Posts

,

São Paulo Fashion Week Inverno 2016 RTW

A 40ª edição do SPFW que comemora os 20 anos do calendário oficial da moda brasileira acontecerá de 18 a 23 de outubro e celebrará os processos e as singularidades do fazer.
A abertura oficial da temporada será no domingo com evento comemorativo do legado do SPFW para a cidade de São Paulo, seguido de desfile de Alexandre Herchcovitch e da edição Inverno 2016 da Fashion Run. Uma série de conteúdos interativos, ao longo da semana, vai destacar a capacidade humana de criar com as mãos e inspirar novas possibilidades, do artesanal ao tecnológico, do princípio ao início, em constante evolução, sempre em busca de novos pontos de partida.

CALENDÁRIO:

18.10 (domingo)
Alexandre Herchcovitch – Prefeitura de São Paulo

19.10 (segunda-feira)
Animale
Uma Raquel Davidowicz
Ronaldo Fraga
Lilly Sarti

20.10 (terça-feira)
Vitorino Campos – Casa Jaguar
Iódice – Pier 88
GIG Couture
João Pimenta
PatBo
Ellus

21.10 (quarta-feira)
Reinaldo Lourenço
Samuel Cirnansck
Apartamento 03
Coven
Hêlo Rocha

22.10 (quinta-feira)
Lethícia para Riachuelo
Gloria Coelho
Fernanda Yamamoto
Juliana Jabour
Lolitta
Lino Villaventura
Osklen

23.10 (sexta-feira)
Giuliana Romanno – Galeria Rabieh
Patricia Viera – Universidade Belas Artes
Wagner Kallieno
Ratier
Colcci
Amapô

Site Oficial.

,

Entretenimento

É a presença de uma audiência que torna qualquer atividade privada de recreação ou lazer em entretenimento. A audiência pode ter um papel passivo, como quando se assiste a uma peça teatral, ópera, programa de televisão ou filme; ou um papel ativo, como no caso dos jogos. O entretenimento pode ser público ou privado e envolver uma atuação formal e pré-determinada, como no caso do teatro ou dos concertos, ou uma atuação espontânea, como no caso dos jogos. Muitas das formas de entretenimento são transversais ao longo da História e das culturas e evoluem em função das alterações culturais e tecnológicas. Os filmes e os jogos eletrónicos, por exemplo, embora façam uso de novos suportes e media, continuam a narrar histórias e a fazer uso da música. Os festivais dedicados à música, cinema ou dança permitem o entretenimento de uma audiência ao longo de vários dias consecutivos.

Algumas das atividades que outrora foram consideradas entretenimento, como as execuções públicas, foram sendo sucessivamente removidas da esfera pública. Outras atividades que ao longo da História foram competências essenciais de determinadas profissões, como o manejo de espadas ou o tiro com arco, são hoje desportos de competição, tornando-se ao mesmo tempo formas de entretenimento à medida que se tornam apelativos para uma audiência cada vez maior. O que um grupo ou indivíduo interpreta como entretenimento pode ser encarado como trabalho por outros.

O entretenimento proporciona divertimento, satisfação pessoal e boa disposição. Em determinadas circunstâncias e contextos, o entretenimento tem adjacente um propósito sério, como no caso de celebrações, festividades religiosas ou sátiras. Como tal, existe a possibilidade de que o que aparenta ser entretenimento possa também ser uma forma de desenvolvimento cultural e intelectual. O apelo do entretenimento, a par com a sua capacidade de usar diferentes media e do seu potencial para adaptações criativas, tem assegurado a continuidade e longevidade de muitas formas, temas, imagens e estruturas sociais.

Definição

O entretenimento é diferente de atividades como a educação ou o marketing, embora essas atividades tenham aprendido a recorrer ao apelo do entretenimento como ferramenta auxiliar. A importância e o impacto do entretenimento é reconhecida no meio académico e a sua crescente sofisticação tem influenciado a prática em campos tão diversos como a museologia.

A psicologia determina que a função do entretenimento é a obtenção de gratificação pessoal ou coletiva. Normalmente, não se espera mais nenhum resultado ou benefício quantificável. O entretenimento tem mecanismos opostos à educação, a qual é concebida com a função de desenvolver as capacidades de compreensão ou de ajudar as pessoas na aprendizagem, e do marketing, cuja função é aliciar as pessoas a comprar produtos. No entanto, a fronteira tem-se tornado ténue à medida que a educação procura incorporar elementos recreativos e o entretenimento e o marketing procuram incorporar elementos educativos. Estas simbioses são conhecidas pelos neologismos de edutainment ou infotainment. No entanto, muitas situações em que se combina entretenimento com educação são tentativas sérias de conjugar as melhores valências de cada um.

O entretenimento pode ir para além da simples gratificação e ser um veículo de transmissão de elementos culturais na audiência. Muitas das grandes questões filosóficas e existenciais podem proporcionar uma infinidade de narrativas, apresentadas na forma de histórias, argumentos de cinema ou teatro, poesia, literatura, dança, banda desenhada ou jogos. Entre as obras dramáticas que articulam questões filosóficas contam-se exemplos tão diversos como o influente Hamlet de Shakespeare, que explora temas como a traição, vingança, incesto, corrupção e moralidade, ou The Matrix, que explora a natureza do conhecimento. Os romances proporcionam igualmente um vasto leque de exploração de questões filosóficas ao mesmo tempo que entretêm os leitores. Um dos exemplos de uma obra criativa que apresenta questões filosóficas de forma entretida é The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy; inicialmente um programa de humor radiofónico, a história tornou-se tão popular que foi adaptada para a litaratura, cinema, televisão, teatro, banda desenhada, audiobook, jogos eletrónicos, e traduzida para várias línguas. Os temas apresentados vão desde o sentido da vida à ética do entretenimento, inteligência artificial, Deus ou métodos filosóficos.

História

A narração de histórias desempenha um papel importante na maior parte das formas de entretenimento desde a pré-história, e cujo método simples ainda hoje é um comportamento cultural frequente.

A mesma peça dramática pode ser apresentada num teatro ao ar livre, num musicl hall, numa sala de cinema ou através de um dispositivo eletrónico pessoal, como um tablet. A alteração do contexto histórico, cultural, tecnológico e económico influencia a escolha ou a preferência por determinados recintos de entretenimento, embora as características principais de cada um deles pouco se tenha alterado ao longo dos séculos. Desde a antiguidade que existem estruturas arquitetónicas dedicadas em exclusivo às formas de entretenimento, como teatros, auditórios e estádios. Um dos recintos mais notáveis é o Coliseu de Roma, onde eram apresentados ao público espetáculos, competições, corridas e desportos.

Algumas formas de entretenimento tornaram-se controversas, tendo algumas sido proibidas. A caça de animais selvagens é ainda hoje vista por alguns como entretenimento, embora outras formas de entretenimento com recurso a animais se tenham tornado extremamente controversas. A caça desportiva, enquanto forma de entretenimento público e espetáculo, foi introduzida no Império Romano a partir de Cartago.

Algumas das formas de entretenimento, sobretudo música e peças dramáticas, deram origem a inúmeras variantes de forma a responder a um vasto leque de preferências pessoais e expressões culturais. Muitas das formas de entretenimento estão incorporadas ou são apoiadas por outras formas. Por exemplo, muitas das peças dramáticas recorrem à música para realçar a sua expressividade. Outras formas incorporam jogos ou desporto de forma a serem mais atrativas. É relativamente comum que a origem de algumas formas de entretenimento tenham tido origem em atividades tidas como sérias ou necessárias (como a corrida ou o salto), que evoluem para competição e, consequentemente, para entretenimento. Os combates de gladiadores, populares durante a época Romana, são um bom exemplo de uma atividade que combina desporto, castigos corporais e entretenimento. Eexemplos de entretenimento violento como este têm servido como argumento para a posição de que o entretenimento contemporâneo é menos violento do que no passado, apesar do recurso à violência como forma de entretenimento nos media modernos. Muito do equipamento para atividades outrora necessárias, como a pesca, foi alvo de inovações tecnológicas em função da sua função recreativa.

Embora a maior parte das formas de entretenimento tenha sido constante ao longo da História, algumas formas bastante populares em épocas passadas já não são vistas como aceitáveis. Por exemplo, durante vários séculos a participação popular no julgamento e castigo de criminosos e proscritos, ou outras cerimónias de humilhação pública eram vistas como entretenimento. Mesmo a execução de penas capitais como o enforcamento e a decapitação, exibidas em público como medida de dissuacção, eram vistas em parte como entretenimento, chegando-se mesmo a optar por execuções com processos demorados, como o apedrejamento, de forma a prolongar o espetáculo público. Os castigos públicos enquanto entretenimento só cessaram no século XIX, fruto da crescente contestação na classe média.

Infância

O entretenimento infantil centra-se em jogos e brincadeiras, e é fundamental na aprendizagem, desenvolvimento e formação de personalidade da criança. Os adultos ensinam e transmitem várias formas de entretenimento e muitas das atividades apelativas às crianças, como os fantoches, palhaços, pantominas ou banda desenhada são também apreciadas por adultos.

A maior parte das formas de entretenimento pode ser adaptada para se ajustar ao interesse e capacidade das crianças. Durante o século XX, tornou-se evidente que o desenvolvimento psicológico das crianças se processa em estágios e que as suas capacidades são diferentes das dos adultos. Começam a surgir histórias e atividades desenvolvidas especificamente para uma audiência infantil, na forma de livros, filmes ou jogos. São implementados sistemas de classificação etária de forma a orientar melhor o público.

Na atualidade, tal como acontece para os adultos, estão disponíveis várias formas de entretenimento para crianças através da internet, o que constitui uma alteração significativa em relação a épocas anteriores. A quantidade de tempo dispendida pelas crianças em entretenimento proporcionado pela televisão ou computadores, a par do assinalável colapso da relação da criança com o meio envolvente, tem sido alvo de diversas críticas pelo efeito negativo que acarreta a nível da imaginação, cognição e bem-estar psicológico.

Formas Músicas

A música é um componente fundamental em muitas formas de entretenimento e em vários artes performativas. É usada para realçar determinados aspetos de uma narrativa, é indispensável na dança (1) e na ópera, e é muito frequentemente incorporada em filmes e peças de teatro.21

A música é em si própria uma forma autónoma de entretenimento popular e universal. De acordo com o ritmo, instrumentos, estilo e forma de atuação, a música pode ser dividida em vários géneros, como a música clássica, o jazz, folk ou o rock. Até ao século XX, as atuações musicais estavam ao alcance de apenas uma minoria capaz de pagar a atuação dos intérpretes. A introdução do registo em suportes pré-gravados, para venda ou difusão radiofónica, fez com que a música passasse a ser um bem de consumo, disponível de forma barata a milhões de pessoas.

Todas as atuações musicais constituem uma forma de entretenimento, independentemente de serem ou não amplificadas ou de serem interpretadas a solo, em coro, orquestra ou conjunto. As atuações ao vivo são realizadas em recintos próprios, com tamanho variável, interiores ou exteriores e desde gratuitos a caros. Os diferentes tipos de audiência têm diferentes expectativas em relação aos intérpretes e ao seu próprio papel durante a atuação. Por exemplo, determinadas audiências preferem a audição em silêncio e são entretidas puramente pela excelência da música ou da interpretação, enquanto que outro tipo de audiência recebe o entretenimento através do ambiente e participação coletiva. Grande parte dos ouvintes é entretida pela audição em privado de música pré-gravada.

Os instrumentos usados em entretenimento musical podem ser constituídos apenas pela voz, serem apenas instrumentais, ou serem alguma conjugação de ambos. A audiência pode ser individual, móvel, pequena ou grande. O canto é normalmente acompanhado por instrumentos, embora algumas formas usem apenas a voz.

,

São Paulo Fashion Week

O evento começou a ser realizado no ano de 1996, com o nome de Morumbi Fashion Brasil na Bienal de São Paulo do Parque do Ibirapuera em São Paulo organizado pelo Grupo Luminosidade do empresário e promoter de eventos Paulo Borges. O Morumbi Fashion modificou completamente o mundo da moda brasileiro. Foi nesse período que marcas internacionais como Chanel, Versace, Gucci começaram a chegar ao Brasil. Isso trouxe uma mudança significativa para a indústria têxtil do país. Acirrados pela abertura das importações do Governo Collor os empresários brasileiros foram obrigados a investir em tecnologia de ponta, máquinario e mão-de-obra especializada, para concorrer com o mercado estrangeiro que crescia no Brasil. O evento ganhou o nome de São Paulo Fashion Week em sua décima edição em janeiro de 2001.

No início, eram realizados quatro desfiles por dia com público de 300 pessoas. Foi nesse período que começaram surgir as supermodelos brasileiras como Gisele Bündchen, Isabeli Fontana, Ana Claudia Michels, Alessandra Ambrósio dentre outras hoje todas com carreira e fama internacional que trouxeram maior renome e prestígio ao evento. Nessa época muitas marcas brasileiras como Colcci, Osklen, Cavalera, TNG, Triton, Virzi, Zapping, Animale começaram a ter fama internacionalmente e se tornaram grandes multimarcas. Muitos estilistas também despontaram nessa época, como Ricardo Almeida, Reinaldo Lourenço, Alexandre Herchcovitch, Glória Coelho, Victor Dzenk, Ronaldo Fraga, Amir Slama, Tufi Duek, Maria Fernanda Lucena, Neil Barret, Patrícia Vieira, Raia de Goeye, Lorenzo Merlino, Márcia Ganem. Dentre esses destacaram-se os estilistas Carlos Miele, Francisco Costa, diretor criativo da Calvin Klein Collection hoje estilistas de renome internacional.

Durante este tempo, estilistas, produtores, modelos, patrocinadores, tecelagens, jornalistas, agências, indústrias e técnicos se profissionalizaram e ganharam espaço na área. Hoje, o foco da semana não é apenas divulgar o trabalho dos criadores, mas, principalmente, organizar a produção de moda no Brasil, internacionalizar os desfiles e fomentar novos negócios. Em 2008 a empresa holding InBrands se tornou sócia do Grupo Luminosidade e ambos passaram a promover juntamente o evento. A parceira trouxe maior crescimento ao evento atraíndo um número maior de investidores e patrocinadores e movimentando ainda mais o mercado fashion brasileiro.

Hoje o evento acontece duas vezes por ano, com duração de seis dias cada uma, em março, apresentando a coleção de primavera-verão e outra em outubro, apresentando a coleção de outono-inverno. No decorrer dos anos, os investimentos no evento cresceram de 600 mil reais em sua primeira edição, para mais de cinco milhões de reais por edição. E tambem houve um aumentou significativo do numero de estilistas que participam do evento de 21 para 34 participantes e o público também cresceu, atualmente mais de 1 milhão pessoas visitam o evento contra cem mil em 1996.

Por isso, hoje a SPFW e o evento de moda mais importante da América Latina e aparece como a quinta maior semana de moda do mundo, ao lado de Paris, Milão, Nova Iorque e Londres. A semana de moda ja foi destaque nas mais importantes publições de moda do mundo e atualmente mais de duzentos veículos de imprensa internacional como as revistas Vogue, Elle, Vanity Fair, Harper’s Bazaar, Cosmopolitan fazem a cobertura do evento. O mesmo acontece com a cobertura jornalística nacional, são dois mil profissionais credenciados, contra os 250 dos primórdios.

A fashion week também foi responsável por criar diversos outros eventos paralelos voltados para as redes de fast-fashion e grandes produtores textéis que servem de suporte para levar as coleções apresentadas na semana de moda para as grandes lojas gerando um público mais abrangente. Algumas das modelos mais famosas do mundo como Naomi Campbell, Candice Swanepoel, Karolina Kurkova ja desfilaram no evento.

Algumas new faces tiveram a projeção de suas carreiras através do evento. É o caso de Rhaisa Batista, Emanuela de Paula, Aline Weber, Martha Streck entre tantas outras hoje famosas internacionalmente. Alguns modelos não alcançaram fama gigantesca após o evento, mas são considerados modelos de sucesso por muitos fotógrafos e estilistas, como por exemplo: Aleccia Moraez, Rafa Coleone, Luccas Molleto e Karina Colcci. Além de estruturar toda industria textil do país o evento já foi marcado pelo apoio a diversas campanhas pela fome, pela prevenção do Câncer e da Aids, reciclagem do lixo, educação entre outras causas sociais. A cada edição o evento conta com exposições de arte, fotografia e moda de renomados artistas brasileiros e internacionais.

SPFW Inverno 2009

Paulo Borges entrou no universo da moda sem nenhuma relação anterior com isso, começou ajudando um amigo a produzir desfiles e assim, descobriu o que realmente gostava de fazer. “Eu não sou estilista, não sou formado em moda e nunca fiz nada relacionado a isso. Quando era moleque passava o dia na igreja assistindo casamentos, de certa forma, aquilo é um tipo de desfile, acho que é a coisa mais próxima que eu tinha da moda.”, diz.

Mesmo sem tanta experiência no ramo, Paulo Borges decidiu seguir em frente porque era algo no que realmente acreditava. Hoje, ele é um dos maiores nomes da moda no Brasil e fez da SPFW uma referência para as semanas de moda que existem no mundo todo.

Inspire-se com a história de Paulo Borges e saiba como ele transformou a indústria da moda e colocou o Brasil no radar mundial do setor.

SPFW – VERÃO 2010 | Lounge – Exposição

O destaque para este ano é a parceria inédita que a Universidade firmou com a estilista francesa Sakina M´Sa para a apresentação da Exposição Brasilópolis Jardim Paris – um diálogo França-Brasil em homenagem às diferenças culturais e sociais – e para a intervenção-desfile da estilista.

A Universidade Anhembi Morumbi marca presença na SPFW – Verão 2010 entre os dias 17 e 22 de junho.

Lounge

O lounge da Anhembi Morumbi traz muita interação para os visitantes da semana de moda. O espaço foi inspirado nos jardins franceses e traz ícones tradicionais daquele ambiente. Em formato de um espelho d’água, uma fonte interativa foi instalada no lounge.

A interatividade com o público se dá pelas cúpulas de som, instaladas no teto do lounge, ao redor da fonte, que permitem que apenas os visitantes conectados à ouçam as diferentes mensagens. Ou seja, se o convidado sair de debaixo da cúpula já será possível ouvir o som ambiente. Nas paredes, os efeitos de luzes, pinturas especiais e materiais que remetem aos conhecidos labirintos dos jardins da França, misturam as cores cobre e verde e dão o tom ao ambiente, extremamente criativo e futurista.

“Trabalhamos para criar um cenário capaz de tornar tangível essa comemoração do ano da França no Brasil. Nosso objetivo era tornar real essa ligação entre os dois países e, com a colaboração dos alunos e professores, identificamos ferramentas capazes de proporcionar essa experiência aos visitantes”, explica Paula Maeda, diretora-adjunta de marketing da Universidade Anhembi Morumbi.

Uma série de palestras, com os mais variados temas, leva aos visitantes do Pavilhão da Bienal a paixão pelo conhecimento, inserida no DNA da universidade.

Cada assunto será tratado de uma forma diferenciada por meio de performances teatrais, diálogos criativos, conversas, workshops gastronômicos e apresentação de poesias. Entre uma atividade e outra, será possível sentir no lounge aromas selecionados pelos professores do curso de Naturologia.

O Laboratório de Jovens Talentos SPFW, em parceria com a Anhembi Morumbi, permitiu que os alunos com melhores desempenhos participassem de um programa de estágio com o staff do evento. Alunos de diversos cursos atuam nessa edição, dando continuidade ao projeto que, iniciado na edição de janeiro, possibilita ao aluno um contato direto com sua profissão, no maior evento de moda da América Latina.

Em parceria com o estilista e coordenador do curso de Design de Moda da Anhembi Morumbi, Mario Queiroz, a universidade realiza o projeto “Backstage Escola”, que iniciou bem antes da abertura da semana de moda, quando os estudantes começaram a atuar junto ao estilista na formatação do seu desfile. O projeto conta com a participação de alunos de mais de 10 cursos da universidade

A universidade também firmou parceria com a organização do São Paulo Fashion Week para um projeto especial que envolve a participação dos alunos e possibilita o contato com o trabalho de uma profissional francesa. A instituição será parceira da estilista francesa Sakina M’Sa para dois grandes projetos durante o evento: a exposição Brasilópolis Jardim Paris e um desfile performance, ambos considerados criações coletivas e que serão realizados no pavilhão da Bienal.

Criação

Para esta edição, mais de 1.000 alunos estão participando das diversas ações que a Anhembi Morumbi realiza no SPFW. A contribuição dos estudantes começou na elaboração de convites. O uniforme do lounge também contou com a criação dos alunos, e o escolhido foi “Universo Iluminista”, tendo como referência os maiores iluministas franceses: Rousseau, Montesquieu e Voltaire. O uniforme também foi baseado no tema do evento, “Paixão do Brasil pela França”. Os alunos ainda prepararam um guia inusitado da capital paulistana com dicas de lugares na cidade de São Paulo que remetam à paixão. O projeto será apresentado durante os Diálogos Criativos, uma das ações que acontecem no lounge e que são abertas ao público do evento.

Backstage

Os alunos também vão participar de todo o processo do backstage do desfile do estilista e coordenador do curso de Design de Moda da Anhembi Morumbi, Mario Queiroz, e da estilista francesa Sakina M´Sa. São mais de dez cursos envolvidos, como Design e Negócios de Moda, Produção Musical, Arquitetura, Fotografia, Design Gráfico e Digital, Gastronomia, Comunicação, Visagismo, Maquiagem Profissional e Pós-graduação em Eventos.

O projeto com a estilista francesa Sakina inclui uma série de workshops para os alunos e professores da Anhembi Morumbi, que contou com a participação de mais de 40 alunos, que tiveram contato com a artista e puderam conhecer na prática as técnicas da estilista.

Laboratório de Jovens Talentos SPFW

O sucesso da primeira participação da Anhembi Morumbi na edição de janeiro de 2009 do SPFW foi tamanho, que Paulo Borges, seu organizador, abriu vagas de estágios para os alunos da Anhembi Morumbi das áreas de Design Gráfico e Digital, Marketing, Jornalismo, Produção Editorial, Relações Públicas, e Publicidade e Propaganda. Os estágios terão duração de seis meses, com possibilidade de efetivação.

Exposição Brasilópolis Jardim Paris

Durante o São Paulo Fashion Week, os visitantes poderão conferir a exposição Brasilópolis Jardim Paris, projeto que questiona o que a nossa sociedade oferece para consumo supérfluo. A exposição, localizada no segundo andar do pavilhão da Bienal, é um diálogo França-Brasil resultado do trabalho de uma comunidade de costureiras de São Paulo, de mulheres do bairro cosmopolita Goutte d’Or em Paris e de alunos da Universidade Anhembi Morumbi. Em comum, têm como matéria-prima para suas criações o tecido de algodão branco, material que representa os moldes de uma casa de costura.

É com esse tecido que se dá o encontro dessas três comunidades que realizam uma criação coletiva com o objetivo de questionar, por meio de suas obras, o próprio cotidiano. Cinco bases de modelos dão início à execução de cem peças de roupas que serão expostas no SPFW; inspiradas no estilo dos surrealistas franceses. “Elas são cortadas e montadas para provocar o imaginário dessas comunidades, estimulando o diálogo franco-brasileiro e criando uma coleção que homenageia as próprias diferenças sócioculturais dos participantes”, afirma Sakina.

O trabalho brasileiro será somado às criações da estilista, que chegam diretamente de Paris para o pavilhão da Bienal. A própria Sakina, que destaca nas suas peças a desconstrução, apresentará suas coleções de forma inusitada. Ela está no Brasil desde 28 de maio para acompanhar todos os detalhes dos projetos, que farão referência ao ano da França no Brasil. A produção do Brasilópolis Jardim Paris é de autoria da organização do São Paulo Fashion Week e contará com a concepção cenográfica de Daniela Thomas.

Inspiração

Relatório SPFW

Projeto

SPFW – INVERNO 2009

,

Brasileirismo SPFW – INVERNO 2009: EVENTO COM LOUNGE E EXPOSIÇÃO

Entre os dias 18 e 23 de janeiro, os visitantes do São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda da América Latina, puderam conhecer e participar da programação variada que o lounge da Universidade Anhembi Morumbi desenvolveu especialmente para o evento.
Como uma das patrocinadoras oficiais do SPFW, a Universidade levou muita inovação e irreverência ao Parque do Ibirapuera, agradando aos visitantes. A agenda diária do lounge contemplou desde a presença da Vice-Reitora da Anhembi Morumbi, Elizabeth Guedes, que ao lado do idealizador do evento, Paulo Borges, fez um pronunciamento sobre a parceria firmada para todo o ano de 2009.
No dia 19, o bate-papo sobre “Moda e Comunicação” realizado pelo sócio e CEO (Central Executive Officer) da Lew’Lara/TWA, Luiz Lara, e a jornalista e professora do curso de Negócios da Moda, Carol Garcia, reuniu vários interessados que realizaram perguntas aos convidados sobre o tema.
A tarde do dia 20, foi marcada pela conversa entre a pesquisadora dra. Suzana Avelar e o médico dr. Ronaldo Leão Abud sobre “Corpo e Tecnologia”. Eles abordaram questões como as tendências, a busca pela otimização do corpo e os criadores de moda que subvertem alguns determinismos, observadas como sintomas da cultura por meio do corpo vestido. Para o médico, a moda influencia diretamente o comportamento das pessoas, podendo notar, inclusive, o estado de espírito de seus pacientes pela roupa que estão usando.
Já no dia 21, foi a vez do arquiteto e artista plástico Guto Lacaz; do estilista da marca Neon, Dudu Bertholini; e da renomada chef de cozinha, Carla Pernambuco, garantirem as atrações que atraiu muitos visitantes. O artista plástico relatou com muito bom humor três casos em diferentes momentos de sua vida em que o seu trabalho foi norteado pela inveja, vergonha e medo, motivando-o à autossuperação.
Em uma junção irreverente entre a chef e o estilista para o preparo do Gazpacho Andaluz e Ajo Blanco (pratos tipicamente espanhóis) rendeu boas risadas e o resultado final foi aprovado pelos presentes.
No dia 22 de janeiro, a marquise do Museu de Arte Moderna (MAM) ficou agitada com a instalação de moda “Em Trânsito”, realizada pelos alunos de Negócios da Moda e Design de Moda da Universidade Anhembi Morumbi. A instalação apresentou 28 looks desenvolvidos pelos alunos, que foram expostos por modelos em caixas de madeira, chamando a atenção do público para o diálogo entre a arte, o espaço arquitetônico e a moda.
Relatório do SPFW 2009

Projeto Convite SPFW 2009

Inspiração Brasileirismo SPFW 2009

Eventos

Nothing Found

Sorry, no posts matched your criteria