, ,

The Phantom of the Opera | O Fantasma da Ópera

O Fantasma da Ópera (no original em inglês: The Phantom of the Opera) é um musical composto por Andrew Lloyd Webber, baseado no romance homônimo de Gaston Leroux. As músicas foram compostas por Andrew Lloyd Webber, com letras de Charles Hart e letras adicionais por Richard Stilgoe. O musical narra a história de uma bela soprano, Christine Daaé, que passa a ser a misteriosa obsessão de um gênio musical conhecido como “O Fantasma da Ópera”, já que ninguém o vê nem sabe quem é. O álbum deste musical está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.
The Phantom of the Opera abriu no West End, em Londres, 1986. A produção foi dirigida por Hal Prince, coreografada por Gillian Lynne, design de Maria Bjornson e iluminação de Andrew Bridge. Em 2008, a producção do West End atingiu as 9.000 performances. Em 9 de janeiro de 2006, a produção de Nova Iorque se tornou o espectáculo da Broadway com o maior tempo de exibição, com sua performance de número 7.486. De acordo com o website oficial, The Phantom of the Opera é a produção de entertenimento com mais sucesso da história, com, mais de 5 bilhões de dólares, em 2007. O musical é considerado a maior atração teatral de todos os tempos. A esperada sequencia do musical, Love Never Dies, estreou em Londres em fevereiro de 2010, e deveria chegar aos palcos da Broadway em novembro do mesmo ano mas teve sua estréia várias vezes adiada.

Produções originais do West End e Broadway

The Phantom of the Opera abriu no Her Majesty’s Theatre em Londres em 9 de Outubro de 1986, com o elenco composto por Michael Crawford no papel principal, Sarah Brightman como Christine e Steve Barton como Raoul. Atingiu as suas 9.000 performances em 31 de Maio de 2008.
O musical abriu na Broadway, no Majestic Theatre, em 26 de Janeiro de 1988 e é o musical com maior tempo de exibição, quebrando o recorde de Cats, em Janeiro com a sua performance nº 7.486. Crawford, Brightman e Barton formaram o elenco original na produção de Nova York, e Judy Kaye teve o papel de Carlotta. O fantasma já foi representado por vários atores, sendo seus últimos, Ramin Karimloo, Howard McGillin e John Cudia.
O musical ganhou mais de 50 grandes prémios do teatro, e ganhou ambos Olivier Award and Tony Award para o melhor musical, no West End e na Broadway. Ambas as produções de Londres e Nova York continuam a ser representadas. De acordo com o website oficial, o musical foi representado em 124 cidades, em 25 países e visto por mais de 100 milhões de pessoas. Com o total de $5.1 biliões, The Phantom of the Opera é o evento de entertenimento com mais sucesso de sempre. A produção da Broadway fez mais de US $715 milhões, fazendo dele o espectáculo da Broadway com mais sucesso da história. Em sinal da sua popularidade, The Phantom of the Opera ficou em segundo lugar na “Nation’s Number One Essential Musicals” da BBC

Personagens principais

O Fantasma da Ópera (tenor / barítono) – Nasceu com uma deformidade parcial no rosto, o Fantasma é um gênio compositor, músico e, por vezes, um mágico, que se esconde por detrás de uma máscara branca e é conhecida pelos administradores e atores da ópera como o “Opera Ghost”.
Christine Daaé (soprano) – Uma garota sueca, bailarina e cantora do coro do “Opera Populaire”. Embora talentosa, ela precisava de prática até o Fantasma leva-la sob a sua asa e ensina-la a cantar.
Raoul, Visconde de Chagny (barítono / tenor) – O patrono do “Opera Populaire” e amor de infância de Christine.
Carlotta Giudicelli (soprano) – A arrogante diva da Ópera, terá muito ciúmes de Christine após seu grande sucesso.
Madame Giry (mezzo-soprano) – A amante do balé da Ópera, e “porta-voz” do Fantasma.
Meg Giry (mezzo-soprano) – A filha de Madame Giry, um membro do balé e do coro, melhor amiga de Christine.
Monsieur Richard Firmin (barítono) – O ranzinza administrador do “Opera Populaire”.
Monsieur Gilles André (barítono) – O leviano administrador do “Opera Populaire”.
Ubaldo Piangi (tenor) – O líder dos tenores da Ópera , marido de Carlotta Giudicelli.
Joseph Buquet (barítono / baixo) – O chefe da Opéra Stagehand, sabe alguma coisa sobre a identidade do fantasma.

Números musicais

Primeiro ato:

“Prologue”
“Overture”
“Think of Me”- Carlotta, Christine, e Raoul
“Angel of Music”- Meg e Christine
“Little Lotte/The Mirror (Angel of Music)”- Christine, Raoul, e o fantasma
“The Phantom of the Opera”- O fantasma e Christine
“The Music of the Night”- O fantasma
“I Remember/Stranger Than You Dreamt It”- Christine e o fantasma
“Magical Lasso”- Buquet, Meg, Madame Giry, e as Ballet Girls
“Notes/Prima Donna”- Firmin, Andre, Raoul, Carlotta, Giry, Meg, Piangi, e o fantasma
“Poor Fool, He Makes Me Laugh (Il Muto)”- Carlotta e a Companhia
“Why Have You Brought Me Here?/Raoul, I’ve Been There”-Raoul e Christine
“All I Ask of You”- Raoul e Christine
“All I Ask of You (Reprise)”- O fantasma

Segundo ato

“Entr’acte”
“Masquerade/Why So Silent”- Companhia
“Notes/Twisted Every Way”- Andre, Firmin, Carlotta, Piangi, Raoul, Christine, Giry, e o fantasma
“Wishing You Were Somehow Here Again”- Christine
“Wandering Child/Bravo, Monsieur!”- O fantasma, Christine, e Raoul
“The Point of No Return”- O fantasma e Christine
“Down Once More/Track Down This Murderer”- O fantasma, Christine, Raoul, e a Companhia

You Tube Oficial

O FANTASMA DA ÓPERA NO ROYAL ALBERT HALL

O Fantasma da Ópera / The Phantom of the Opera 1925

O Fantasma da Ópera no Brasil

A partir de abril de 2005, o musical iniciou sua temporada no Brasil, em São Paulo, no Teatro Abril, e com data de encerramento para abril de 2007, após estender sua temporada duas vezes. Como o fantasma, atuou Saulo Vasconcelos, que também fez o mesmo personagem na montagem no México.

Elenco Original Brasileiro

Christine – Sara Sarres e Kiara Sasso (Alternante)
Covers: Bianca Tadini e Daniela Vega
O Fantasma – Saulo Vasconcelos
Covers: Fred Silveira e Marcos Tumura
Raoul – Nando Prado
Cover: Fred Silveira
Carlotta – Edna D’Oliveira
Alternantes: Cidalia Castro e Solange Siquerolli. Cover: Amélia Gumes
Meg Giry – Carolina Puntel
Covers: Julia Duarte e Janaína Amorim
Madame Giry – Paula Capovilla
Covers: Alessandra Linhares e Magda Painno
Firmin- Jhonatas Joba
Cover: Rodrigo Miallaret
André – Homero Velho e Marcos Tumura
Cover: André Saporetti
Don Atilio : Saulo Javan
Covers: Misael Santos, Randal Oliveira e Leonardo Pace

 

A versão que gosto mais e da Lindsey Stirling.

)

Sarah Brightman e Antonio Banderas – The Phantom of the Opera 1998

“The Phantom of the Opera”, tocada ao vivo em abril de 1998 durante a celebração de gala Royal Albert Hall de aniversário de 50 anos de Andrew Lloyd Webber, por Sarah Brightman e Antonio Banderas.

,

Camarotes Carnaval São Paulo 2014

A TP Eventos comercializa Camarotes do Carnaval São Paulo 2014.

A maior festa do mundo convida você a fazer parte deste grande espetáculo.

Nada melhor do que ter a oportunidade de acompanhar de perto o requinte das fantasias, a beleza dos carros alegóricos e o sorriso estampado no rosto dos foliões numa festa de luxo e cor que se desenvolve a cada ano.

Além desse grande evento, a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo vai produzir os camarotes do Carnaval, que oferecem conforto e satisfação para que a sua noite de festa seja repleta de encanto e beleza.

Datas dos Ensaios Técnicos.

Clique aqui e baixe um pdf com a apresentação completa do Camarotes Carnaval São Paulo -2014.

, , , ,

Sambódromo da Marquês de Sapucaí

A Passarela Professor Darcy Ribeiro, popularmente conhecida como Sambódromo , localiza-se na Avenida Marquês de Sapucaí, nos bairros Centro e Cidade Nova, no município do Rio de Janeiro, no Brasil. A maior parte da passarela situa-se no Centro, porém a sua porção final, após a Avenida Salvador de Sá, pertence ao bairro Cidade Nova.

O seu projeto, de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, foi implantado durante o primeiro governo fluminense de Leonel Brizola (1983-1987), visando a dotar a cidade de um equipamento urbano permanente para a exibição do tradicional espetáculo do desfile das escolas de samba. Inaugurada em 1984, com o nome oficial de “Avenida dos Desfiles”, marcou o início do sistema de desfiles das escolas de samba em duas noites, ao invés de em apenas uma noite, como era costume até então. Posteriormente, seu nome oficial mudou para “Passarela do Samba” e, finalmente, a partir de 18 de fevereiro de 1987, seu nome oficial passou a ser “Passarela Professor Darcy Ribeiro”, numa homenagem ao principal mentor da obra, o antropólogo Darcy Ribeiro. Essa denominação oficial se conserva até hoje. Popularmente, porém, a obra é mais conhecida como “Sambódromo”, que foi um termo cunhado pelo próprio Darcy Ribeiro , a partir da junção de “samba” com o sufixo de origem grega “dromo”, que significa “corrida, lugar para correr”. Sua estrutura, em peças pré-moldadas de concreto, mede cerca de 700 metros de comprimento.

 

Reforma de 2011-2012

Em 5 de junho de 2011, os camarotes do antigo Setor 2 foram derrubados para dar lugar a novas arquibancadas, seguindo o projeto original de Oscar Niemeyer. Com a reforma, a passarela passou a ser quase totalmente simétrica, à exceção da sua primeira arquibancada. Na época de sua construção, em 1984, o projeto de Niemeyer teve de ser modificado devido à existência de uma unidade industrial da CervejariaBrahma no local. As novas arquibancadas foram construídas a um custo de R$ 30 milhões de reais, totalmente custeados pela Ambev, dona da fábrica, que em contrapartida pôde “destombar” a velha fábrica e ainda teve a autorização de construir um prédio no restante do terreno. A nova passarela, após as reformas, teve sua capacidade aumentada de 60.000 para 72.500 pessoas e foi reinaugurada no dia 12 de fevereiro de 2012 há poucos dias do carnaval.

Olimpíadas de 2016

Em 2016, a passarela sediará a competição de tiro com arco e a chegada da maratona dos jogos olímpicos. Essas competições exigiram que a passarela passasse por uma reforma ao longo de 2011, com a demolição de alguns camarotes. Com isso, a passarela passou a ter uma simetria quase total entre seus dois lados, o que não havia sido possível quando da sua construção, devido à presença de um prédio ao lado da passarela (o prédio da Cervejaria Brahma), prédio este que foi, finalmente, implodido em 2011.

 

Carnaval de São Paulo

 

História

Depois do embarque do Mililique e do entrudo em terras brasileiras, a festa, que viria a se tornar o Carnaval, desenvolveu-se de forma diferente nos diversos lugares em que floresceu: na Bahia, de forma ligada aos fortes ritmos africanos; no Rio de Janeiro, já desde muito cedo organizado em sociedades, o embrião das futuras Escolas de Samba; em São Paulo, objeto do verbete, sob forte influência das populações que migravam do campo para a cidade, já no contexto da crise da economia cafeeira. Foi a população resultante do êxodo rural causado pela crise do café que desencadeou o início do Carnaval paulistano.

As comemorações carnavalescas e o próprio samba diferiam pouco do Rio de Janeiro para São Paulo, exceto por uma nítida diferença de andamento, ou seja, a grosso modo, de velocidade, de tempo da música. O sambista paulista, acostumado à árdua lida nas lavouras de café e migrando para a cidade para o trabalho operário, fazia o que Plínio Marcos denominou de “samba de trabalho, durão, puxado para o batuque”, contrastando com o lirismo e a cadência do samba carioca. Além disso, o samba paulistano era decisivamente influenciado por outros ritmos fortemente percurssivos, como o jongo-macumba, também conhecido por Caxambú. Data dessa época o início da relação entre o Carnaval e o direito: a repressão policial sofrida pelos sambistas, feita de forma dura e sem critério. Os sambistas, não só no Carnaval, mas durante todo o ano, eram vistos como vagabundos, marginais que eram duramente perseguidos pelas autoridades.

Na periferia marginalizada de uma São Paulo em construção, o som retumbante dos batuques anunciava uma cultura imigrante que mais tarde influenciaria a cultura brasileira de forma definitiva. Os negros, últimas gerações de escravos do final do século XIX, resgatavam sua identidade perdida nos navios negreiros com o som dos seus instrumentos peculiares em um samba rural e popular, improvisado em meio às lavouras cafeeiras. Não eram poetas ou compositores, mas cantavam sua vida em ritmo dançante e contagiante.

A história do samba em São Paulo é feita de alguns grandes nomes. Um deles e talvez o primeiro é Dionísio Barbosa, negro da primeira geração de escravos livres que veio para a capital em busca de oportunidades como liberto. Aqui, foi para a Barra Funda, reduto negro da cidade.

Nascido em 1891, Dionísio uniu a expressão do interior paulista com a influência do samba do Rio de Janeiro, onde conheceu a Festa da Penha e todas as tradições carnavalescas cariocas. Em 1914, reuniu sua família e foi para as ruas festejar, cantar e tocar o samba que iniciou a tradição dos cordões. Já havia na cidade eventos carnavalescos, mas eram manifestações da classe rica e branca, onde investiam todo seu apoio no desfile de Carros Alegóricos, e nas competições de Clubes. O Cordão Barra Funda era o primeiro movimento cultural organizado dos negros, o primeiro cordão da cidade, algo pequeno, composto por 15 a 20 pessoas. Este movimento foi o embrião do hoje A.C.S.E.S.M. CAMISA VERDE E BRANCO, ressurgida como escola de samba, graças a união dos sambistas do Grupo Barra Funda com os do Camisas Verdes, em 4 de setembro de 1953. (fonte Jornal USP ano XXII no.790)

A tradição carnavalesca paulistana, além do chamado “Carnaval de Rua”, consistente em bailes e brincadeiras populares pelas ruas da cidade, era centralizada na figura dos cordões, entre os quais destacavam-se justamente os Geraldinos, Mocidade do Lavapés, Ruggerone e Campos Elyseos, os maiores da cidade até então. A festa nas ruas e os desfiles de cordões ocorriam paralelamente e em harmonia, compondo o quadro cultural paulistano. Data de 1885 a primeira intervenção da Prefeitura Municipal de São Paulo no Carnaval, promovendo o primeiro desfile carnavalesco dos cordões existentes à época. Os cordões por longo tempo definiram a musicalidade da população operária paulistana, e neles é que se desenvolvia o samba paulistano.

Na década de 1930, começaram a surgir as primeiras Escolas de Samba, oriundas da Marcha-Rancho de Santana do Parnaíba, e dos desfiles das Grandes Sociedades na Avenida Paulista, e graças a influencia da Rádio Nacional que começara a transmitir os desfiles carnavalescos do Rio, nasce a E.S. Primeira de São Paulo . Os desfiles ainda eram organizados de forma mais artesanal, e como não havia ainda uma diferenciação em São Paulo, Cordões, Blocos e Escola de Samba desfilavam competindo pelo mesmo certame, o primeiro desfile de uma escola que se tem notícia foi em 1931 na Praça Patriarca no centro de São Paulo. Os desfiles já tinham caráter oficial desde 1935, eram financiados pela prefeitura de São Paulo, que oferecia local, arquibancadas, infraestrutura além de apoiar e oficializar campeonatos através da C.C.R.P, ou das Federações que ao longo dos anos comandavam as instituições carnavalescas daqui… logo então podemos dizer que o carnaval de São Paulo já era oficial desde então.

Porem graças a lacunas mal preenchidas, erros de administração, documentações perdidas infelizmente a oficialialização é feita pelo Prefeito José Vicente Faria Lima (carioca, nascido em Vila Isabel e apreciador de samba) em 1968, da Lei nº 7.100/67, destinada a regular a promoção do Carnaval pela Prefeitura Municipal de São Paulo, e regulamentada pelo Decreto nº 7.663/68. Essa lei, juntamente com a criação da Secretaria de Turismo e Fomento e as atividades por esta promovidas, encontrava-se num contexto de ampliação da atuação cultural da Municipalidade. Ainda como consequência desta política, foi idealizada no ano de 1968 e criada no ano de 1970 a Anhembi Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo S/A, (hoje chamada de SPTuris) sociedade de economia mista de capital aberto, que atualmente tem 77% de suas ações em propriedade da Prefeitura Municipal de São Paulo. A Anhembi teria, no futuro, papel de destaque nas transformações pelas quais passou o carnaval paulistano.

A edição da lei acima referida iniciou o fenômeno denominado “oficialização do Carnaval”. Embora aparentemente extremamente bem intencionada, a atuação da Prefeitura revelou-se desastrosa do ponto de vista cultural. Isso porque, embora o parágrafo único do artigo 1° da lei estipulasse vários investimentos públicos em infraestrutura para acomodar festejos em vários pontos da cidade, além de instituir verbas e premiações, na prática os recursos foram destinados unicamente a organizar o desfile das Escolas de Samba, decretando, pela falta de incentivo e recursos, o fim dos cordões e da ligação do Carnaval paulistano com suas raízes culturais.

Em 1977 o desfile foi transferido para a Avenida Tiradentes, onde eram construídas arquibancadas que comportavam (ainda que com pouca infraestrutura) trinta mil pessoas.

Em 1986, a organização das Escolas de Samba passou a ser feita nos moldes atuais, com a fundação da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo – LigaSP, que de certa forma, substituiu aUESP sem extingui-la, uma vez que a representação das agremiações tornou-se bipartite: as Escolas do Grupo Especial e do Grupo de Acesso (respectivamente a primeira e a segunda divisão) eram representadas pela LigaSP acima aludida; e as Escolas dos grupos inferiores, bem como os blocos pela UESP, que deixou de representar todas as Escolas como fazia desde a sua fundação. Em 1990, a Prefeita Luiza Erundina sancionou a Lei nº 10.831, que, de acordo com sua emenda “socializa o Carnaval da Cidade de São Paulo, revoga a Lei n° 7.100/67, e dá outras providências”. Esta lei acomete à Prefeitura, por meio do artigo 3°C/c artigo 2°, II, a responsabilidade de organizar o Carnaval, por meio da Anhembi S/A. A lei também reconhece e institucionaliza a representação das Escolas de Samba por meio de entidades associativas, que, desde 1986, funcionava da maneira acima descrita.

A lei n° 10.831/90 desencadeou a última mudança de endereço dos desfiles de Carnaval, que se deu em 1991, quando passaram a ser realizados no Polo Cultural Grande Otelo, uma grande passarela de mais de quinhentos metros construída na Avenida Olavo Fontoura, e popularmente conhecido por Sambódromo do Anhembi. Este local, de propriedade da Anhembi S/A, sedia os desfiles desde então, e nele ainda são realizados diversos eventos das mais variadas naturezas.

Temos, dessa forma, que a atuação administrativa da Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio de leis e decretos, e de seu órgão de administração indireta, interagindo com fatores históricos, sociológicos e antropológicos, determinou a forma atual do Carnaval paulistano, inclusive determinando o abandono de suas raízes culturais e musicais.

A partir de 2006 passou a vigorar dois títulos no Carnaval paulistano. O primeiro e mais importante título é o do Grupo Especial das Escolas de Samba, o outro título, passou a ser disputado apenas pelas escolas ligadas a torcidas organizadas de clubes de futebol, casos da Mancha Verde (ligada ao Palmeiras) e Gaviões da Fiel (ligada ao Corinthians), nascia assim o Grupo Especial das Escolas de Samba Desportivas. A intenção em 2006 era realizar apenas esse Grupo de Escolas Desportivas quando houvesse duas ou mais agremiações ligadas a clubes disputando o Grupo Especial do Carnaval, mas em 2007, mesmo com a presença apenas da Mancha Verde no Grupo Especial, o título foi mantido, dando o bicampeonato a torcida do Palmeiras, que levara o primeiro título desse novo grupo em 2006. Em 2008 o Grupo Especial das Escolas de Samba Desportivas deixou de existir, fazendo com que Gaviões da Fiel e Mancha Verde voltassem a disputar com as outras escolas o título do Grupo Especial no carnaval de 2008.

E depois de vários anos, sem sair do papel o Carnaval de São Paulo ganhará com previsão de término em 2016, a Fábricas de Sonhos nos mesmos moldes da Cidade do Samba, no carnaval carioca. que reunirá os barracões das principais escolas de samba do carnaval.

O carnaval é muito importante, para todos os brasileiros e até para os turistas de outros países, o carnaval é a imaginação, sonho, amor e muita alegria para todos.

Vídeo que apresenta a história do carnaval no Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Bahia.

<iframe width=”400″ height=”300″ src=”//www.youtube.com/embed/-tVSuVqxlFE?rel=0″ frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>

Agenda do Carnaval em Todos os Cantos de São Paulo -SP

21 DE FEVEREIRO, SEXTA-FEIRA

  • 16h – Banda Bantantã (bloco ao melhor estilo dos carnavais de antigamente)
    Local: Av. Waldemar Ferreira com Desembargador Armando Fairbanks, Butantã

22 DE FEVEREIRO DE 2014, SÁBADO   

  • 10h – Bangalafumenga (Bloco com músicas regionais, MPB, sambas e cirandas)
    Local: Ruas da Vila Madalena.
  • 11h – Bloco Barracão Folia
    Local: Rua Diana, 100 – Pompeia
  • 11h – Bloco do Ó
    Local: R. Horácio Lane, 21
  • 12h – Bloco Classe A
    Local: Rua Souza Lima, 295 – Barra Funda
  • 13h – Tarado Ni Você (Bloco com música do Caetano Veloso)
    Local:  Avenida Ipiranga com Avenida São João
  • 13h30 – Bloco Sargento Pimenta (Bloco carioca que mistura ritmos percussivos e músicas dos Beatles)
    Local:  Avenida Paulo VI
  • 14h – Banda Gueri-Gueri (Após longa pausa, tradicional banda do carnaval paulistano anuncia seu retorno)
    Local: Praça Estilac Leal (Monumento Às Bandeiras)
  • 14h – Bloco Nu’Interessa (bloco proposta de resgatar a tradição do saudoso carnaval de São Paulo
    Local: Rua Filinto de Almeida, atrás do Fórum de Pinheiros – Vila Madalena
  • 14h – Bloco da Ressaca
    Local: Largo do Cambuci, s/nº – Cambuci
  • 14h – Moocarnaval (Primeiro Carnaval de Rua da Mooca)
    Local: Rua Taquari, 549
  • 17h – Kolombolo (Bloco que homenageia e valoriza a velha guarda do samba e os costumes dos antigos carnavais de São Paulo)
    Local: Ruas da Vila Madalena.
  • 14h – Pimentas do Reino
    Local: Rua Girassol, s/número
  • 14h30 – Bloco Esquenta do Partido Alto 
    Local: Pholia da Luz – Estação da Luz
  • 15h15 – Bloco Unidos do Abaeté
    Local: Pholia da Luz  – Estação da Luz
  • 16h15 – Bloco Med Pholia
    Local: Pholia da Luz- Estação da Luz
  • 17h15 – Bloco A Bruxa Tá Solta
    Local: Pholia da Luz – Estação da Luz
  • 18h15 – Bloco Império do Morro
    Local: Pholia da Luz – Estação da Luz
  • 19h15 – Escola de Samba Quilombo
    Local: Pholia da Luz – Estação da Luz
  • 20h15 – Bloco Fuzuê
    Local: Pholia da Luz – Estação da Luz

23 DE FEVEREIRO DE 2014, DOMINGO

24 DE FEVEREIRO – SEGUNDA-FEIRA

  • 19h – Banda Redonda
    Local: Teatro de Arena – Rua Theodoro Baima, 94 – Consolação

25 DE FEVEREIRO – TERÇA-FEIRA

  • 16h – Bloco Umes Caras Pintadas
    Local: Praça Dom Orioni, s/nº – Bela Vista

26 DE FEVEREIRO – QUARTA-FEIRA

  • 17h – Banda do Candinho
    Local: Rua Santo Antônio com a Rua Treze de Maio, s/nº – Bixiga

28 DE FEVEREIRO – SEXTA-FEIRA

  • 19h – Banda do Trem Elétrico
    Local: Rua Augusta com a Rua Luiz Coelho, s/nº – Consolação
  • 19h30 – Ilu Obá de Min
    Local: embaixo do Viaduto do Chá – Centro
  • 22h – Bloco do Sargento Pimenta (Bloco carioca que mistura ritmos percussivos e músicas dos Beatles)
    Local: Cine Joia, Praça Carlos Gomes, 82 – Liberdade.

1º DE MARÇO – SÁBADO

  • Bloco Bastardo
  • 13h – João Capota na Alves 
    Local: Viaduto Metro Sumaré, s/número
  • 13h – Jegue Elétrico
    Local: Rua Lisboa, s/n° – Pinheiros

2 DE MARÇO – DOMINGO

  • Bloco Bastardo
  • 13h – Jegue Elétrico
    Local: Rua Lisboa, s/n° – Pinheiros
  • 15h – Bloco Fluvial do Peixe Seco (Bloco passa pelas ruas por onde correm os rios Saracura e Anhangabaú)
    Local:
     Praça 14 Bis, s/nº – Bela Vista

3 DE MARÇO – SEGUNDA-FEIRA

  • Bloco Bastardo
  • 10h – Bloco Esfarrapado
    Local:  Rua Conselheiro Carrão, 466 – Bixiga
  • 13h – Jegue Elétrico
    Local: Praça Roosevelt, s/n° – Consolação

4 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA

  • Bloco Bastardo
  • 15h – Bloco do Ó
    Local: R. Horácio Lane, 21

 

Fonte:http://www.guiadasemana.com.br/turismo/noticia/carnaval-de-rua-em-sao-paulo-2014

,

Grande Baile de Máscaras no Vivo Rio

A 3° edição do Grande Baile de Máscaras, considerado o maior baile de máscaras do Brasil que reúne cerca de 4.000 pessoas e resgata a magia dos carnavais mascarados, acontece no sábado, 1 de março, no Vivo Rio.

Este ano a festa faz homenagem a Jorge Ben Jor e conta com o Samba de Santa Clara, a Bateria da Mangueira, a Banda de Marchinhas, o Original Favela LIVE AV Show e os DJs Gigga e Bernardo Malta.

O evento tem início às 22h e o preço do ingresso custa a partir de R$ 60. Cada ingresso dá direito a uma máscara, que será entregue nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1 de março no Vivo Rio.

CARNAVAL PHOLIA NA LUZ

24º edição

Local: Parque da Luz

Endereço: Praça da Luz, s/n – Bom Retiro

Horário: 22/02 das 15h às 20h45 23/02 das 15h às 20h

Promotor: Associação das Bandas, Blocos e Cordões Carnavalescos do Município de São Paulo – ABBC

Informações: http://www.pholia.com.br

 

,

FESTA DA UVA / 5ª FESTA DO VINHO

Local: Parque Municipal Jayme Ferragut
Endereço: Av. Apparecida Tellau Seraphim, s/n
Horário: Quintas e sextas-feiras, a partir das 18h Sábados e domingos a partir das 10h Segunda e terça-feira de Carnaval a partir das 18h
Promotor: Prefeitura Municipal de Vinhedo / Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

A Festa da Uva de Vinhedo começou em 1948. É o maior evento turístico da cidade. Com entrada franca, tem atrações culturais e entretenimento para toda família. Em 2010 a festa ganhou a inserção da 1ª Festa do Vinho, uma iniciativa da atual administração municipal da cidade com apoio da Secretaria de Cultura e Turismo – Sectur para alavancar e prestigiar o empreendedorismo dos fabricantes do vinho artesanal do município. Atrações da festa: exposição e vendas de frutas, leilão de frutas, passeios turísticos, atrações culturais, artesanato, passeio de motos, parque de diversões, praça de alimentação, desfile de cavaleiros e grandes shows musicais gratuitos.

Confira as datas e os shows:

  • 08/02 – RIONEGRO & SOLIMÕES
  • 09/02 – JADS & JADSON
  • 13/02 – PG
  • 14/02 – SAMBÔ
  • 15/02 – GUSTTAVO LIMA
  • 16/02 – THIAGUINHO
  • 20/02 – FLAVINHO
  • 21/02 – TITÃS
  • 22/02 – MATOGROSSO & MATHIAS
  • 23/02 – BRUNO & MARRONE

Shows a partir das 20h com Entrada Gratuita.

Além desta programação com artistas conhecidos nacionalmente, teremos muitas apresentações artísticas locais no recinto do evento.

Serviço:
53ª Festa da Uva e 5ª Festa do Vinho de Vinhedo
de 8 a 23 de fevereiro de 2014

Quintas e sextas-feiras, a partir das 18h
Sábados e domingos a partir das 10h

ENTRADA GRATUITA

Local: Parque Municipal Jayme Ferragut
Av. Apparecida Tellau Seraphim, s/n – Vinhedo/SP

Informações para grupos / excursões: (19) 3232.9794

Informações: (19) 3876.4182 | (19) 3876.1333

Mapa Localização

 

 

,

O Fantasma da Ópera no Royal Albert Hall

O Fantasma da Ópera no Royal Albert Hall

O Fantasma da Ópera no Royal Albert Hall é uma adaptação para o cinema britânico de 2011, de 1986 musical de Andrew Lloyd Webber The Phantom of the Opera, que por sua vez foi baseado no romance francês ç de Gaston Leroux.
Para comemorar o 25º aniversário de O Fantasma da Ópera, três apresentações especiais foram filmados no Royal Albert Hall, o terceiro dos quais foi transmitido ao vivo em todo o mundo no dia 2 de outubro de 2011. Para mais lançamentos, filmagens de todas as três performances foi editado em conjunto.

O Fantasma da Ópera no Royal Albert Hall

Produção / Idéia

Para assinalar o marco extraordinário de 25 anos , Andrew Lloyd Webber e Cameron Mackintosh planejado uma produção especial de 3 dias a ter lugar no Royal Albert Hall de Londres , em outubro de 2011. Designer Matt Kinley inicialmente prevista a realização de uma produção ao estilo de concerto e não ao contrário do concerto Les Misérables 25th Anniversary na O2 Arena , mas Mackintosh deixou claro o show seria totalmente encenado, como ele e Webber sentiu que não iria funcionar a menos que fosse todo o show . Como resultado , o evento foi planejado como um show completo no Royal Albert Hall.

Royal Albert Hall

Projetando o show encenado no Royal Albert Hall foi uma tarefa difícil , já que o espaço (ou falta de) não foi fácil para traduzir um show em proscênio. Como uma sala de concertos , em vez de um teatro, muitos dos elementos do show (como o lustre) teve que ser reduzida e simplificada , o Royal Albert Hall não era simplesmente capaz de aceitar um show do tamanho de O Fantasma da Ópera (que já é notório por ser muito difícil para o estágio), ou pelo menos não o original completo. As varandas do salão foram usados ​​para construir postes para formar um proscênio ópera com caixas de cada lado. A orquestra foi elevado em uma plataforma e apoiado por uma gaze que projetou os cenários de ópera através de LEDs .

Transmissão Simultânea

Os ingressos para as três apresentações esgotaram em cinco horas de ir à venda . A fim de permitir que mais pessoas vejam a produção , o desempenho final foi transmitida ao vivo para cinemas de todo o mundo através de Fathom Events. A produção foi posteriormente lançado em DVD e Blu -ray. Ele também foi recentemente lançado com sequela do musical, Love Never Dies .

Sinopse

No fictício Opera Populaire (baseado na Ópera de Paris ) , em 1905 , um leilão de adereços teatrais antigos está em andamento. Lote 665, adquirido pelo Raoul idosos, Visconde de Chagny , é uma caixa de música em forma de um macaco , que é familiar a ele, e ele fala de uma misteriosa “ela” – que os detalhes da caixa de música do estranho pouco aparecem ” exatamente como ela disse . ” Lote 666 é um lustre quebrado que é reivindicada pelo leiloeiro ter sido relacionadas com ” o estranho caso do Fantasma da Ópera , um mistério nunca totalmente explicado “, tendo aparecido em algum grande desastre nos últimos anos. Como o lustre – que foi substituído , em parte, com a nova fiação elétrica – é descoberto , ele ilumina conforme os anos vão para trás e para a Ópera volta a grandeza de seus anos 1880 ( ” Overture ” ) .

Ato I

É agora 1881. Como Carlotta , residente soprano prima da Opéra donna, ensaia para o desempenho daquela noite , um pano de fundo cai sem aviso prévio. ” O Fantasma ! Ele está aqui ! ” os membros do elenco ansiosos sussurrar . Os novos donos do Opera , Firmin e André , para tentar minimizar o incidente, mas Carlotta se recusa a continuar e tempestades fora do palco . Meg Giry , a filha da amante do balé da Ópera Madame Giry , diz Firmin e André que Christine Daaé , uma corista sueca e filha órfã de um violinista proeminente, foi ” bem ensinado ” , e podia cantar o papel de Carlotta . Com o cancelamento do desempenho sua única alternativa , os proprietários relutantemente audição Christine , e para sua surpresa, ela está à altura do desafio ( “Think of Me” ) .
Backstage depois de sua estréia triunfante, Christine confessa a Meg que ela sabe que seu misterioso professor apenas como um ” Anjo da Música ” invisível ( ” Anjo da Música ” ) . O novo patrono , Raoul , Visconde de Chagny , encontra Christine , seu velho companheiro de infância , em seu camarim ( “Pequena Lotte” ) . Christine lembra Raoul sobre o ” Anjo da Música ” histórias que seu falecido pai costumava dizer-lhes , e confia que o Anjo foi visitá-la e lhe dado sua voz surpreendente. Raoul bom humor aceita sua revelação, tendo em passo , e ele a convida para jantar , que remete claramente para – e desejando continuar – a sua amizade de infância . Christine , a sua perplexidade , não é tão disposto , alegando que seu anjo é um capataz severo e que ele não vai ser satisfeito com a sua ausência. Raoul sai , ainda com a intenção de levar Christine para jantar, e um fantasma ciumento materializa no espelho de Christine sob o disfarce de O Anjo da Música ( ” The Mirror / Anjo da Música (Reprise )”) . Christine implora para ele revelar. O Fantasma obriga , em seguida, orienta -a para um reino subterrâneo espectral ( ” O Fantasma da Ópera ” ) . Eles atravessam um lago subterrâneo para seu esconderijo secreto debaixo da casa de ópera. Ele então explica que ele escolheu Christine cantar sua música e serenatas dela (“The Music of the Night” ) . Oprimido , Christine desmaia eo Fantasma carrega -la a uma cama e expressa sua adoração por ela.
Como o Fantasma compõe música em seu órgão ( “Eu me lembro … ” ) , Christine desperta ao som da caixinha de música macaco. Ela desliza por trás do Phantom, levanta a máscara, e contempla o rosto dele. O Fantasma trilhos para ela, condenando -a por sua curiosidade , então com tristeza expressa seu desejo de parecer normal e ser amado por ela ( “Stranger Than You sonhei It”) .
Enquanto isso, dentro da casa de ópera , Joseph Buquet , da Opéra chefe stagehand – que, como Madame Giry , inexplicavelmente sabe muito sobre o Phantom- presenteia a todos com contos do ” Ghost Opera ” e seu terrível Punjab Lasso ( “Mágico Lasso ” ) . Madame Giry adverte Buquet de exercer contenção. No escritório dos gestores , Madame Giry entrega uma nota do Phantom: ele exige que Christine substituir Carlotta na nova ópera, Il Muto , ou haverá um terrível desastre ” além da imaginação ” ( ” Notas … ” ) . Firmin e André assegurar a Carlotta enfurecido que ela continuará a ser a estrela ( “Prima Donna “), mas durante a sua performance, um desastre ( “Pobre tolo, ele me faz rir ” ) . O Fantasma reduz voz de Carlotta para um coaxar de sapo . Um interlúdio ballet começa , para manter o público entretido. De repente, o corpo de Buquet , pendurado no laço Punjab , gotas das vigas . Firmin e André pleitear à calma – “Foi apenas um acidente … simplesmente um acidente! ” – Como o riso diabólico do Fantasma é ouvido.
Na confusão que se seguiu, Christine escapa com Raoul para o telhado , onde ela conta a ele sobre seu encontro subterrâneo com o Fantasma. Raoul é cético (“Por que você me trouxe aqui ? / Raoul , eu estive lá “), mas jura amar e para protegê-la sempre ( “All I Ask of You ” ) . O Fantasma , que ouviu a conversa , está inconsolável . Ele com raiva jura vingança ( “All I Ask of You (Reprise )”) , e destrói poderoso lustre da ópera com uma enorme explosão quando a cortina cai.

Ato II

Seis meses depois, no meio de um esplêndido baile de máscaras , o Phantom, fantasiados como o vermelho da morte , faz sua primeira aparição desde o desastre lustre ( ” Masquerade / Por que tão silenciosa ?”) . Ele anuncia aos convidados atordoados que ele escreveu uma ópera intitulada Don Juan Triunfante. Ele exige que ela seja produzida de imediato, com Christine (que agora está noiva de Raoul ) como o papel feminino principal , e ameaça terríveis consequências se suas instruções não são implicitamente obedecido antes de desaparecer em um flash fantasmagórica de fogo e fumaça. Raoul exige que Madame Giry contar-lhe sobre o Fantasma . Relutantemente, ela responde que ele é um músico brilhante e mágico nascido com um rosto terrivelmente deformado , que escapou do cativeiro em um show de horrores viajar e desapareceu.
Durante os ensaios , Raoul – cansado da tirania com que o Fantasma governa o Opera – pensa em usar a estréia de Don Juan Triunfante como uma armadilha para capturar o Fantasma e colocar um fim ao seu reinado de terror de uma vez por todas. Carlotta acusa falsamente Christine de ser o mentor e que é o seu plano para que ela possa ser a estrela . Christine confirma que não é verdade, e ninguém acredita Carlotta . Tempestades Carlotta em raiva . Raoul , sabendo da obsessão do fantasma com sua noiva , ele afirma que o Fantasma terá a certeza de assistir ( ” Notes / trançado todos os sentidos” ) . Christine , dividida entre seu amor por Raoul e seu medo de / piedade para o Fantasma, visita o túmulo , desejando de seu pai para a sua orientação ( “Desejando You Were Here Again alguma forma ” ) . O Fantasma aparece, mais uma vez, sob o pretexto de o Anjo da Música ( “Criança errante” ) . Christine , cansado e com o coração partido , mais uma vez aceita a sua “Angel” como um amigo, quase sucumbindo à influência do Phantom, mas Raoul chega para resgatá-la tanto e confrontar seu suposto seqüestrador . O Fantasma provocações Raoul , magicamente convocar pilares de fogo para eles ( ” Bravo Monsieur ” ) , até que Christine implora Raoul para sair com ela. Furioso, o Fantasma coloca fogo para o cemitério , prometendo vingança contra os dois.
Don Juan Triunfante abre com Christine e Ubaldo Piangi , principal tenor da ópera , cantando os papéis principais ( ” Don Juan ” ) . Durante dueto de Don Juan e Aminta , Christine chega à conclusão de repente que ela não está cantando com Piangi , mas com o próprio Fantasma (“The Point of No Return” ) . Imitando voto de devoção de Raoul de “All I Ask Of You” , o Fantasma mais uma vez expressa o amor por Christine e desliza o anel em seu dedo ; Christine arranca a máscara , expondo o rosto terrivelmente deformado para o público chocado. O caos se instala . Corpo estrangulado da Piangi é revelado nos bastidores , o elenco ea platéia voar em um estado de pânico , eo Fantasma apreende Christine e foge do teatro. Uma multidão enfurecida , jurando vingança por Buquet de óbitos e intempestivas do Piangi , pesquisa o teatro para o Fantasma, enquanto Madame Giry diz Raoul como encontrar toca subterrânea do Phantom, e avisa para ter cuidado com seu laço Punjab.
No covil, Christine é forçado a vestir um vestido de noiva ( “Down Once More / Track Down Este Assassino ” ) . Raoul encontra o esconderijo e tenta convencer o fantasma de sobra Christine , alegando que o Fantasma descarregar sua ira sobre ele em seu lugar. O Fantasma se recusa , alegando que sua intenção nunca foi ferir Christine para de Raoul “pecados “. O Fantasma captura Raoul com seu laço e se vira para Christine – ele pechinchas que ele irá libertar Raoul se ela concorda em ficar com ele para sempre , se ela se recusa , Raoul vai morrer ( ” final Lair ” ) . Christine , desolado, indica para o Fantasma que é sua alma que é deformado , e não o rosto, e beija-o nos lábios , mostrando -lhe a compaixão , mas não percebendo que ela iria sentir algo mais eo beija novamente mais com toda a paixão em dela . O Fantasma , tendo experimentado a bondade, compaixão e amor pela primeira vez , define os dois dando livre Christine a vida que ele não pode na escuridão e no subsolo. Christine retorna o anel do Fantasma para ele, e ele diz a ela que a ama como ela retorna seu anel. Claramente lutando , Christine obriga -se a afastar-se saber que ela o ama , mas o gás para sair e existe com Raoul . Agora fora do escravo de sua loucura , o Fantasma faz o seu caminho para o seu trono e se cobre com o seu manto , lamentando o tempo todo para Christine . As tempestades da máfia do covil e Meg se afasta a capa , mas o fantasma desapareceu , apenas a máscara permanece.

Grande Final

Depois o elenco arco -out, Andrew Lloyd Webber fez um discurso para o público antes de trazer o time Royal Albert Hall criativo, a equipe criativa original , Michael Crawford e Sarah Brightman . Brightman cantou ” The Phantom of the Opera” , com cinco Phantoms : Colm Wilkinson da produção canadense , Anthony Warlow da produção australiana , Peter Jöback , que já desempenhou o papel tanto no West End e da Broadway , John Owen -Jones do Londres e produções UK Tour, e Ramin Karimloo . O desempenho foi concluída quando os cinco Phantoms cantou ” The Music of the Night ” , junto com todo o elenco e equipes criativas para o grand final.

Elenco

Ramin Karimloo como O Fantasma
Sierra Boggess como Christine Daaé
Hadley Fraser como Raoul, Visconde de Chagny
Wendy Ferguson como Carlotta Giudicelli
Liz Robertson como Madame Giry
Daisy Maywood como Meg Giry
Barry James como Monsieur Richard Firmin
Gareth Snook como Monsieur Gilles André
Wynne Evans como Ubaldo Piangi
Nick Titular como Joseph Buquet
Earl Carpenter como Leiloeiro