Notícias diárias do mercado de eventos.

NACHOS COM QUEIJO CHEDDAR E PIMENTAS JALAPEÑO

COMO DERRETER O QUEIJO PARA NACHOS

Se você está querendo saber como derreter o queijo para nachos , primeiro pré-aqueça o forno a 180º C.

Organize uma camada de tortilhas fritas ao longo do fundo de prato grande e raso.

Polvilhe metade do queijo sobre o topo das batatas fritas.

Polvilhe metade do pimentão jalapeño em fatias sobre o queijo.

Repita o processo com outra camada de batatas fritas, queijo e pimentão.

Asse por 8 a 10 minutos, ou até que o queijo borbulhe e derreta .

Remova cuidadosamente o prato do forno.

Polvilhe com azeitonas sobre os nachos e sirva com dollops de salsa espalhadas ao redor das bordas do prato.

Agora que você sabe como derreter queijo para nachos , sirva-os imediatamente.

UM EXCELENTE-PÉSSIMO NEGÓCIO CHAMADO GASTRONOMIA

Mas e os cozinheiros? A gastronomia hoje reproduz um estranho cenário onde a profissão ganhou mais importância que o profissional! Por isso se faz necessário uma análise fria do nosso mercado. Tentando deixar de lado as paixões, frases bonitas e lugares comuns, qual é a realidade da gastronomia hoje?

O salário médio de um cozinheiro é de R$ 1.259,00 (Dados: Guia de Profissões e Salários da Catho/2015). Os melhores salários ainda estão no eixo Rio de Janeiro – São Paulo, mas há oportunidade em todo o País, especialmente com a recente valorização das cozinhas regionais (gaúcha, amazônica e nordestina, por exemplo) e a exploração de novos ingredientes. A carreira de cozinheiro ainda não é regulamentada no Brasil.

Existem mais de 130 universidades autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Gastronomia, tanto em grau de bacharelado como de tecnólogo. A maioria é de instituições privadas. Esse dado seria incrível se não levássemos em consideração um importante fato; As instituições de ensino, em sua grande parte, estão em completa dissonância com as necessidades do mercado de trabalho.

Em uma das grandes faculdades de gastronomia do país, a Anhembi Morumbi, os próprios alunos que se encarregavam da limpeza dos fogões e equipamentos utilizados nas aulas. (não sei se o sistema ainda permanece na Instituição). De 60% a 70% da carga horária é voltada para a parte prática – a grade teórica inclui microbiologia, dietas alternativas e gestão de pessoas, entre outras. Além de os alunos zelarem por seus pertences pessoais, há uma escala semanal que define quem verifica se todos lavaram suas panelas, se os materiais foram guardados e se o lixo foi retirado. Em 1999, a primeira turma da Anhembi Morumbi revoltou-se com essas obrigações. Fez abaixo-assinado reivindicando autorização para levar para a classe suas empregadas domésticas. O pedido estapafúrdio, evidentemente, foi ignorado.

Este fato (absurdo) só corrobora com alguns dados evidenciados pelo MEC há alguns anos. De acordo com o Ministério da Educação há pouco mais de 5 anos, 200 alunos no Rio concluíram a graduação em gastronomia. O número corresponde a apenas 20% dos estudantes matriculados. Hoje a educação superior de gastronomia no Brasil, ainda não forma profissionais para o mercado de trabalho. A evasão de 80% é uma reação à intensa rotina de trabalho nas cozinhas. E você sabe quanto custa em média uma mensalidade nas faculdades de gastronomia no país? R$1.300. Uma média de 40 reais mais caro que a média salarial da profissão.

Vamos a alguns pontos importantes à se considerar. Para aqueles que permanecem até o final do curso (tendo conseguido pagar as mensalidades), ainda precisam passar por um processo importante; O estágio. Considerado por muitos a porta de entrada para o mercado de trabalho, o estágio deve cumprir a dupla função de iniciação profissional e a possibilidade de capacitação barata para o futuro cozinheiro (caso a empresa acabe por contratar o estudante). Agora, você sabe quanto é a média de salário para um estagiário de Engenharia de Produção? R$1.436,72 (é um dos mais bem pagos do mercado). E a média de um estagiário em uma empresa de Marketing? R$ 1.030,29. Mas eu não queria dar exemplos de mercados de trabalho tão distantes da gastronomia. Então, quanto você acha que um estagiário da área de nutrição ganha, em média? R$ 635,29 E um estagiário em turismo? R$ 677,80.

E como é na gastronomia? Na sua grande maioria esmagadora, o estágio em cozinhas NÃO É REMUNERADO!!! O restaurante de cozinha contemporânea D.O.M., objeto de desejo da maioria dos estudantes, não paga nada. Segundo o chef Alex Atala, de cada 100 alunos que passam por sua cozinha todo ano, apenas dois permanecem ali. “A moçada ainda tem uma imagem distorcida da profissão”, diz Atala. “Esquece que, antes de se tornar um chef, é preciso aprender a ser um bom cozinheiro”.

Sem um salário atraente, o iniciante sofre mais um solavanco ao receber a lista de atribuições. Em muitas cozinhas, será dele a missão de descascar batatas, lavar as folhas das saladas e limpar o chão no fim da noite. São tarefas pelas quais a maioria dos chefes tarimbados já passaram antes de liderar uma grande brigada, mas que muitos principiantes não têm o hábito de encarar – nem mesmo em sua própria casa. A maior parte dos estagiários pede demissão logo nos primeiros dias de trabalho; “São raros os que aguentam até a segunda semana”, conta a premiada Roberta Sudbrack.

Fica nítido que a luta por melhorias no mercado de trabalho não faz parte das agendas destes profissionais. E isso é corriqueiro em nosso mercado. Eles estão certos? Não me cabe julgar tal questão. Estes são os profissionais que colocaram o país nas mais altas esferas da gastronomia mundial. Nomes que estão alterando toda uma cadeia socioeconômica, valorizando regiões e pequenos produtores rurais. Além de trazer à luz de nossos estudos ingredientes e técnicas singulares. Por tantos méritos, nosso total respeito.

Trocando em miúdos, é nítido que a mão de obra barata sempre é algo interessante. Ainda mais num país com cargas tributárias abusivas para qualquer empreendedor. Dito isso, vocês acham que partirá deles tal mudança? Quero acreditar, mas acho pouco provável. Assim fica fácil perceber o os efeitos nocivos da GLAMOURIZAÇÃO da gastronomia para a uma educação mais inclusiva, com novas possibilidades de nichos de trabalho.

E assim, apesar de abarrotadas de alunos, as faculdades acabam por possuir pouca representatividade na formação profissional. O francês radicado no Brasil há dezenove anos, o chefe Emmanuel Bassoleil, vê com bons olhos o crescimento das escolas. Em 1994, ele deu consultoria na criação do curso do Senac. “Quando cheguei aqui, faltavam profissionais qualificados”, recorda-se ele, que faz uma ressalva à proliferação de faculdades. “Meu medo é que essa multiplicação resulte apenas em quantidade, e não em qualidade.”

E quem são estes profissionais que atuam na educação na gastronomia? Quais são os caminhos possíveis de estudo deste profissional? O Brasil hoje possui poucos cursos de pós graduação na área de gastronomia e somente 1 curso (privado) de mestrado! Ou seja, o professor que sai de uma faculdade com extremo perfil técnico e tem por meta a formação de novos profissionais, encontra extrema dificuldade para sua própria formação nas áreas de pós-graduação! Não fica difícil entender a triste dialética em que nos encontramos…

É urgente a regulamentação da profissão, levando em consideração suas especificidades. Mas não devemos deixar de pensar na ampliação e aprofundamento do meio acadêmico, dando oportunidade para o crescimento de outros nichos de nossa área. Hoje não consigo conceber outras formas de mudança senão a organização de nosso setor por meios de Conselhos. Regionais e Federal. Para estabelecer finalmente um Código de Ética Profissional do Cozinheiro, por exemplo. Ou ainda definir, nos termos legais, o limite de competência do exercício profissional, conforme os cursos realizados ou provas de especialização prestada em escolas ou institutos profissionais reconhecidos (PÚBLICO, para que o acesso seja irrestrito!) Assim o profissional que não teve a oportunidade de se especializar em cursos técnicos ou tecnológicos da área, poderia através de uma prova de proficiência (conhecimentos técnicos) ser regularizado na profissão.

E como fazer? Acredito que o envolvimento de representantes do mercado de trabalho (cozinheiros, chefes de cozinha), da educação (professores, coordenadores de curso, diretores de instituições) e representantes de associações (ABRESI , SBGAN, APC , ABAGA , ABRASEL) para discutir estas questões levantadas no artigo, seja um belo começo.

Considero de suma importância não somente um diálogo mais amplo do mercado de trabalho com as instituições de ensino e associações de nosso país, como também o começo de um amadurecimento destas instituições no que tange a formação de seus alunos e professores, para assim finalmente pensar a realidade da gastronomia com a sua diversidade inerente!

PODEMOS E DEVEMOS MUDAR ESTA REALIDADE.

Autor – Gustavo Guterman é professor de gastronomia, consultor, palestrante e, acima de tudo, um cozinheiro apaixonado.

GUTERMAN GASTRONOMIA

Arroz Doce Brulée ao Cardamomo com Compota de Manga e Limão Siciliano

Para 8 pax

Para o arroz doce:

200gr de arroz carnaroli aquerello
550gr de água
2 und de canela em pau
500ml de leite integral
50gr coco fresco ralado
300ml de creme de leite
120gr de açúcar
2 und caradmomo
2 und gemas
Sal

Para a compota:

200gr de casca de limão cortada em cubos
170gr de açúcar
200gr de manga em cubos
20gr de manteiga
60gr de açucar
20ml de Grand Marnier

Modo de fazer:

Cozinhar o arroz em água com mais 400ml de leite, a canela, o coco, o creme de leite, o açúcar e o cardamomo.

Quando o arroz estiver “al dente” depois de 18min, tirar do fogo e acrescentar os 100ml de leite restantes misturado com as gemas. Dividir em potinhos e deixar esfriar.

Para a compota de limão, ferver 4 vezes as cascas, trocando a água; na última, acrescentar o açúcar e deixar a calda estar no ponto com as cascas cozidas.

Para a compota de manga, saltear a manga com a manteiga e o açúcar, flambar com grand marnier, reservar.

Evento sem Risco de Prejuízo

Tenha uma equipe competente

A organização de um evento não é nada fácil. Envolve a escolha do local, contato com fornecedores, responsabilidade com a documentação necessária e o treinamento de pessoas que atuarão no dia do evento, garantindo que tudo esteja como esperado. E tudo isso envolve gestão de recursos, que deverão ser gastos dentro do orçamento destinado à atividade.

Portanto, é essencial que você conte com pessoas qualificadas – seja uma equipe com quem você já trabalhe, ou uma empresa contratada –, que tenham experiência na administração de eventos, para que não tragam prejuízo por gastar demais em coisas supérfluas, por exemplo. Essa equipe será responsável por planejar tudo em detalhes, antecipando imprevistos, distribuindo de forma eficaz os recursos financeiros e garantindo que, no dia do evento, tudo ocorra conforme o planejamento.

INVISTA NA DECORAÇÃO DE ACORDO COM O EVENTO

A imagem que você passa durante um evento é determinante na primeira impressão dos convidados. Então, por que não trabalhar a cenografia de acordo com a sua marca ou empresa e deixar uma boa visão aos presentes? Saiba que o cuidado com a decoração é fundamental em qualquer ambiente corporativo, principalmente quando se trata de um evento importante. Deixar sua marca registrada por meio de um tema adequado é importante para a fidelização de clientes, que lembrarão facilmente da sua empresa no momento em que estiverem nesse espaço trabalhado.

OFEREÇA SESSÕES DE DEGUSTAÇÃO

Sessões de degustação prometem agradar qualquer convidado, visto que comidas e bebidas não são itens que alguém recuse em eventos, principalmente quando se trata de novidades gastronômicas. A prática da degustação pode ocorrer por meio de bufê ou até mesmo um simples coquetel — tudo depende da quantidade de pessoas presentes e também do estilo e duração do seu evento. O importante é que seja uma atividade simples e prazerosa para todos.

CONTRATE UMA EQUIPE DE ATENDIMENTO

Manter uma boa equipe de trabalho dentro do evento é fundamental para o bem-estar dos convidados. Assim, organize um grupo com antecedência para prepará-los de acordo com os ideais da sua empresa. Se os funcionários chegam ao evento preparados, terão capacidade de atender qualquer pessoa presente no local, contribuindo para uma convivência agradável e no auxílio de qualquer imprevisto que possa acontecer.

PROMOVA A INTERAÇÃO DOS CONVIDADOS COM AS ATRAÇÕES

Se o clima do evento permitir, considere instalar diferentes espaços para o entretenimento do público. A tecnologia pode ser uma aliada na concepção de um espaço mais alegre e divertido, com a presença de jogos eletrônicos ou até mesmo telões interativos. Dependendo do perfil de convidado presente, você ainda pode contratar humoristas e mágicos para tornar o evento convidativo às diferentes faixas etárias. Recursos de som e bandas ao vivo também são opções viáveis para animar qualquer ambiente.

PLANEJE O PÓS-EVENTO

O pós-evento consiste em um retorno positivo para você e para seus convidados, e é por isso que ele é tão importante. Pense que, no momento em que saem do evento, as pessoas já começam a refletir sobre o ambiente, a comida e as cerimônias apresentadas, e como bom organizador você deseja uma visão positiva, não é mesmo?

Sendo assim, envie aos convidados todos os conteúdos, filmes e fotos que tenham acontecido durante o evento. Pode ser por meio de rede social ou e-mail. Aproveite esse momento para manter o contato com cada participante e solicite um feedback. Este poderá auxiliá-lo no planejamento dos próximos eventos, buscando deixá-los cada vez melhores.

Com planejamento em dia e levando em conta o perfil dos convidados, você organiza um evento inesquecível para qualquer membro presente!

Coca-Cola com Câmera para Selfies

O plano da Coca-cola é utilizar a ‘garrafa-câmera’ para ampliar sua presença nas redes sociais. Estão disponíveis para compartilhamento na garrafa as redes do Facebook, Instagram e Snapchat.

A câmera vai disparar automaticamente: isso ocorrerá quando a garrafa estiver em uma inclinação de 70º – que é a inclinação da garrafa com a qual a maioria das pessoas bebe.

A novidade será apresentada pela Coca-Cola Israel em um evento de publicidade no país.

Como Escolher a Melhor Data do Evento

1. Período do mês

É fundamental considerar o período do mês na hora de decidir quando determinado evento será realizado. Não se esqueça de que as pessoas costumam receber seus salários no começo do mês, ou seja, é nos primeiros dias que elas ficam mais propensas a gastar dinheiro. Por isso, aproveite para marcar eventos na primeira quinzena do mês, o que pode se traduzir em um aumento no número de ingressos vendidos;

2. Dia da semana

Outro elemento importante na escolha da data de um evento é o dia da semana em que ele acontecerá. Dificilmente você conseguirá atrair a quantidade esperada de frequentadores se você programar um show, um comício ou qualquer outro evento numa segunda-feira, por exemplo. Tirando os dias seguidos de feriados, não é recomendável agendar eventos para dias úteis, especialmente os eventos de grande porte, pois muitas pessoas não poderão comparecer em função do trabalho ou dos estudos. Sendo assim, dê preferência a datas que caiam em fins de semana ou numa sexta-feira;

3. Feriados

Optar por feriados requer uma avaliação criteriosa de acordo com a cidade em que o evento ocorrerá, visto que há locais em que os moradores não tendem a viajar, mas também existem lugares que ficam vazios em véspera de feriado ou nos próprios dias de folga. Além disso, é preciso considerar o feriado em questão, pois cada um gera um fluxo diferente de pessoas na cidade. No caso de municípios que atraem bastantes visitantes em determinados feriados, você pode marcar eventos sem precisar se preocupar com a possibilidade de fazer um evento sem alcançar o público desejado;

4. Comemorações específicas

Alguns eventos podem ser ligados a comemorações específicas, o que pode ser uma ótima estratégia de divulgação. Se você pretende realizar uma festa para celebrar a cultura indígena da região, que tal marcar o evento no dia do índio ou numa data próxima desse dia (19 de abril)? Basta ficar de olho nas datas comemorativas que podem dar mais visibilidade e relevância para seus eventos;

5. Previsão do tempo

Assim como os frequentadores do evento costumam observar a previsão do tempo para terem noção se o dia estará ensolarado, chuvoso, frio ou de qualquer outro tipo, você também deve se precaver ao planejar a data de eventos. Se o local de um evento não tiver proteção contra chuva, por exemplo, é melhor pensar numa data alternativa ou então mudar o lugar para que o evento não seja um fracasso;

6. Outros eventos regulares

Toda cidade possui certos eventos que ocorrem todo ano na mesma data. Dependendo da situação, é possível integrar o seu show à programação do evento maior que acontece regularmente na cidade. Caso não seja possível fazer isso, escolha uma data não tão próxima de feiras, festivais e mostras tradicionais, para que o seu público não seja afetado pelos grandes eventos;

7. Eventos parecidos

Ao planejar a data para o seu evento, não se esqueça de conferir se já existem eventos semelhantes marcados na data cogitada. Para não haver conflitos na programação, tente agendar seu show ou outro evento em um dia diferente, o que será vantajoso para o público e para os produtores dos eventos, pois não haverá o risco de que os frequentadores em potencial precisem escolher entre um show e outro;

8. Concorrência de peso

Muitas vezes, é necessário reavaliar a data de um evento de acordo com a presença de concorrentes de peso no mesmo período. Lembre que é mais fácil atrair o público quando seu evento não ocorrer numa data perto de um evento com artistas famosos, por exemplo. Se o seu evento contar com uma audiência que possa se interessar por essas celebridades, é melhor não concorrer diretamente com elas;

9. Parcerias com pessoas famosas

Dependendo do tipo de evento, você pode aproveitar a passagem de pessoas famosas pela região para convidá-las para o seu evento. A participação delas pode gerar uma visibilidade ainda maior para o seu evento, especialmente se a celebridade tiver relação com o tipo de evento que você estiver produzindo. Por exemplo: contrate bandas em turnê pela cidade para tocar no seu show ou chame um esportista famoso para fazer parte de uma conferência ligada a esportes.

Mulheres Poderosas da Marvel

lustrações criadas pela equipe da NeoArtCore que mostram, em grande estilo, versões femininas do Homem de Ferro e do Capitão América.

,

TERRENO DE ESQUINA COM 33.000 METROS QUADRADOS

Esquina valorizada

O terreno possui quase 250 metros de frente, uma bela esquina. Ele é todo murado e possui excelente topografia.

Flexível

Terreno muito flexível e em excelente localização. Perfeito para a realização de qualquer projeto.

Clube, Clínica ou Eventos

Durante quase 50 anos foi usado como sítio, portanto, possui casas e infra-estrutura que podem ser aproveitadas para montar um clube, um pesque-pague, um SPA, uma clínica de reabilitação ou até mesmo servir de área de eventos.

Rodoanel

O Rodoanel está sendo construído a 3.000 metros da porta da propriedade. Além disso, possui saída fácil para as principais avenidas da Zona Leste de São Paulo.

Direto com proprietário

A venda está sendo feita pelo proprietário, sem intermediários. Negociação fácil.

50% de permuta

Aceita permuta de até 50% do valor em imóveis, terrenos, carros e motos.

VANTAGENS DESTE TERRENO

FLEXÍVEL

Topografia excelente que permite a realização de qualquer projeto.

DOCUMENTAÇÃO OK

Documentação em dia. Além de possuir água, luz, telefone, asfalto, infra-estrutura de bairro e ponto de ônibus na porta. Tudo o que um projeto precisa para ser iniciado.

FINANCIAMENTO

Propriedade aceita financiamento bancário.

SEM INTERMEDIÁRIO

Venda direta com o proprietário.

ÁREA VERDE

De frente para os bairros Jardim São Paulo e Cambiri. Atrás, uma grande área verde.

DIVISA COM OUTRAS CIDADES

A propriedade está próximo a divisa de 3 outras cidades: São Paulo, Suzano e Poá.

LOCALIZAÇÃO

Av. Helmuth Hans Hermann Louis Baxmann, 290 – Ferraz de Vasconcelos – SP

Site: http://terrenoemferraz.com.br/

CONTATO: (11) 97028-0077 (celular e Watts) | (11) 2674-5050 | tpeventos@tpeventos.com.br

Evento Open Bar

1. Parcerias ajudam a lucrar com os eventos

Assim como qualquer outro evento, a maior intenção dos organizadores geralmente é lucrar com a quantidade de participantes, não é mesmo? Pois se a intenção é o lucro, os organizadores de festas open bar devem lembrar que parcerias são essenciais para tanto, uma vez que são as empresas parceiras que ajudarão a bancar e patrocinar a compra das bebidas e até comidas fornecidas aos frequentadores.

Busque marcas de bebidas e outras empresas que poderão se beneficiar com a exposição dos produtos. Assim, tais companhias terão como oferecer os itens a preço de custo ou até mesmo sem cobrar dependendo do número de produtos necessários para o evento. Por isso, é imprescindível utilizar sua habilidade de negociação para conseguir parcerias realmente vantajosas.

2. Preço diferenciado

Outra forma de conseguir lucrar é estabelecer um preço diferenciado para os convites ou ingressos. Como as pessoas terão acesso ilimitado a bebidas durante a festa, nada mais natural do que aumentar o valor das entradas. Desse modo, ficará mais fácil cobrir uma parte do valor gasto com as bebidas, sem que o peso caia somente sobre os apoios, os patrocínios e as parcerias.

3. Público específico

Independente do tipo de evento, qualquer organizador precisa saber exatamente quem é o público-alvo. No caso de eventos open bar, o público se restringe a pessoas maiores de 18 anos de idade, pois não é recomendável incentivar o consumo de bebidas alcoólicas para menores de idade. Para tomar cuidado para não cometer o crime de liberar bebidas a quem ainda não pode ingerir bebidas com álcool, é fundamental ter um controle rigoroso tanto na venda dos ingressos como na entrada do evento.

4. Estimativa do número de pessoas

As pessoas que vão a um evento open bar costumam pensar que, pelo preço cobrado, terão direito a beber o quanto quiserem até a festa acabar. Por isso, é importante estimar o número de pessoas que irá até o local, de modo que você saiba quanto de bebida deve estar disponível, evitando transtornos relacionados à falta de bebida, por exemplo.

Em geral, calcula-se 500 ml de bebida para cada mulher; já a quantidade de bebidas (vodka, cerveja, refrigerante, água, etc.) para homens tende a ser maior. Estima-se que deve haver 1 litro de uísque para cada 10 homens, 1 litro de cerveja por homem, 1 litro de vodka para cada 10 pessoas e 1 litro de refrigerante para cada litro de vodka ou outra bebida mais forte. Outro elemento importante é o gelo, que precisa ser disponibilizado em baldes térmicos (cerca de 1 kg de gelo picado por convidado).

5. Permissão para realizar o evento

Não se esqueça de que fazer eventos sem alvará é considerado crime. Logo, verifique se o salão, a chácara ou qualquer outro lugar onde o evento acontecerá pode sediar a festa. Ao calcular a quantidade de pessoas estimadas, você será capaz de reservar o ambiente ideal para o evento, sem deixar de lado a questão do alvará, que é primordial para evitar que você passe por complicações relacionadas à lei, principalmente por se tratar de um evento com alto teor de bebidas alcoólicas disponibilizadas aos frequentadores.

6. Escolha do nome

Toda festa requer um nome com a capacidade de chamar atenção do público-alvo. Sendo assim, capriche na hora de criar o nome do evento, com a finalidade de despertar o interesse dos eventuais participantes.

7. Divulgação eficaz

Ao desenvolver suas estratégias de divulgação, lembre-se de deixar claro que o evento é open bar, não importa qual seja o meio de divulgação escolhido. Se você não fizer isso, algumas pessoas poderão perder o interesse quando checarem os preços (que são mais elevados). Tenha em mente que festas open bar são muito atraentes, especialmente para quem prefere pagar um pouco mais e ter a liberdade de beber sem precisar ficar controlando a carteira durante a festa.

8. Planejamento organizado

Você deve montar uma planilha com os custos do evento, de modo a ter um planejamento organizado, diminuindo a possibilidade de ter prejuízo com o evento. Além de oferecer um serviço de alta qualidade, será possível controlar todos os gastos a partir de uma planilha organizada, contendo todos os detalhes da festa.

9. Projeto bem definido para atrair parceiros

A atração de patrocinadores, apoiadores e parceiros depende muito de como você apresenta o projeto a eles. Por conta disso, é essencial elaborar um projeto bastante detalhado e que ressalte os benefícios do evento para cada uma das partes possivelmente envolvidas.

10. Escolha de atrações adequadas

Por fim, selecione atrações que combinem com o tipo de evento, seja ele temático ou não. Assim, a chance de agradar aos participantes será maior, garantindo uma repercussão positiva para o seu negócio.

Sites Feitos com WIX são Desindexados pelo Google

E isso não é um boato, o próprio Google emitiu um comunicado oficial explicando o problema no seu fórum para webmaster.

Como estou no mercado de criação, não conheço ninguém que tenha um site criado no Wix para averigurar se realmente houve uma queda de acessos nas buscas orgânicas, para isso conto com a ajuda de vocês que tenham sites na plataforma e averiguem isso, e deixem um comentário aqui no post.

Não houve um pronunciamento por parte do Wix sobre isso mas, em contrapartida, o Google promete solucionar o problema (só não diz quando).

E não pensem que há poucos sites construídos no Wix, eu vejo muitos, principalmente em português. A falta de conhecimento da maioria das pessoas aliada à facilidade de construção de sites no Wix, popularizou o sistema mas trouxe problemas aos usuários.

Além dessa desindexação, não é raro os usuários do Wix sofrerem com problemas em seus sites e não conseguirem solução (principalmente os que possuem o plano free). Além disso há restrições para instalar alguns recursos e pasmem, não há como realizar backups completos do site.

Sei que o Wix serve principalmente para aquela empresa ou pessoa que precisa de um site rápido e não pode pagar um profisisonal para fazer, mas com uma rápida pesquisa na internet, pode-se achar soluções viáveis e baratas, como é o caso do sistema WordPress que eu uso aqui no blog.

Enfim, se você depende do tráfego do seu site que está no Wix para vender um produto ou serviço, recomendo fortemente procurar uma solução urgente. Caso tenha interesse em migrar para uma plataforma própria e confiável, entre em contato que indico bons profissionais freelancers que podem te ajudar por um preço justo, pessoas que já me ajudaram e ainda ajudam muito a manter todos meus projetos na web on-line.

Fonte: aletp.com