelo próprio Hawking.

Em 2004, o filme televisivo Hawking foi lançado pela BBC Two. Dirigido por Philip Martin, o filme estrela Benedict Cumberbatch como Hawking, focando em seu período na Universidade de Cambridge.

Outra biografia mais abrangente foi lançada nos cinemas em 2014, The Theory of Everything (No Brasil e em Portugal A Teoria de Tudo), baseado no livro de memórias de Jane Wilde, Travelling to Infinity: My Life with Stephen. Dirigido por James Marsh e estrelando Eddie Redmayne como Hawking e Felicity Jones como Wilde, o filme começa com Hawking conhecendo a futura esposa em Cambridge e vai mostrando as dificuldades da vida do casal enquanto Hawking alcançava a fama com suas teorias e tinha seu corpo definhado por uma doença motora degenerativa. Após assistir uma versão finalizada do filme, Hawking aprovou a biografia e permitiu aos cineastas usarem sua voz sintetizada e protegida por direitos autorais na versão final. A interpretação de Hawking por Redmayne garantiu-lhe o Oscar de melhor ator.

Ateísmo

Hawking se descreve como ateu. Ele repetidamente tem usado a palavra “Deus” em seus livros e discursos, mas segundo ele próprio, no sentido metafórico e relativo. Sua ex-esposa Jane já afirmou que durante o processo de divórcio, ele se descreveu como ateu. Hawking declarou que não é religioso no sentido comum, e que acredita que “o universo é governado pelas leis da ciência. As leis podem ter sido criadas por um Criador, mas um Criador não intervém para quebrar essas leis”. Hawking comparou a ciência e a religião durante uma entrevista, dizendo “há uma diferença fundamental entre a religião, que se baseia na autoridade; e a ciência, que se baseia na observação e na razão. A ciência vai ganhar porque ela funciona”.

Em alguns trechos de seus livros, Hawking também parece seguir uma linha de pensamento baseado em Einstein ou em Leibniz, que se aproxima muito ao Deísmo, no que tange à admiração e o deslumbre pela ordem presente no universo, mas não necessariamente implica a admissão da existência de deidade(s) por tudo responsáveis como fazem os deístas (ver panteísmo). No livro “Uma breve história do tempo” ele cita que “tanto quanto o Universo teve um princípio, nós poderíamos supor que tenha um Criador”. Ainda nesse livro, ele diz que “no entanto, se nós descobrirmos uma teoria completa…então nós conheceríamos a mente de Deus”.

Porém, em seu mais recente e polêmico livro “The Grand Design”, Stephen Hawking muda suas antigas declarações sobre a ideia de um criador e afirma que “Deus não tem mais lugar nas teorias sobre criação do universo, devido a uma série de avanços no campo da física”. No livro, afirma que “Por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar a ele mesmo do nada. A criação espontânea é a razão pela qual algo existe ao invés de não existir nada, é a razão pela qual o universo existe, pela qual nós existimos”, dizendo que o Big Bang foi simplesmente uma consequência da lei da gravidade. Hawking também cita a descoberta, feita em 1992, de um planeta que orbita uma estrela fora do Sistema Solar, como um marco contra a crença de Isaac Newton de que o universo não poderia ter surgido do caos.

Obra

Os principais campos de pesquisa de Hawking são cosmologia teórica e gravidade quântica. Em 1971, em colaboração com Roger Penrose, provou o primeiro de muitos teoremas de singularidade; tais teoremas fornecem um conjunto de condições suficientes para a existência de uma singularidade no espaço-tempo. Este trabalho demonstra que, longe de serem curiosidades matemáticas que aparecem apenas em casos especiais, singularidades são uma característica genérica da relatividade geral.

Hawking também sugeriu que, após o Big Bang, primordiais ou miniburacos negros foram formados. Com Bardeen e Carter, ele propôs as quatro leis da mecânica de buraco negro, fazendo uma analogia com termodinâmica. Em 1974 calculou que buracos negros deveriam, termicamente, criar ou emitir partículas subatômicas, conhecidas como radiação Hawking, além disso, também demonstrou a possível existência de miniburacos neBreve História do Tempo: do Big Bang aos Buracos Negros (edição portuguesa de A brief history of time). Lisboa: Gradiva, 1988. ISBN 972-662-010-4
Uma Breve História do Tempo: do Big Bang aos Buracos Negros (edição brasileira de A brief history of time). Rio de Janeiro: Rocco, 1988.
Buracos Negros, Universos-Bebês e outros Ensaios. Porto: ASA, 1994. ISBN 972-41-1508-9
O Fim da Física. Lisboa: Gradiva, 1994. ISBN 972-662-345-8
A Natureza do Espaço e do Tempo (em co-autoria com Roger Penrose). Lisboa: Gradiva, 1996. ISBN 972-662-466-0
Breve História do Tempo Ilustrada. Curitiba: Editora Albert Einstein, 1997. Lisboa: Gradiva, 1998. ISBN 972-662-511-4
O Universo numa Casca de Noz. São Paulo: Mandarim, 2001. Lisboa: Gradiva, 2002. ISBN 972-662-826-1
O Futuro do Espaço-Tempo (em co-autoria com Alan Lightman, Kip Thorne, Igor Novikov e Timothy Ferris). São Paulo: Companhia das Letras, 2005. ISBN 9788535906080
Os Gênios da Ciência: Sobre os Ombros de Gigantes. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. ISBN 85-352-1525-5
Uma Nova História do Tempo (em co-autoria com Leonard Mlodinow: edição brasileira de A briefer history of time). Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. ISBN 85-00-01857-7
Brevíssima História do Tempo (em co-autoria com Leonard Mlodinow: edição portuguesa de A briefer history of time). Lisboa: Gradiva, 2007. ISBN 978-989-616-164-4
George e o Segredo do Universo (em co-autoria com Lucy Hawking). Rio de Janeiro: Ediouro, 2007 (As ideias e conceitos de Física e Astrofísica de Hawking sobre o Universo, contadas em um enredo de aventura voltado para as crianças). ISBN 978-85-00-02222-7
O Grande Projeto (em co-autoria com Leonard Mlodinow). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011. ISBN 978-85-20-92657-4
Minha Breve História. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. ISBN 978-85-8057-425-8gros. Hawking também participou dos primeiros desenvolvimentos da teoria da inflação cósmica no início da década 80 com outros físicos como Alan Guth, Andrei Linde e Paul Steinhardt, teoria que tinha como proposta a solução dos principais problemas do modelo padrão do Big Bang.

Hawking escreveu diversos livros que ajudaram a divulgar complexas teorias cosmológicas em linguagem fácil para leigos. O primeiro foi Uma Breve História do Tempo, escrito entre 1982 e 1984 e vendendo mais de 10 milhões de cópias. Obras seguintes incluem O Universo numa Casca de Noz (2001), Uma Nova História do Tempo (2005, versão atualizada de sua estreia co-escrita com Leonard Mlodinow) e God Created the Integers (2006). Em parceria com sua filha Lucy, Hawking também escreveu livros infantis sobre o universo com George e o Segredo do Universo (2007) e suas duas continuações.

O asteróide 7672 Hawking é assim chamado em sua homenagem.

Livros

Breve História do Tempo: do Big Bang aos Buracos Negros (edição portuguesa de A brief history of time). Lisboa: Gradiva, 1988. ISBN 972-662-010-4
Uma Breve História do Tempo: do Big Bang aos Buracos Negros (edição brasileira de A brief history of time). Rio de Janeiro: Rocco, 1988.
Buracos Negros, Universos-Bebês e outros Ensaios. Porto: ASA, 1994. ISBN 972-41-1508-9
O Fim da Física. Lisboa: Gradiva, 1994. ISBN 972-662-345-8
A Natureza do Espaço e do Tempo (em co-autoria com Roger Penrose). Lisboa: Gradiva, 1996. ISBN 972-662-466-0
Breve História do Tempo Ilustrada. Curitiba: Editora Albert Einstein, 1997. Lisboa: Gradiva, 1998. ISBN 972-662-511-4
O Universo numa Casca de Noz. São Paulo: Mandarim, 2001. Lisboa: Gradiva, 2002. ISBN 972-662-826-1
O Futuro do Espaço-Tempo (em co-autoria com Alan Lightman, Kip Thorne, Igor Novikov e Timothy Ferris). São Paulo: Companhia das Letras, 2005. ISBN 9788535906080
Os Gênios da Ciência: Sobre os Ombros de Gigantes. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. ISBN 85-352-1525-5
Uma Nova História do Tempo (em co-autoria com Leonard Mlodinow: edição brasileira de A briefer history of time). Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. ISBN 85-00-01857-7
Brevíssima História do Tempo (em co-autoria com Leonard Mlodinow: edição portuguesa de A briefer history of time). Lisboa: Gradiva, 2007. ISBN 978-989-616-164-4
George e o Segredo do Universo (em co-autoria com Lucy Hawking). Rio de Janeiro: Ediouro, 2007 (As ideias e conceitos de Física e Astrofísica de Hawking sobre o Universo, contadas em um enredo de aventura voltado para as crianças). ISBN 978-85-00-02222-7
O Grande Projeto (em co-autoria com Leonard Mlodinow). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011. ISBN 978-85-20-92657-4
Minha Breve História. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. ISBN 978-85-8057-425-8

Prêmios, títulos e medalhas

1975 – Medalha Eddington
1976 – Medalha Hughes
1979 – Medalha Albert Einstein
1982 – Ordem do Império Britânico (Comandante)
1985 – Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society
1986 – Membro da Pontifícia Academia das Ciências
1988 – Prêmio em Física da Fundação Wolf
1989 – Prêmio “Príncipe das Astúrias” da Concórdia (contribuição à paz, entendimento, etc.)
1989 – Título de “Companheiro de Honra”, da Rainha Elizabeth II
1999 – Prêmio “Julius Edgar Lilienfeld” da Sociedade Americana de Física
2003 – Prêmio “Michelson Morley” da Case Western Reserve University
2006 – Medalha Copley da Royal Society
2009 – Medalha Presidencial da Liberdade
2012 – Fundamental Physics Prize

Filme

A Teoria de Tudo é um drama romântico biográfico do Reino Unido, dirigido por James Marsh e escrito por Anthony McCarten.

Data de lançamento: 7 de novembro de 2014 (EUA)
Direção: James Marsh
Duração: 2h 3m
Música composta por: Jóhann Jóhannsson
Indicações: Oscar de Melhor Filme e Oscar de Melhor Atriz

O Universo de Stephen Hawking 1-5

, ,

Volkswagen Fusca

O Volkswagen Sedan (Fusca) (português brasileiro) ou Volkswagen Carocha (português europeu) foi o primeiro modelo de automóvel fabricado pela companhia alemã Volkswagen. Foi o carro mais vendido no mundo ultrapassando em 1972 o recorde que pertencia até então ao Ford Modelo T. O último modelo do VW Sedan foi produzido no México em 2003.

,

George Lucas | 71 anos

George Walton Lucas Jr. nasceu em Modesto, na Califórnia, filho de Dorothy e George Lucas. Era um apaixonado por automóveis, e, mas um terrível acidente pôs fim a este desejo e mudou a sua maneira de ver a vida. Durante a década de 60, Lucas estudou cinema na Universidade da Califórnia do Sul, uma das primeiras a ter uma cadeira dedicada a essa temática, onde conheceu Francis Ford Coppola. Nessa época fez uma série de pequenos filmes, entre os quais, um curta, THX-1138, que iria se tornar mais tarde a sua primeira longa-metragem.

Após fazer a graduação, fundou o estúdio American Zoetrope, em parceria com Coppola, companhia que tinha por objectivo ajudar os realizadores a criar filmes de forma livre, fora do circuito opressivo de Hollywood. A Zoetrope não teve sucesso, mas com o dinheiro realizado com Loucuras de Verão e Guerra nas Estrelas, Lucas conseguiu montar a sua própria companhia, a Lucasfilm, a qual pôs à venda em 2012 fechando negócio com a Disney por 4 bilhões de dólares. As sub-divisões desta empresa, “Skywalker Sound” e “Industrial Light & Magic” tornaram-se das mais respeitadas em seus campos, respectivamente, o de som e o de efeitos especiais. Também a “Lucasfilm Games”, mais tarde rebatizada de “LucasArts”, é muito bem vista na indústria dos jogos de computador.

Lucas foi multado pelo sindicato dos diretores por pôr os créditos dos filmes apenas no fim do filme original de Guerra nas Estrelas. Após ter pago a multa abandonou a organização.

Quanto a vida pessoal, Lucas tem três filhos adotivos: Amanda (nascida em 1981), Katie (nascida em 1988) e Jett (nascido em 1993). Foi casado com Marcia Lucas de 1969 a 1983. Em 2006, iniciou um romance com a empresária Mellody Hobson. Em 22 de junho de 2013, os dois se casaram no Rancho Skywalker. O casal tem uma filha, Everest Hobson Lucas, nascida em 9 de Agosto de 2013, via barriga de aluguel.

Citação:

“Um filme nunca está acabado, apenas está abandonado.”

Carreira cinematográfica

George Lucas é um cineasta, com uma carreira cinematográfica dominada por escrito e de produção. Além dos nove curtas-metragens que ele fez na década de 1960, ele também dirigiu seis grandes características. Seu trabalho de 1971 e 1977 como um escritor-diretor, que o estabeleceu como uma figura importante em Hollywood, consiste em apenas três filmes: THX 1138 , American Graffiti e Star Wars . Houve um hiato de 22 anos entre o filme original de Star Wars e seus únicos outros créditos como diretor de longa-metragem, os três prequels de Star Wars.

Lucas atuou como escritor e produtor executivo de outra franquia de filmes de sucesso de Hollywood, o Indiana Jones série. Além disso, ele estabeleceu sua própria empresa de efeitos, a Industrial Light and Magic (ILM), para fazer o filme original de Star Wars. A empresa é hoje um dos mais bem sucedidos na indústria.

Lucas co-fundou o estúdio American Zoetrope com Coppola-a quem conheceu durante o seu estágio na Warner Bros.-na esperança de criar um ambiente libertador para os cineastas para dirigir fora do controle opressivo percebido do Hollywood sistema de estúdio. O seu primeiro full- longa-metragem comprimento produzido pelo estúdio, THX 1138 , não foi um sucesso. Lucas então criou sua própria companhia, a Lucasfilm, Ltd. , e dirigido American Graffiti (1973). Sua recém-descoberta riqueza e reputação lhe permitiu desenvolver uma história ambientada no espaço. Mesmo assim, ele encontrou dificuldades ficando Star Wars fez. Foi apenas porque Alan Ladd Jr. , na 20th Century Fox gostou American Graffiti em que ele forçou através de uma produção e distribuição negócio para o filme, que acabou restaurando Fox para a estabilidade financeira após uma série de fracassos.

Star Wars rapidamente se tornou o filme de maior bilheteria de todos os tempos, deslocados cinco anos mais tarde por Spielberg ET O Extraterrestre . Depois do sucesso de American Graffiti e antes do início das filmagens em Star Wars, Lucas foi incentivado a renegociar para uma taxa mais elevada para escrever e dirigir Star Wars do que o $ 150,000 concordou. Ele se recusou a fazê-lo, em vez de negociação de vantagem em algumas das partes como-ainda-não especificadas de seu contrato com a Fox, em particular a detenção de direitos de licenciamento e merchandising (por novelizations , camisetas, brinquedos, etc.) e as disposições contratuais para seqüelas. O estúdio não estava preocupado a renunciar a esses direitos, como a sua última grande tentativa no campo, com o filme 1967, Doctor Dolittle , provou um fracasso desanimador. Lucas explorado direitos de merchandising com sabedoria, e Lucasfilm ganhou centenas de milhões de dólares de jogos licenciados, brinquedos e colecionáveis ​​criado para a franquia.

Ao longo das duas décadas após o primeiro filme Star Wars, Lucas trabalhou extensivamente como um escritor e / ou produtor, incluindo os muitos Star Wars spinoffs feito para cinema, televisão e outros meios de comunicação. Ele atuou como produtor executivo para os próximos dois Star Wars filmes, comissionamento Irvin Kershner para dirigir The Empire Strikes Back , e Richard Marquand para dirigir O Retorno de Jedi , ao receber um crédito história sobre a antiga e partilha de um crédito de roteiro com Lawrence Kasdan em o último. [13] Lucas também atuou como produtor executivo e escritor da narração em todos os quatro Indiana Jones filmes, que ele convenceu seu colega e bom amigo, Steven Spielberg , para dirigir. Outros projetos notáveis ​​como um produtor ou produtor executivo neste período incluem de Kurosawa Kagemusha (1980), de Lawrence Kasdan Body Heat (1981), Jim Henson ‘s Labyrinth (1986), Godfrey Reggio ‘s Powaqqatsi (1986) e do filme de animação The Land Antes Tempo (1988). Há também alguns projectos menos bem sucedidos foram, no entanto, incluindo mais American Graffiti (1979), o malfadado Howard the Duck (1986), que foi o maior fracasso de sua carreira; Willow (1988, que também escreveu Lucas); e de Coppola Tucker: Um Homem e Seu Sonho (1988). Entre 1992 e 1996, Lucas trabalhou como produtor executivo para o spinoff de televisão The Young Indiana Jones Chronicles . Em 1997, para o 20º aniversário de Star Wars, Lucas voltou para sua trilogia para aprimorar e adicionar algumas cenas usando a tecnologia digital recentemente disponível. Estas novas versões foram lançadas nos cinemas como Star Wars Trilogy: Special Edition. Para lançamentos em DVD em 2004, a série recebeu novas revisões para torná-los congruente com a trilogia. Além das adições à franquia Star Wars, em 2004 Corte de THX 1138 do George Lucas Diretor foi lançado, com o re-cut filme e que contém um número de CGI revisões.

O estúdio de animação Pixar foi fundada como o Grupo Graphix, um terço da Divisão de Informática da Lucasfilm. precoce de pesquisa de computação gráfica da Pixar, resultou em efeitos em filmes como inovador Star Trek II: A Ira de Khan e Young Sherlock Holmes, e o grupo foi comprado em 1986 por Steve Jobs logo depois que ele deixou a Apple após uma luta de poder na Apple Computer . Jobs pagou US $ 5 milhões para Lucas e colocar US $ 5 milhões como capital na empresa. A venda reflectido o desejo de Lucas de parar as perdas de fluxo de caixa a partir de seus projetos de pesquisa de 7 anos associados com novas ferramentas de tecnologia de entretenimento, bem como o novo foco da sua empresa na criação de produtos de entretenimento ao invés de ferramentas. Um fator que contribuiu foi dificuldades de tesouraria seguintes concorrente 1.983 divórcio Lucas ‘com a dropoff súbito nas receitas de Star Wars licenças após o lançamento de O Retorno de Jedi.

O sistema de som equipado, THX Ltd, foi fundada por Lucas e Tomlinson Holman. A empresa era anteriormente detida pela Lucasfilm, e contém equipamentos para estéreo, digital, som e teatral para filmes e música. Skywalker Sound e Industrial Light & Magia , são os efeitos sonoros e visuais subdivisões da Lucasfilm, enquanto Lucasfilm Games, mais tarde renomeada LucasArts, fabrica produtos para a indústria de jogos.

Em 1994, Lucas começou a trabalhar no roteiro do prequel Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma. o que seria o primeiro filme que ele havia dirigido em mais de duas décadas The Phantom Menace foi lançado em 1999, começando uma nova trilogia de Star Wars filmes. Lucas também dirigiu Star Wars Episódio II: Ataque dos Clones e Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith , que foram lançados em 2002 e 2005, respectivamente. Inúmeros críticos consideraram esses filmes inferiores aos filmes lançados anteriormente Star Wars, embora os prequels foram, no entanto, grandes sucessos de bilheteria em cada um dos respectivos lançamentos.

George Lucas também colaborou com Steven Spielberg na produção do filme de 2008 Indiana Jones eo Reino da Caveira de Cristal . Lucas trabalhou mais tarde como a história-roteirista e produtor executivo para o 2012 filme Red Tails , um filme de guerra com base em as façanhas do Tuskegee Airmen , um grupo de América Africano pilotos da United States Army Air Force durante a Segunda Guerra Mundial . Ele também assumiu a direção de refilmagens enquanto o diretor Anthony Hemingway trabalhou em outros projetos. Lucas está trabalhando em seu primeiro musical, um projeto sem título CGI sendo produzido no Skywalker Ranch . Kevin Munroe dirigiu o filme, enquanto David Berenbaum escreveu o roteiro de Red Tails.

Após a conclusão da trilogia de Star Wars em 2005, George Lucas continuou a trabalhar em outros projetos relacionados com Star Wars. Lucas trabalhou como produtor executivo de Star Wars: The Clone Wars , uma série animada de televisão no Cartoon Network , que foi precedida por um filme de mesmo nome . A partir de 2014, ele está atualmente trabalhando como um consultor criativo na trilogia sequela de Star Wars , com o primeiro filme Star Wars: The Force desperta a ser agendado para lançamento em 18 de dezembro de 2015. JJ Abrams está servindo como diretor da nova trilogia enquanto Kathleen Kennedy está servindo como produtor executivo. A nova trilogia sequela também está sendo produzido em conjunto pela Lucasfilm e The Walt Disney Company , que tinha adquirido Lucasfilm em 2012.

Como consultor criativo no filme, o envolvimento de Lucas incluídos participando de reuniões iniciais de história; de acordo com Lucas, “Eu, principalmente, dizer: ‘Você não pode fazer isso. Você pode fazer isso.’ Você sabe, ‘Os carros não têm rodas. Eles voam com antigravidade.’ Há um milhão de pedacinhos… Eu sei que todas essas coisas. “filho de Lucas Jett disse The Guardian que seu pai foi “muito rasgado” por ter vendido os direitos sobre a franquia, apesar de ter escolhido a dedo Abrams para dirigir, e que seu pai era “lá para orientar”, mas que “ele quer deixá-lo ir e tornar-se a sua nova geração.” Entre os materiais entregues à equipe de produção foram tratamentos história ásperas Lucas desenvolvidos quando ele considerou a criação de episódios VII – se anos anteriores IX; em janeiro de 2015, Lucas declarou que a Disney havia descartado suas idéias da história.

Semi-aposentadoria

Em janeiro de 2012, Lucas anunciou sua aposentadoria da produção em larga escala do blockbuster filmes e, em vez de re-focando sua carreira em menores recursos, orçados de forma independente. Ele não especificou se ou não isso afetaria seu envolvimento com a quinta parcela do Indiana Jones série. Em junho de 2012, foi anunciado que o produtor Kathleen Kennedy , um colaborador de longo prazo com Steven Spielberg e produtor dos filmes de Indiana Jones, tinha sido nomeado como co-presidente da Lucasfilm Ltd. Foi relatado que Kennedy seria trabalhar ao lado de Lucas, que permaneceria executivo e servir como co-presidente para a menos um ano, após o qual ela iria sucedê-lo como líder único da empresa. Com a venda da Lucasfilm para a Disney, Lucas é atualmente o segundo maior acionista individual da Disney após a sucessão de Steve Jobs.

,

Dez lições que o ex-evangelista da Apple aprendeu com Steve Jobs

O ex-evangelista chefe da Apple, Guy Kawasaki, resumiu dez lições que aprendeu de Steve Jobs durante a sua apresentação na CeBIT 2015, que aconteceu no início da última semana.

“Ele era uma pessoa fantástica – uma pessoa difícil de se trabalhar, muito exigente. Todas as grandes práticas de RH que você já aprendeu sobre reuniões com seus funcionários e desenvolvimento de metas e ajudar as pessoas a alcançar seus objetivos – Steve não fez nada disso”, disse ele à plateia.

Kawasaki trabalhou em duas ocasiões na Apple. Inicialmente na área de Marketing na Macintosh em 1984 antes de retornar em 1995. Ele admitiu que viveu sob absoluto medo de Steve Jobs.

“Ele não hesitava em dizer para as pessoas, em frente de um departamento inteiro, o quão estúpidas e sem senso algum elas eram e eu morria de medo disso. Dito isso, eu não trocaria o meu trabalho para Steve Jobs por nada”, ressaltou.

Atualmente, Kawasaki é chefe evangelista da startup Canva, com base em Sydney.

Abaixo, dez lições que ele aprendeu enquanto trabalhava para Steve Jobs.

1. Aprenda a ignorar opositores

“Se você é um inovador, você é revolucionário e você vai precisar construir uma grande companhia de tecnologia. Para isso, você precisa ignorar seus opositores”, diz Kawasaki.

Essas são as pessoas pessimistas que dizem coisas como “não é possível” e “não deveria ser feito”.

“Muitas pessoas disseram isso a Apple quando nós criamos o Macintosh. Muitas pessoas disseram isso quando criamos as Apple Stores”, completou.

2. Clientes não podem te dizer o que eles precisam

Em meados dos anos 1980, consumidores disseram à Apple que queriam um Apple II maior, mais rápido e mais barato. Kawasaki acredita que a Apple teria ‘morrido’ se tivesse desenvolvido uma segunda geração para o Apple II.

“Grandes inovações acontecem quando você não escuta os seus clientes – quando você usa a sua paixão, sua visão, insight e você cria o que você acredita que eles precisam, ou o que eles ainda vão precisar ou aquilo que você consiga convencer que eles precisam. Foi isso que Steve fez”, disse o executivo.

3. Inovação acontece na próxima curva

“Se você está no mercado de máquinas de escrever, isso não se trata de fazer melhores máquinas. Se você é uma companhia de impressão de cartas, não é sobre aumentar o número de fontes ou caracteres”, disse Kawasaki.
Trata-se de dar o salto para a próxima curva da inovação. Ele usou o exemplo do outrora próspero setor de “colheita de gelo”, nos Estados Unidos.

“Durante os meses de inverno, pessoas iam até lagos congelados com suas serras e cavalos para cortar blocos de gelo. Nos anos de 1900, toneladas de gelo eram coletadas assim”, lembra.

Kawasaki batizou isso de Gelo 1.0. Há cerca de 30 anos, durante o Gelo 2.0, fábricas congelavam água, um grande avanço tecnológico porque a partir de então, gelo poderia ser produzido em qualquer lugar e a qualquer hora do ano.

“Nenhuma das empresas que colhiam gelo se tornaram fábricas de gelo e nenhuma fábrica de gelo se tornou empresas de refrigeração porque a maioria das companhias começaram na curva e morreram na mesma curva. Isso porque elas definem os seus negócios como aquilo que elas atualmente fazem”.

4. O design importa

“O computador da Apple é um grande sucesso por conta de seu design”, disse ele antes de descrever que o MacBook Air se parece com um grande sólido bloco de alumínio esculpido por monges tibetanos. “Isso é uma obra de arte. O design importa”.

5. A democratização é uma coisa boa

Quando toda poeira se acalma, a Apple é um negócio que diz respeito à democratização da tecnologia, defendeu Kawasaki.

Ele lembra que durante os primórdios do PC, pessoas precisavam ir até suas universidades, uma empresa ou ainda o departamento do governo para usar um computador.
“A Apple mudou tudo isso. Democratização é uma grande coisa, é isso que a Apple defende. Quando a IBM se juntou ao mercado de computadores pessoais, a Apple deu às boas-vindas”, disse.

6. Menos é mais

Kawasaki comparou um típico slide de PowerPoint feito por Steve Jobs que mostrava apenas um amplo gráfico e apenas sete palavras em letras grandes com um slide de Bill Gates. Neste, um texto confuso e uma grande imagem.

“Em design, em apresentações, em tudo que você comunica, menos é mais”, ele disse. Para ele, o número ideal de slides de uma apresentação não deve ultrapassar dez.

7. Mudar seu pensamento é um sinal de inteligência

Em 2007, Steve Jobs introduziu o iPhone e disse: “Nossa abordagem inovadora utiliza padrões de Web 2.0 que permite que desenvolvedores criem novas e maravilhosas aplicações, enquanto mantém o iPhone seguro e confiável”.

Kawasaki traduziu isso como Jobs dizendo que não haveria aplicativos standalone para o iPhone – se desenvolvedores quisessem criar um app para o telefone, era necessário ser um plug-in para Safari.

Um ano se passou e a Apple emitiu um comunicado à imprensa dizendo que iria mostrar plataformas de desenvolvimento do Mac OS X Leopard e iPhone OS X em sua conferência mundial de desenvolvedores.

“Um ano depois, ele disse ‘nós estamos abrindo o iPhone, agora vocês podem criar aplicativos’, invertendo completamente o que ele tinha dito ou pensava”, disse Kawasaki.

“Isso fazia parte da genialidade de Jobs. Quando ele descobria que estava errado, ele não hesitava em mudar suas ideias. Isso demanda muita coragem e poder intelectual e ele fazia isso”, completa.

8. Valor não é a mesma coisa que preço

Valor é o impacto total de um computador, o impacto total de software – não é somente um preço de compra, é suporte, serviço, checagem de vírus e treinamento.

“Ninguém nunca comprou nada da Apple porque era a opção mais econômica. A Apple vende conectores por 30 dólares quando custam 50 centavos para serem feitos”.

9. Um jogador de elite contrata jogadores de elite

Kawasaki aconselhou empreendedores e CEOS com boas noções de engenharia a contratarem vendedores, funcionários em marketing e finanças que “são melhores que você”.

“Todos que você contratar devem ser melhores que você, incluindo o VP de engenharia e seu CTO”, aconselhou.

10. Crie algo de valor e único

Criar um produto ou um serviço que seja valioso e único é a mensagem mais importante da publicidade, diz Kawasaki.

“É onde a Apple fez dinheiro e história”, diz.

Como exemplo de um produto único e valioso, ele citou a empresa de relógios Breitling. Ela vende um relógio que manda sinais do usuário que podem ser transmitidos para serviços de emergência quando se encontram em perigo.

“Se você é um viajante, marinheiro ou um esquiador, você talvez se perca, ficar sozinho e morrer. Esse relógio pode salvar a sua vida”, disse.

,

Darth Vader | Star Wars

História

Anakin Skywalker

Anakin Skywalker era um garoto prodígio, quando criança ganhou uma corrida de pods, e foi levado, para ser treinado, por Qui-Gon Jinn, depois da morte dele, Anakin foi treinado por Obi-Wan Kenobi. Mais tarde, quebrou uma regra dos Jedi, se casando com Padmé Amidala. Anakin tendo sonhos terríveis em que previa que sua esposa morreria durante o parto de seus filhos, na esperança de salvá-la, junta-se ao lado negro da força após matar o Mestre Jedi Mace Windu, já que este tinha por missão matar o Chanceler Palpatine, tornando-se aprendiz do malévolo Darth Sidious. Ao ser seduzido pelo Lado Sombrio da Força, Anakin (agora conhecido como Darth Vader) esquece completamente o objetivo de salvar sua esposa e passa a se preocupar apenas consigo mesmo.

Nos primeiros atos como aprendiz Sith, Vader inicia a perseguição aos Jedi e acaba com os líderes Separatistas (exceto Wat Tambor entre outros), escondidos no planeta vulcânico Mustafar. Lá, Padmé visita-o e tenta fazê-lo mudar de ideia. Zangado ao descobrir que o seu antigo mestre Obi-Wan Kenobi estava na nave de Padmé, por ciúme, ele usa a Força para enforca-la, mas não a mata. Ele e Obi-Wan Kenobi travam um duelo épico e Obi-Wan, com um golpe preciso, corta-lhe fora o braço esquerdo e ambas as pernas. Anakin, impossibilitado de se mover, é deixado por Obi-Wan, e escorrega da íngreme montanha que o mantinha fora dos rios de lava derretida ao seu redor e seu corpo é consumido pelas chamas. Palpatine chega imediatamente e leva Vader para uma unidade médica, onde o seu corpo é misturado com um suporte de vida robótico, numa armadura negra. Assim que se recupera, Vader pergunta a Palpatine sobre Padmé e seu mestre mente novamente, dizendo que ele a matara em sua raiva. Furioso, Vader destrói o centro médico. A partir de então ele seria o responsável pela ordem de toda a galáxia.

Episódio IV – Uma Nova Esperança

O Império conseguiu conquistar grande parte da Galáxia. Mas uma força surgiu, que se opôs aos atos das forças imperiais: a Aliança Rebelde. Darth Vader então parte no encalço da suposta líder rebelde, a Princesa Leia Organa, que teria em sua posse planos secretos da Estrela da Morte. Vader apanha a nave de Leia, mas não encontra os planos (deixados por Leia num droide, R2-D2, que fugiu numa cápsula de emergência). Vader captura e leva Leia para a Estrela da Morte, uma gigantesca estação espacial de batalha do Império. Lá tentam, com todo tipo de tortura, descobrir a localização da base secreta dos rebeldes. Então o encarregado da Estrela, Grand Moff Tarkin (Governador Tarkin), lança uma nova estratégia: Ameaça destruir o planeta de Leia, Alderaan, se ela não colaborar. Leia então responde (mentindo) que a base estaria numas das luas de Naboo. Ainda assim, Tarkin ordena a destruição de Alderaan. Pouco depois, uma nave estranha é capturada pelo “raio trator” da Estrela da Morte. Na nave vinha uma missão de levar o droide R2-D2 a Alderaan, com Obi-Wan Kenobi, Luke Skywalker e Han Solo.

Enquanto Luke, Han e Chewbacca vão resgatar Leia da área de confinamento, Ben Kenobi desativa o raio trator. Após fazê-lo, encontra Darth Vader, e os dois têm um segundo duelo. Obi-Wan deixa-se matar pois sabe que morto será de mais valia para Luke. Após sua fuga, o grupo segue para a quarta lua do sistema Yavin. Mas não esperavam que estavam sendo rastreados. Algumas horas depois, os rebeldes percebem que a Estrela da Morte estava à frente do planeta Yavin, mas para sorte das tropas rebeldes ela não estava com o planeta na mira (ainda), Tarkin ordena a destruição do planeta. Assim a Estrela da Morte começa a rodear o planeta em busca de sua presa. Os rebeldes mandam um grupo de assalto para destruir a Estrela da Morte, junto a esse grupo está o jovem Luke Skywalker. Enquanto a batalha continua a Estrela da Morte está em um alcance da base rebelde em exatos 15 minutos. É nessa hora em que Darth Vader chama dois pilotos para destruir os esquadrões de caças Asa-X (X-Wing). No mesmo tempo, três desses caças estão em um tipo de corredor que dá acesso ao gerador principal por meio de uma pequena bifurcação (faltando apenas 3 minutos) que liga o gerador à superfície eles tentam acertar um tiro de íons nessa bifurcação, mas não conseguem. Assim a sorte está lançada nas mãos de Luke, que após a morte de um dos seus amigos começa a ouvira a voz de Obi-wan.

Obi-Wan aconselha Luke a desligar seu computador de bordo e se concentrar na Força. Mas, desafortunadamente, Vader está em seu encalço, e acerta R2-D2 com um tiro na traseira do Caça (X-Wing) de Luke. Luke continua se concentrando até que atinge a força e ao mesmo tempo alcança o reator. Vader percebe que a força é muito poderosa naquele Asa-X (X-Wing), então decide destruí-lo, mas na hora em que vai atirar, ele acaba sendo surpreendido por Han Solo, que destrói um dos caças de Vader e faz com que o outro colida com o caça de Darth Vader, que acaba rodopiando por um tempo (afastando-se da estação). Então, Han diz para Luke: “Você tá livre, garoto. Agora arrebenta essa porcaria e vá pra casa!”. Luke atira torpedo de prótons e acerta o alvo, bem a tempo de salvar a base rebelde que ja estava na mira da Estrela da Morte, que estava a ponto de disparar. Assim, Luke destrói completamente a Estrela da Morte.

Episódio V – O Império Contra-Ataca

A Aliança é obrigada a mudar de base e escolhe uma nova no gélido planeta Hoth. Mas o Império encontra-os, e eles são obrigados a fugir novamente. As naves imperiais começam a perseguir a nave da Princesa Leia, mas perdem-nos numa cintura de asteroides. Mais tarde, Darth Vader captura Leia no planeta Bespin, onde pediriam ajuda ao amigo de Han Solo, Lando Calrissian. Darth, como gratidão por ter ajudado na captura, deixa o caçador de recompensas Boba Fett levar Han Solo, congelado em carbonite. Vader sabia que Luke viria ao resgate dos amigos e quando ele vem, começam um duelo. Então Vader corta a mão de Luke durante a luta, tentando levá-lo para o Lado Sombrio. Mesmo com o grave ferimento, Luke consegue se afastar e então diz a Vader que Obi-Wan Kenobi lhe dissera que o ele era o assassino de seu pai. Vader então faz uma das revelações mais chocantes do cinema: “Não, Luke… Eu sou seu pai!” Mesmo ferido e chocado, Luke escapa, saltando para um fosso. Luke encontra Leia no hospital, e um médico implanta uma mão robótica no jovem Jedi, que parte para salvar Han.

Episódio VI – O Retorno de Jedi

O Império está construindo uma nova Estrela da Morte, protegida com um campo de força gerado na lua florestal do planeta Endor. O próprio Imperador Palpatine decide visitar pessoalmente a estação ainda não concluída e é recebido por Darth Vader. Este, mais tarde, recebe Luke, que se rende querendo provar que Vader ainda possui bondade. Na Estrela, Palpatine começa a tentar Luke para o Lado Sombrio da Força e tendo como ponto a destruição dos Rebeldes, sendo mostrada na janela. Quando Luke vai atacar o Imperador com o seu sabre de luz, Vader, usando uma velocidade espantosa, bloqueia a investida de Luke e começam um último duelo no qual Vader (enquanto Luke estava escondido) utiliza-se da telepatia para descobrir sobre a irmã gêmea de Luke e diz que se ele não se unir ao Lado Sombrio, Leia iria unir-se.

Luke surge, e corta a mão do pai. O Imperador tenta-o pela última vez e Luke nega dizendo “Não, eu sou um Jedi assim como meu pai foi antes de mim”, assim resistindo ao Lado Sombrio. Palpatine, furioso, responde mandando raios contra Luke. Então, quando o Imperador mataria Luke com uma rajada final, Darth Vader, com o seu braço restante, agarra Palpatine e lança-o no poço do reator principal da Estrela da Morte, destruindo definitivamente o diabólico Senhor dos Sith, assim concluindo a profecia na qual os Sith são exterminados, e ele torna-se novamente Anakin Skywalker. Ele, então, pede para Luke tirar a máscara, para vê-lo com os próprios olhos uma última vez. Suas últimas palavras são: “Diga à sua irmã que você estava certo” (sobre a sua bondade). Em Endor, Luke queima o corpo do pai num funeral Jedi e vê que ele se tornou um espírito do Lado Iluminado da Força ao aparecer juntamente com Obi-Wan Kenobi e Yoda.

Episódio VII – O Despertar da Força

No segundo teaser trailer do filme, podemos ver a máscara de Darth Vader queimada e retorcida. Algumas informações dizem que Vader aparecerá em flashbacks, ou será ressuscitado.

, , ,

Walt Disney World Resort

O Walt Disney World Resort, comumente conhecido como Walt Disney World e informalmente Disney World, é o resort de entretenimento mais visitado em todo o mundo, situado em Lake Buena Vista, Flórida. Abrangendo 11.106 hectares, pertence e é operada por The Walt Disney Company através da divisão de seus parques e resorts e é o lar de quatro parques temáticos, dois parques aquáticos, vinte e quatro resorts temáticos (excluindo mais oito que estão no local, mas não pertencente ao The Walt Disney Company), dois spas e centros de ginástica, cinco campos de golfe, e outros locais de lazer e entretenimento.

O resort foi desenvolvido por Walt Disney na década de 1960 para complementar o parque da Disneylândia em Anaheim, Califórnia. Além de hotéis e um parque temático similar à Disneylândia, os planos originais de Walt Disney também incluíam um “Protótipo Experimental da Comunidade do Amanhã”, uma cidade planejada que serviria como um laboratório de experiências para novas inovações para a vida na cidade (vida metropolitana). Após intensa pressão, o governo da Flórida criou o distrito de evolução Reedy Creek, um distrito governamental que essencialmente deu para a Walt Disney Company os poderes e autonomia normais de uma cidade incorporada. Walt morreu em 1966 antes que seus planos originais fossem completamente realizados.

O resort foi inaugurado em 1 de outubro de 1971 com o Magic Kingdom sendo seu único parque temático, e desde então acrescentou o Epcot (1982), Disney’s Hollywood Studios (1989), e o Disney’s Animal Kingdom (1998).

Parques temáticos

Magic Kingdom

Magic Kingdom é o primeiro dos quatro parques da Walt Disney World, inaugurado em 1971, é o mais lúdico de todos e também o que tem mais atrações. Na verdade a maioria das pessoas acha que o Magic Kingdom (Reino Mágico) é a Walt Disney World, mas não, é somente o coração e a alma do império Disney. A marca registrada do parque é o Castelo da Cinderela, por onde passa diariamente, no horário de fechamento do parque, a Electral Parade, uma parada com carros alegóricos cobertos de lâmpadas miniatura, fadas, sereias e todos os personagens Disney. No final acontece o espetáculo noturno “Wishes”, o show teve seu início em 2005 como parte da comemoração “The Happiest Celebration on Earth” e teve prosseguimento em 2006 com a nova comemoração “The Year of a Million Dreams”. Este espetáculo musical deslumbrante que conta uma história, é maior e mais brilhante que qualquer outro show pirotécnico já apresentado no Magic Kingdom! “Wishes” é o mais novo espetáculo noturno do Magic Kingdom substituindo “Fantasy in the Sky” que estreou em 1976. Durante o dia, sempre às 15 horas, a “Disney Dreams Come True Parade”, um desfile de 30 minutos de duração, parte da Frontierland e vai até a Main Street’ (Rua Principal) – o percurso é exatamente inverso ao da parada noturna, o Electral Parede-, com seu séquito de personagens Disney, balões, bailarinos, cantores, entre outros.

Animal Kingdom

Animal Kingdom inaugurado em abril de 1998, o Animal Kingdom (Reino Animal) é portanto o mais novo parque da Walt Disney World, com uma área cinco vezes maior que o primeiro parque, o Magic Kingdom. Animal Kingdom em português é Reino Animal e o intuito é celebrar a história de todos os animais: reais, imaginários e extintos. São sete áreas diferentes dentro do parque, que consegue criar um clima bastante natural e ao mesmo tempo apresentar atrações da mais alta tecnologia, como Dinosaur!, uma aventura no mundo dos dinossauros que é feita em tecnologia de Audio-Animatronics. Ao mesmo tempo que o parque apresenta atrações para diversão existe uma preocupação real com os animais, que pode ser vista principalmente na área Conservation Station, onde é mostrado como são criados os diversos animais do Animal Kingdom. A idéia de construir o Animal Kingdom surgiu numa reunião entre Michael Eisner, presidente da Disney e seu grupo de criadores, denominado Imagineers, em 1989. O parque foi construído em três anos e a maioria dos animais foram trazidos da África. Diariamente é apresentada a parada dos animais, das 11h e às 14h, uma celebração à alegria e à imaginação que as pessoas encontram nos animais. Por todo parque é possível encontrar animais raros, acompanhados por seus tratadores que estão à disposição para responder à perguntas. O mais interessante sobre a Tree Of Life (Árvore da Vida) é de que nela, estão esculpidos rostos de diversos animais. Dá para passear entre suas raízes e assistir um maravilhoso filme em 3D abaixo de suas raízes. O personagem principal do filme é Flik do filme A Bug’s Life (no Brasil Vida de Inseto), aonde ele apresenta un Talent Show (Show de Talentos).

Disney’s Hollywood Studios

O parque Disney’s Hollywood Studios é a colaboração da supremacia Disney em parques temáticos com a história cinematográfica dos estúdios Walt Disney. Fundado em 1989, no início fora acusado de estar copiando a ideia dos parques da Universal, porém antes sequer do anúncio dos planos da Universal na Flórida, a WDI (Walt Disney Imagineering – Os Imagineers) já estavam trabalhando em cima do projeto. O parque Hollywood Studios é diversão garantida para crianças, jovens e adultos que se interessam por cinema, sem contar que o Disney Studios é um dos parques mais famosos do Walt Disney World Resort. A ideia é celebrar os anos dourados de Hollywood, das décadas de 1930 e 1940 e também mostrar bastidores de produções que já foram feitas pelo estúdio, além das que estão em processo de desenvolvimento. De todos os parques da Disney este é o que mais tem crescido nos últimos anos, com constante acréscimo de novas atrações. O Disney’s Hollywood Studios pode ser tranqüilamente ser visto num só dia. Em épocas de verão, fim de ano e feriados é feito um show de fogos de artifício diariamente, na hora de fechamento do parque. O show de fogos tem como trilha sonora temas de filmes clássicos. Diariamente a parada de Mullan, um dos filmes dos estúdios Disney, passa por todo o parque com muita música e os personagens da história da chinesinha corajosa. Outro show que merece destaque é o “Fantasmic”, trazido e adaptado da Disneyland em 1998. O show, que acontece em um anfiteatro, mostra diariamente um sonho da imaginação do Mickey Mouse, que tem seu sonho transformado em pesadelo pelos vilões. O ponto alto do show é quando o Mickey luta contra a Malévola em forma de dragão. Outra atração que chama a atenção é a The Twilight Zone: Tower of Terror, aonde você presencia a história de uma família que se hospedou no hotel e acabou se transportando para outra dimensão. Na mesma atração você conta com uma super vista de todo o parque, além de uma queda de 13 andares. Em 2005, foi instalado um sistema operacional novo que cria inúmeras possibilidades de queda, fazendo quase impossível a possibilidade de um visitante ter uma queda duas vezes no mesmo ponto da atração.Outra atração de grande destaque é a Star Tours que é baseada na serie Star Wars o brinquedo é um simulador onde você entra numa cabine com C3-PO e viaja por planetas e pelo espaço, usando um sistema operacional parecido com o da Tower of Terror ele dispõe de 60 cenários dos filmes de George Lucas. Disney MGM Studios Recentemente a Disney comprou a Lucasfilm sendo hoje detentora dos direitos da série Star Wars com previsão de um próximo filme para 2015.

Epcot

Epcot é a sigla de Experimental Prototype Community of Tomorrow (Protótipo de Comunidade Experimental do Amanhã) e na verdade era a ideia inicial de Walt Disney para a Walt Disney World, em 1966. Nessa comunidade de sonhos de Disney, nações coexistem em perfeita harmonia e paz sobrevivendo do milagroso progresso do desenvolvimento tecnológico e o Epcot nunca estaria ultrapassado, pois sempre anda sendo atualizado. A comunidade em si nunca existiu, apesar da empreitada recente da Walt Disney Co. de criar uma cidade fechada, a cidade de Celebration. O Epcot é um parque com uma preocupação com a educação e, apesar do paradoxo, é um parque muito bem sucedido. O Epcot é dividido em duas partes, Future World, uma parte com atrações bem “high-tech” e World Showcase, outra parte que tem a ver com as nações do mundo, separadas por uma grande lagoa, a World Showcase Lagoon, onde toda noite acontece o show IllumiNations: Reflections of Earth (IlumiNações: Reflexos da Terra), de som, luzes e fogos de artifício.
Bons restaurantes e atrações interessantes fazem deste o parque preferido dos adultos. Nos últimos anos o parque recebeu diversas novas atrações. Uma delas é inspirada no filme da Disney-Pixar, “Procurando Nemo” que se chama “The Seas with Nemo and Friends” em que pessoas entram em “mariscomóveis” e viajam para baixo do mar e vêem Nemo e seus amigos em projeções super realísticas, além de outras surpresas, como um dos maiores aquários de água doce do mundo. Outra atrações que merecem destaque: “Soarin”, um simulador de vôo de asa delta que você sente a brisa, os cheiros e a imagem parece que você está voando sob o estado da Califórnia. “Mission: Space” que parece que você é um astronauta e você pode escolher em fazer um passeio “light” ou radical. A última atração fora desenvolvida em parceria da HP e com a Nasa, para poder gerar um simulador tão forte quanto uma saída da atmosfera sentida pelos astronautas.

Parques aquáticos

Disney’s Blizzard Beach
Trata-se de um parque aquático integrado ao complexo Disney em 1995 e que representa uma estação de esqui na neve, com inúmeros tobogãs, piscina de ondas e muitas outras atrações. A água em todos os parques aquáticos da Disney possui a temperatura controlada durante todo o ano, estando sempre em um temperatura agradável em qualquer época. Uma das atrações mais pitorescas do parque é o Summit Plummet, grande escorregador em estilo tobogã de velocidade, o atual mais alto do mundo. Descidas em botes para seis pessoas e outras peripécias aquáticas fazem parte do cardápio do Blizzard Beach. Um dos setores do parque, o Melt Away Bay, é uma praia em si, com areia e ondas artificiais.

Typhoon Lagoon (Lagoa do Tufão) é um maravilhoso parque aquático do Walt Disney World Resort, inspirado nas praias do Hawai. Foi inaugurado em 1989 que representa um pequeno vilarejo que foi vitimado por uma enorme tempestade que reduziu-o a ruínas. Na parte central do parque está localizado o Monte Mayday no qual está encalhado o Miss Tilly um antigo barco pesqueiro. Este parque aquático é considerado um dos maiores do mundo. As filas das atrações são consideradas em sua maioria moderadas. Umas das atrações de maior visitação e conseqüentemente de fila é o Shark Reef, que consiste de um passeio com tubarões e outros animais marinhos. O parque já foi palco do show gravado em dvd de Hannah Montana.

Outras atrações

Downtown Disney tem a energia da vida noturna das melhores cidades do mundo. Com o objetivo de ser um centro de entretenimento com direito a centro de compras, lazer, recreação e alimentação, Downtown Disney inspirou o Universal CityWalk. Todo dia é reveillon em Downtown Disney, com respectiva queima de fogos à meia-noite. Uma infinidade de restaurantes e lojas, além de clubes de música e boates, fazem de Downtown Disney a melhor parada noturna (e diurna) em Orlando, seja para fazer compras, comer, dançar, ouvir música ou ir ao cinema. A área divide-se em três diferentes setores: Marketplace, Pleasure Island e West Side onde está a mais nova atração Disney, o DisneyQuest, um complexo de cinco andares, repleto de brinquedos eletrônicos e realidade virtual. Há também na Downtown Disney uma filial do Cirque du Soleil: La Nouba, também em West Side. O espetáculo La Nouba já recebeu desde sua inauguração mais de 10 milhões de espectadores.

Disney’s BoardWalk, aberto em 1 de julho de 1996
Disney’s Wedding Pavilion, aberto em 15 de julho de 1995
ESPN Wide World of Sports Complex, aberto em 28 de março 1997
Walt Disney World Speedway, aberto em 28 de novembro de 1995
Richard Petty Driving Experience, aberto em 28 de novembro de 1995

Comemorações

O Walt Disney World Resort, junto de sua irmã, a Disneyland, comemoram diversos acontecimentos da Walt Disney Co.. Veja duas das mais fabulosas comemorações:

“The Happiest Celebration on Earth – A comemoração mais feliz da terra” – Celebração que durou 18 meses, começando em 5 de maio de 2005 e até metade de 2006, em comemoração aos 50 anos da Disneyland da Califórnia. Esta celebração foi realizada em todos os 11 parques Disney ao redor do globo. O Walt Disney World também importou diversas atrações e shows.
No Magic Kingdom:

Uma reforma na atração “It’s a Small World”.
Uma nova decoração em ouro para o castelo da Cinderella.
Do Japão, o espetáculo “Cinderellabration” em frente ao castelo da Cinderella apresentando a coroação da Cinderella.
O espetáculo de fogos de artifício “Wishes”.
No Epcot:

Do parque “California Adventure” de Anaheim a atração Soarin, um passeio em uma asa delta, sobrevoando os principais pontos turísticos do estado ensolarado, inclusive sob a Disneyland.
No Disney’s Hollywood Studios:

Da Flórida, uma reforma e ampliação das ruas.
Da França, o espetáculo “Lights, Motors and Action” um show ao vivo, de extrema ação e aventura, com dubles de verdade!
No Animal Kingdom:

Da Califórnia, o robô animatronico interativo Luky.
A montanha russa “Expedition Everest” que é um encontro assutador com o guardião da montanha: o Yeti!
“Year of a Million Dreams – Ano de Um Milhão de Sonhos”
A mais nova comemoração, começou em outubro de 2006 e irá até 2008. Essa celebração acontecerá apenas nos parques dos Estados Unidos, e fortalecerá a mais nova campanha de marketing da Disney Parks: Onde os sonhos se tornam realidade (Disney Parks: Where Dreams Come True). Esta celebração da enfoque aos Membros do Elenco (Disney Cast Members) que a própria Disney passa a chamar de “Realizadores de Sonhos” (Dream-Makers). Nessa celebração os Casts dão prêmios que variam desde balões, chapéus, a oportunidade de entrar no Magic Kingdom duas horas antes, pernoitar na suite do castelo da Cinderella, “Fast Pass” ilimitado até mesmo conhecer todos os parques Disney pelo mundo. Inclui também novas atrações, em sua maioria inspirados nos filmes da Pixar. Para 2008, terão ainda mais prêmios como parte da Disney Dreams Giveaway Promotion, como viagens pela Adventures by Disney, Cruzeiros pela Disney Cruise Line (DCL), Um dia na ilha particular da Disney nas Bahamas (Castaway Key), só para você e seus convidados, Entradas VIP para assitir a Premiere de High School Musical 3, a chance de dormir na suíte que o próprio Walt Disney desenhara para ele mesmo, e muito mais!

Hotéis Disney

Há dentro de Disney World uma enorme variedade de hotéis, com preços, estilos e temáticas variados, eles são:

Disney’s All-Star Movies Resort (ECONOMICO)
Disney’s All-Star Music Resort(ECONOMICO)
Disney’s All-Star Sports Resort(ECONOMICO)
Disney’s Animal Kingdom Lodge(LUXO)
Disney’s Art of Animation Resort
Disney’s Beach Club Resort (MODERADO)
Disney’s Beach Club Villas(MODERADO)
Disney’s BoardWalk Inn(MODERADO)
Disney’s BoardWalk Villas(MODERADO)
Disney’s Caribbean Beach Resort(MODERADO)
Disney’s Contemporary Resort(LUXO)
Disney’s Coronado Springs Resort
Disney’s Fort Wilderness Resort & Campground
Disney’s Grand Floridian Resort and Spa(LUXO)
Disney’s Old Key West Resort
Disney’s Polynesian Resort (LUXO)
Disney’s Pop Century Resort(ECONOMICO)
Disney’s Port Orleans Resort Riverside (precedentemente Dixie Landings)
Disney’s Port Orleans Resort French Quarter (precedentemente Disney’s Port Orleans Resort)
Disney’s Saratoga Springs Resort & Spa (precedentemente era il Disney Institute)
Disney’s Wilderness Lodge
Disney’s Yacht Club Resort
Shades of Green
The Villas at Disney’s Wilderness Lodge
Walt Disney World Dolphin
Walt Disney World Swan
Os dois últimos hotéis fazem parte da rede de hotéis Starwood Hotel and Resorts Worldwide.

Walt Disney World [1/3]

Walt Disney World [2/3]

Walt Disney World [3/3]

, ,

Números da Indústria de Eventos no Brasil

É o que mostra o relatório “2º Dimensionamento Econômico do Setor de Eventos”, elaborado pela Associação Brasileira das Empresas de Eventos (Abeoc) em parceria com o Sebrae.

Segundo o relatório divulgado no dia 14 de outubro, durante o ano de 2013 foram realizados 590 mil eventos no país, com um total de 202,2 milhões de participantes e R$ 209,2 bilhões em receitas – o equivalente a 4,32% do PIB do país no período. O valor representa também um crescimento de 460% em relação ao ano de 2001, utilizado como base no último levantamento equivalente.

A região Sudeste continua sendo o principal polo, abrigando 52% do total de eventos (305,7 mil) e 53% do público (106,2 milhões). O segundo lugar é dividido entre as regiões Nordeste, com 116,3 mil eventos (20% do total); e Sul, com 37,3 milhões de participantes (18% do total).

Em relação aos meios utilizados para divulgação e promoção, a internet definitivamente substituiu os canais tradicionais.

Segundo o relatório, sites (84,4%), redes sociais (66,6%) e e-mail marketing (46,6%) são as três ferramentas mais utilizadas – vale destacar que todas essas funcionalidades são oferecidas pela Eventioz. O mobile aparece na 12º posição, com 7,9% de participação e deve crescer nos próximos anos.

No total, estima-se que a indústria de eventos gere cerca de 7,5 milhões de empregos direta e indiretamente. Para chegar aos números, o relatório consultou 60 mil empresas do segmento. Para ler o relatório na íntegra, click Abeoc.

Vídeo com algumas informações:

,

Billie Holiday

Nascida Eleanora Fagan Gough, em 7 de abril de 1915, em Filadélfia, Pensilvânia, foi criada em Baltimore por pais adolescentes. Quando nasceu, seu pai, Clarence Holiday, tinha quinze anos de idade e sua mãe, Saddy Fagan, apenas treze. Seu pai, guitarrista e banjoista, abandonou a família quando Billie ainda era bebê, seguindo viagem com uma banda de jazz. Sua mãe, também inexperiente, frequentemente a deixava com familiares, ela teve uma infância difícil.

Menina americana negra e pobre, Billie passou por todos os sofrimentos possíveis. Aos dez anos foi violentada sexualmente por um vizinho, e internada numa casa de correção para meninas vítimas de abuso. Aos doze, trabalhava lavando o chão de prostíbulos. Aos quatorze anos, morando com sua mãe em Nova York, caiu na prostituição.

Sua vida como cantora começou em 1930. Estando mãe e filha ameaçadas de despejo por falta de pagamento de sua moradia, Billie sai à rua em desespero, na busca de algum dinheiro. Entrando em um bar do Harlem, ofereceu-se como dançarina, mostrando-se um desastre. Penalizado, o pianista perguntou-lhe se sabia cantar. Billie cantou e saiu com um emprego fixo.

Billie nunca teve educação formal de música e seu aprendizado se deu ouvindo Bessie Smith e Louis Armstrong.

Após três anos cantando em diversas casas, atraiu a atenção do crítico John Hammond, através de quem ela gravou seu primeiro disco, com a big band de Benny Goodman. Era o real início de sua carreira. Começou a cantar em casas noturnas do Harlem (Nova York), onde adotou seu nome artístico.

Cantou com as big bands de Artie Shaw e Count Basie. E foi uma das primeiras negras a cantar com uma banda de brancos, em uma época de segregação racial nos Estados Unidos (anos 1930). Consagrou-se apresentando-se com as orquestras de Duke Ellington, Teddy Wilson, Count Basie e Artie Shaw, e ao lado de Louis Armstrong. Billie Holiday foi uma das mais comoventes cantoras de jazz de sua época. Com uma voz etérea, flexível e levemente rouca, Sua dicção, seu fraseado, a sensualidade à flor da voz, expressando incrível profundidade de emoção, a aproximaram do estilo de Lester Young, com quem, em quatro anos, gravou cerca de cinquenta canções, repletas de swing e cumplicidade. Lester Young foi quem lhe apelidou “Lady Day”.

A partir de 1940, apesar do sucesso, Billie Holiday, sucumbiu ao álcool e às drogas, passando por momentos de depressão, o que se refletia em sua voz.

Pouco antes de sua morte por overdose de drogas, Billie Holiday publicou sua autobiografia em 1956, Lady Sings the Blues, a partir da qual foi feito um filme, em 1972, tendo Diana Ross no papel principal.

No início de 1959, Billie soube que tinha cirrose hepática. O médico disse-lhe para parar de beber, o que fez por pouco tempo, mas logo voltou a beber pesado. Em maio, havia perdido quase dez quilos. Seus amigos Leonard Feather, Joe Glaser e Allan Morrison tentaram levá-la para um hospital, mas ela descartou-os.

Em 31 de maio de 1959, Billie foi levada para o Hospital Metropolitano, em Nova York, com problemas hepáticos e cardíacos. Recebeu voz de prisão por posse de drogas enquanto estava no hospital, morrendo, sendo seu quarto invadido pelas autoridades. Policiais ficaram de guarda na porta de seu quarto. Billie Holiday permaneceu sob guarda da polícia no hospital até que morreu de edema pulmonar e insuficiência cardíaca causada por cirrose hepática, em 17 de julho de 1959.

Nos últimos anos de vida, havia sido progressivamente enganada nos seus ganhos e morreu com 70 centavos de dólar no banco e 750 dólares (pagos por um tablóide) por um artigo sobre sua pessoa. A cerimônia fúnebre foi realizado na Igreja de São Paulo Apóstolo, em Nova York.

Gilbert Millstein, do jornal The New York Times, que tinha sido o narrador dos shows de Billie Holiday no Carnegie Hall, em 1956, e escrito parte da contracapa do álbum O Essencial de Billie Holiday, descreveu a morte dela na contracapa do mesmo álbum, relançado em 1961:

“Billie Holiday morreu no Hospital Metropolitano, em Nova York, na sexta-feira, 17 de julho de 1959, na cama em que havia sido presa pouco mais de um mês antes, já mortalmente doente, por posse ilegal de narcóticos; no quarto de onde um policial havia se retirado – por ordem judicial – apenas algumas horas antes de sua morte, que, como sua vida, foi desordenada e lamentável. Havia sido belíssima, mas desgastou-se fisicamente a uma reduzida e grotesca caricatura de si mesma. Os vermes de todos os tipos de excesso – drogas eram apenas um – tinham-na devorado… A probabilidade existe de que – entre os últimos pensamentos desta mulher cínica, sentimental, profana, generosa e muito talentosa de 44 anos – estava a crença de que seria acusada na manhã seguinte. Ela teria sido, eventualmente, embora talvez não tão rapidamente. Em qualquer caso, ela retirou-se, finalmente, da jurisdição de qualquer tribunal terreno.”

Encontra-se sepultada no Saint Raymonds Cemetery New, Bronx, Nova Iorque nos Estados Unidos.

Nikola Tesla

Nikola Tesla (Nicola Tesla ou Никола Тесла) (Smiljan, Império Austríaco, 10 de Julho de 1856 — Nova Iorque, 7 de Janeiro de 1943) foi um inventor nos campos da engenharia mecânica e electrotécnica, de etnia sérvia nascido na aldeia de Smiljan, Vojna Krajina, no território da atual Croácia. Era súdito do Império Austríaco por nascimento e mais tarde tornou-se um cidadão estadunidense. Tesla é muitas vezes descrito como um importante cientista e inventor da modernidade, um homem que “espalhou luz sobre a face da Terra”. É mais conhecido pelas suas muitas contribuições revolucionárias no campo do electromagnetismo no fim do século XIX e início do século XX. As patentes de Tesla e o seu trabalho teórico formam as bases dos modernos sistemas de potência eléctrica em corrente alternada (AC), incluindo os sistemas polifásicos de distribuição de energia e o motor AC, com os quais ajudou na introdução da Segunda Revolução Industrial.

Depois da sua demonstração de transmissão sem fios (rádio) em 1894 e após ser o vencedor da “Guerra das Correntes”, tornou-se largamente respeitado como um dos maiores engenheiros electrotécnicos que trabalhavam nos EUA. Muitos dos seus primeiros trabalhos foram pioneiros na moderna engenharia electrotécnica e muitas das suas descobertas foram importantes a desbravar caminho para o futuro. Durante este período, nos Estados Unidos, a fama de Tesla rivalizou com a de qualquer outro inventor ou cientista da história e cultura popular, mas devido à sua personalidade excêntrica e às suas afirmações aparentemente bizarras e inacreditáveis sobre possíveis desenvolvimentos científicos, Tesla caiu eventualmente no ostracismo e era visto como um cientista louco. Nunca tendo dado muita atenção às suas finanças, Tesla morreu empobrecido aos 86 anos.

A unidade do Sistema Internacional de Unidades (SI) que mede a densidade do fluxo magnético ou a indução eletromagnética (geralmente conhecida como campo magnético “B”), o tesla, foi nomeada em sua honra (na Conférence Générale des Poids et Mesures, Paris, 1960), assim como o efeito Tesla da transmissão sem-fio de energia para aparelhos electrónicos com energia sem fio, que Tesla demonstrou numa escala menor (lâmpadas eléctricas) já em 1893 e aspirava usar para a transmissão intercontinental de níveis industriais de energia no seu projecto inacabado da Wardenclyffe Tower.

À parte os seus trabalhos em electromagnetismo e engenharia electromecânica, Tesla contribuiu em diferentes medidas para o estabelecimento da robótica, controle remoto, radar e ciência computacional, e para a expansão da balística, física nuclear, e física teórica. Em 1943 o Supremo Tribunal dos Estados Unidos acreditou-o como sendo o inventor do rádio. Muitos das suas realizações foram usadas, com alguma controvérsia, para apoiar várias pseudociências, teorias sobre OVNIs, e as primeiras formas de ocultismo New Age.

Tesla recebeu da Checoslováquia a mais alta ordem do Leão Branco.

Nikola Tesla: Mestre do Raio (2000)

Bobina de Tesla 700 KV (700.000 Volts)

Bobina de Tesla en concierto

Bobina de Tesla

,

Motor Keppe | Norberto Keppe

Recebe este nome porque foi desenvolvido segundo princípios inovadores que surgiram da pesquisa do cientista Norberto Keppe sobre a física, e expostos em sua obra “A Nova Física da Metafísica Desinvertida”, escrita em 1996, na França.

A tecnologia Keppe Motor não prevê limites de aplicação no seu desenvolvimento e pode conferir eficiência tão próxima de 100% quanto se deseje, tanto para motores de alta como de baixa potência, bastando para isso apenas investir em configurações e materiais que lhe sejam mais adequados. Sabemos que, por limitações da tecnologia de motores convencionais, as eficiências maiores são atingidas apenas por motores de grande potência, sendo que os pequenos apresentam eficiência muito aquém do desejado.

Qual a importância do KEPPEMOTOR?

As mudanças climáticas já são evidentes e isso nos faz mais conscientes sobre a importância de encontrarmos fontes de energia mais eficientes e sustentáveis. Num futuro muito próximo, somente motores de alto desempenho poderão ser comercializados, de maneira a cumprir regulamentos e acordos que já estão sendo implementados por governos de muitos países.

O Keppe Motor surge como resposta às demandas destes novos padrões globais, pois oferece até 90% de economia de energia.

O benefício trazido por um motor que economiza até 90% de eletricidade para o meio ambiente e para a economia de uma nação é evidente. Os motores elétricos de baixa potência são os mais utilizados pois acionam eletrodomésticos, ferramentas elétricas, bombas hidráulicas, sistemas de refrigeração doméstica, etc. Eles somam centenas de milhões em todo o mundo e estão diretamente vinculados ao desenvolvimento de um país ou região, pois com o aumento do poder aquisitivo das famílias, mais motores são proporcionalmente adquiridos.

O Keppe Motor representa a melhor opção para os governos que têm que garantir energia elétrica para suas populações em desenvolvimento.

Além disso, o consumo reduzido do Keppe Motor permite sua utilização em pequenos sistemas de bombeamento de água e refrigeração, quando conjugado a um sistema de baterias e placas fotovoltaicas em regiões remotas onde o sol é abundante e a rede pública se faz ausente. Inúmeros projetos de sistemas auto-sustentáveis com energia solar poderiam ser implementados pelos governos com o Keppe Motor, levando mais conforto e dignidade às populações mais carentes do mundo todo.

O impacto do uso da tecnologia Keppe Motor no consumo de energia é impressionante. Vejamos este exemplo:

No Brasil, são comercializados anualmente cerca de 5 milhões de novos ventiladores de teto de uso residencial e comercial. Se todos estes ventiladores utilizassem a tecnologia Keppe Motor no período de 1 ano o resultado seria o seguinte:

Consumo anual de energia de novos ventiladores – uso 4 horas | 510 GWh/ano

Consumo anual de energia de novos ventiladores com Keppe Motor – uso 4 horas | 20 GWh / ano

Economia anual de energia resultante desta substituição | 490 GWh/ano

Com o uso de motores Keppe Motor em novos ventiladores de teto no Brasil, haveria uma economia de 490 GWh/ano. Isso corresponde a:

Produção Energética Economizada a 490 GWh/ano | 1470 GWh/ano

Usina Geradora Equivalente para produzir 1470 GWh/ano | 165 MW

Produção de Energia Equivalente de uma Usina Termelétrica | Queima de 2,9 milhões de Barris de Petróleo

Emissão Evitada de C02 | 71.400 toneladas de CO2

Esta Emissão Evitada é o Equivalente ao Plantio de | 451.000 árvores

Eficiência energética

Considerando-se o aspecto Eficiência Energética, podemos destacar as principais relevâncias, citadas abaixo:

Para a indústria Mundial: Significa um “up grade” tecnológico em linhas inteiras de produtos tradicionais, além de viabilizar soluções inovadoras até então impossibilitadas pelas limitações das tecnologias motrizes vigentes.

Para as distribuidoras de energia: Qualquer ação que reduza o consumo de energia traz o benefício de uma postergação de investimentos no atendimento dos consumidores, pode-se com a mesma estrutura suprir os uma quantidade maior, desde que esses tenham um uso mais eficiente de energia;

Para as entidades e profissionais: Capacitar pesquisadores em desenvolver produtos, absolutamente, focados em eficiência energética e o aprofundamento acadêmico em estudos de modelagens matemáticas, são exemplos da ampla gama de possibilidades necessárias para o perfeito entendimento científico e a difusão desta inovação tecnológica
O resultado dessa pesquisa pode mostrar um motor que pode ser estudado em outras aplicações, aumentando o desenvolvimento tecnológico da instituição;
a comunidade científica será o entendimento da aplicação dos efeitos da ressonância em uma conversão eletromecânica de energia, ou seja, em motores elétricos.

Para o consumidor final: O uso de produtos eletrodomésticos com a tecnologia Keppe Motor, altamente eficientes, alimentados pela rede elétrica ou fontes alternativas de energia –Painéis Fotovoltaicos, Eólica, Biomassa – reduzindo drasticamente as contas de energia.

Para o país: Ter produtos com uma tecnologia inovadora de concepção nacional, capacitando a indústria nacional a competir no mercado mundial, aumentando o desenvolvimento tecnológico nacional e gerando mais empregos.

Keppe Motor – Parte 1/3

Keppe Motor – Parte 2/3

Keppe Motor – Part 3/3

Sobre a tecnologia Keppe Motor

O Keppe Motor recebeu este nome porque foi desenvolvido com base nos princípios descritos no livro “A Nova Física da Metafísica Desinvertida”, escrito pelo cientista e pesquisador Norberto Keppe em 1996. A teoria da Nova Física de Norberto Keppe é corajosa e profética, pois reformula todos os princípios fundamentais da ciência e abre o caminho para levar a humanidade a níveis altíssimos de desenvolvimento tecnológico e social.
Neste fantástico livro, Dr. Norberto Keppe delineia a base para uma nova física que transcende completamente os postulados de Newton e Einstein e até mesmo os conceitos propostos pela
física quântica. Ele desinverte a fórmula de Einstein (E=mc2) afirmando que a matéria tem origem na chamada energia escalar que existe em todo o universo. Sua fórmula passou a ser: M=RE/TS, ou seja, a matéria é formada pela ressonância magnética conforme o tempo e o espaço. Segundo Keppe, pode-se notar a inversão que Einstein cometeu, inspirado em Isaac Newton, ao colocar a formação da energia advinda do elemento material, motivo pelo qual a natureza de nosso planeta está sendo destruída.
A originalidade da tecnologia Keppe Motor está no uso do conceito de ressonância para a otimização de sua eficiência. Assim, pelas mãos dos engenheiros Cesar Soós, Roberto e Alexandre Frascari da Associação STOP a Destruição do Mundo que encontraram uma forma de capturar a energia escalar estabelecida por Nikola Tesla (e chamada de energia essencial ou divina por Keppe), nasce uma nova categoria de motores elétricos denominados industrialmente de motores RC (Corrente Ressonante).
Os ventiladores Keppe Motor Universe turbo são os primeiros produtos equipados com a tecnologia Keppe Motor. A sua linha de ventilação já conta com mais de 100 produtos residenciais, comerciais e industriais.
Keppe Motor já tem a sua patente reconhecida em alguns países como EUA, China, Rússia e México.

Para informações adicionais acesse www.keppemotor.com e www.stop.org.br/site.