,

CONFRARIA COMEDY NO BOMBAR TATUAPÉ

Todas as Quintas Feiras, o ConfraRia Comedy traz ao BomBar o shows de Standy-up Comedy com elenco rotativo e convidados especiais.

Local: BomBar Tatuapé – Sao Paulo , SP
Data: 28 de setembro de 2017 | 20h-23h55

Temos alguns ingressos cortesias e só divulgar em suas redes sociais e colocar o link neste post.
A manhã sai os nomes dos ganhadores…. Boa Sorte….

Instrumento de Sopro com Tecnologia Digital

Um dos mais recentes lançamentos da Roland é o instrumento de sopro Aerophone AE-10. Com ele, os músicos poderão tocar à vontade com o mesmo sistema de digitação do saxofone, mais os timbres expressivos da tecnologia de modelagem SuperNATURAL Roland e o sensor de sopro que reage da mesma maneira que um instrumento acústico.

A variedade de timbres recria com fidelidade os sons de diversos modelos de saxofone, do soprano ao barítono, assim como de instrumentos de sopro, como clarinete e trompete, além de instrumentos de cordas e sintetizadores.

Além dos timbres individuais, o instrumento permite configurar para que o som mude automaticamente de um tipo de sax para outro, por meio do recurso Full Range, conforme a região de notas. O Aerophone AE-10 possui alto-falantes integrados, alimentação por pilhas e conectividade com softwares de gravação.

Fonte: Primeira Página/Roland

,

5º Prêmio Botequim Cultural: Votação Final

1. Prazo de Votação: 17 a 30 de janeiro

2. SERÁ COMPUTADO APENAS 1 VOTO POR IP – mas é possível exceções. (ex: residências em que mais pessoas queiram votar). Basta encaminhar e-mail para renatomello@botequimcultural.com.br, justificando o motivo e identificando o nome do votante, que será então computada sua escolha.

3. Em caso de mais de 1 voto do mesmo IP, será computado apenas o último(desde que não haja justificativa, conforme item 2).

4. Não é obrigatório o voto em todas as categorias.

5. O resultado final com todos os vencedores será divulgado dia 31 de janeiro.

6. O regulamento completo pode ser lido AQUI

Link da Votação Final

Boa Sorte a Todos…..

,

Hoje é Dia de Maria O Musical

O espetáculo, estrelado por Ligia Paula Machado, estreia no dia 30 de setembro no Teatro Cetip. Adaptado do roteiro original de Carlos Alberto Soffredini, por Francisca Braga, “Hoje é Dia de Maria – O Musical” conta a história de uma menina pobre, do sertão paulista, que de tanto ser mal tratada por sua madrasta e seu pai, resolve sair em busca de seu sonho: encontrar as franjas do mar.

Inédito nos palcos, o romance de Soffredini é inspirado na coletânea de contos de Câmara Cascudo e Silvio Romero, com destaque para “A menina da figueira”, “Lenda do Dia e da Noite” e “Cinderela”.

A partir destes contos e do folclore brasileiro Soffredini criou o seu texto original, compondo assim uma paráfrase, elemento característico de sua dramaturgia como o bem e o mal, o medo e a esperança, a força e a tristeza.

Importante autor teatral, dedicou sua vida a escrever e decifrar a cultura popular nacional traçando um paralelo com a realidade brasileira. Ao parafrasear os contos de tradição oral Soffredini desafia o final das histórias e muda o destino de sua heroína. As franjas do mar traduzem em linguagem poética a energia vital que leva Maria para um destino diferente dos traçados nas histórias.

Na versão levada aos palcos será estimulado o lúdico, através das músicas, coreografias de sapateado americano e irlandês, ballet clássico, acrobacias de solo e aéreas, dialogando entre o erudito e o popular, criando uma atemporalidade.

Nessa transposição para o teatro, “Hoje é Dia de Maria” terá uma tripla direção com Dan Rosseto, Ligia Paula Machado e Kléber Montanheiro, além de Dyoníso Moreno na parte musical. Eles coordenarão uma equipe de 05 atores, 06 bailarinos e 08 músicos.

No repertório musical canções populares e grandes compositores (Caetano Veloso, Catulo da Paixão Cearense, Gonzaguinha, Renato Teixeira, Marisa Monte, Vinicius de Moraes, Herivelto Martins e até Victor e Léo), ajudando a contar essa fábula.

Ficha Técnica:

Texto: Carlos Alberto Soffredini

Adaptação do roteiro original: Francisca Braga

Direção Geral: Dan Rosseto, Ligia Paula Machado

Direção de Arte: Kleber Montanheiro

Direção Musical: Dyonisio Moreno

Elenco: Ligia Paula Machado, Cleto Baccic, Kleber Montanheiro, Luiz Araújo, Camila Brandão e Felipe Machado.

Encantados: Alberto Goya, Guilherme Pivetti, João Canedo, Roger Ciel, Vittor Fernando e Hicaro Nicolai.

Músicos: João Paulo Pardal (guitarra), Murilo Emerenciano (piano), Renan Cacossi (flauta), Guto Brambilla (baixo), Felipe Machado (violão), Jonatan Motta(violino), Mathilde Fillat (violino), Rafael Lourenço (Percussão).

Cenografia e Figurinos: Kleber Montanheiro

Coreografias: Ligia Paula Machado

Designer de Som: André Breda

Designer de Luz: Wagner Pinto

Supervisão Circense: Circo Garcia

Cenotécnico: Gil Verx

Técnicos de palco: Jackson Oliveira e Beto Boing.

Assistentes de produção: Tiago Queiroz, Wallace Toledo e Camila Machado.

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

Realização: MP Produção Cultural

Serviço:

LOCAL: Teatro CETIP, Rua Coropés, 88 – Pinheiros. 627 lugares. (Complexo Ache Cultural). Acesso a deficiente. (Estacionamento no local.)

DATA: 30/09 até 27/11 (Sexta, Sábado às 21h e Domingo 18h)

INFORMAÇÕES: 4152-9370 e www.musicalhojeediademaria.com.br

INGRESSOS: R$ 150,00 (plateia vip), R$120,00 (plateia inferior), e R$ 60,00 (plateia superior), R$50,00 (plateia superior AA).

Vendas: www.ticketsforfun.com.br /(11) 4003 – 5588

DURAÇÃO: 105 min

CLASSIFICAÇÃO: 12 anos

GRATUITO – ONGs E ESCOLAS PÚBLICAS:
ONGs e Escolas Públicas: entrada gratuita (agendar diretamente no e-mail contato@mpproducaocultural.com.br)

Hospedagem Oficial:

Ibis_Styles_logo_2012

Ibis Styles Faria Lima – Tarifa promocional para participantes R$ 149,00 (singles) e R$ 169,00 (double) com café da manhã no final de semana.
Reservas pelo telefone 11-3093-7200
Reservas por e-mail: ha1b6-re@accor.com.br
(mencionar o nome do Musica Hoje é Dia de Maria para conseguir o desconto)
Rua Tavares Cabral, 61 | Pinheiros – São Paulo – SP

Equipe:

Dan Rosseto – Graduado em Comunicação Social, Cinema e Pós-Graduado em Crítica de Arte e diretor da escola Applauzo Produções. Dirigiu esse ano Diga que Você já me Esqueceu de sua autoria e As Loucuras que as Mulheres Fazem de Luciana Guerra Malta. Em 2015, foi responsável pelas direções de O Colecionador de Universos e o Falcão Vingador de Luccas Papp, Lisbela e o Prisioneiro – O Musical de Osman Lins, Tadzio de Zen Salles e Antes de Tudo, seu segundo texto montado. Esteve à frente da direção dos espetáculos Manual para Dias Chuvosos (2014) de sua autoria, Valsa nº 6 (2012) de Nelson Rodrigues, Eles não usam Black Tie (2011) de Gianfrancesco Guarnieri, Quando as Máquinas Param (2008) de Plínio Marcos, Maldito Coração (2008) de Vera Karam, O Colecionador (2007) de Mark Healy, Dois Irmãos (2006) de Fausto Paravidino entre outros. É fundador da Cia. Eventual de Teatro e esteve em países como México e Chile com a peça Marcas de um Crepúsculo (2005), Antes que seja Tarde (2008) e Como Dizemos, Adeus (2009). Como ator, esteve nas montagens de Imperador e Galileu (2008) de Henrik Ibsen, O Beijo no Asfalto (2007) de Nelson Rodrigues, Canãa – A Terra Prometida (2005) de Jarbas Capusso Filho, Mão na Luva (2001) de Oduvaldo Viana Filho, Ponto de Partida (1999) de Gianfrancesco Guarnieri, Madame Blavatsky (1997) de Plínio Marcos entre outros.

Ligia Paula Machado – Atriz, produtora, diretora, coreógrafa, cantora, bailarina clássica e sapateadora. Há 09 anos trabalha produzindo espetáculos em São Paulo com sua empresa, a MP – Produção Cultural. Há 15 anos está na carreira artística, durante este tempo atuou em 12 espetáculos, dentre eles 08 foram suas produções, destaque para “O Primo Basilio – O Musical” por 04 anos em cartaz, “Lisbela e o Prisioneiro – O Musical” em 2015 e “Blink” esse ano. Na MP – Produção Cultural além de dirigir a empresa, Ligia ainda realiza a elaboração dos projetos nas leis de incentivo a cultura e a captação dos recursos. Durante estes 09 anos de produção garantiu grandes patrocinadores para seus projetos, como: Banco Bradesco, Lojas Riachuelo, Aché Farmacêutica, Tokio Marine Seguradora e SCANIA do Brasil. Também formada em Fonoaudiologia e especialista em voz profissional concilia sua vida artística com o consultório e o trabalho de fono empresarial.

Kleber Montanheiro – Ator, diretor, cenógrafo, figurinista e iluminador. Destaca-se na criação de cenário, figurino e luz do espetáculo Misery, com Marisa Orth e Luis Gustavo; Cada um com seus ‘pobrema’, de Marcelo Médici; cenário e iluminação de Madame de Sade, direção de Roberto Lage, Macbeth, dir. de Regina Galdino, entre muitos outros. Foi integrante do projeto de humanização hospitalar Doutores da Alegria, de 1993 a 2003. Recebeu indicações ao prêmio FEMSA por Chapeuzinho Vermelho (figurinos-2001); O Rouxinol (iluminação e figurinos-2002); Marias do Brasil (figurinos-2003); Amazônica (cenário e iluminação-2005); O Doente Imaginário (cenário-2007) e Sonho de uma Noite de Verão (figurinos e direção-2008). Ganhou o prêmio APCA 2008 por Sonho de Uma Noite de Verão e o prêmio FEMSA 2009 por A Odisséia de Arlequino, ambos de melhor diretor. Foi indicado ao prêmio CPT 2012 pela direção de Cabeça de Papelão e vencedor dos prêmios APCA e FEMSA 2012 pelos cenários e figurinos de A História do Incrível Peixe Orelha. Dirigiu em 2013 no Teatro Popular do SESI: Crônicas de Cavaleiros e Dragões, de Paulo Rogério Lopes, recebendo o prêmio FEMSA 2013 de melhor iluminação. Suas últimas direções no teatro em 2014/2015 foram: Ópera do Malandro, de Chico Buarque de Hollanda; Navio Fantasma – O Holandês Voador e O Cigano e o Gigante, ambos de Paulo Rogério Lopes; Sobre Cartas & Desejos Infinitos, de Ana Luiza Garcia e Os Dois Cavalheiros de Verona, de William Shakespeare, para a Cia. da Matilde. Esse ano dirigiu Blink, de Phill Poter e o musical Um Dez Cem Mil Inimigos do Povo. Dirige artisticamente a Cia da Revista.

Cleto Baccic – Vencedor do Prêmio APCA 2014 na “categoria melhor ator” por sua interpretação de Cervantes/Don Quixote, Cleto Baccic já esteve à frente de importantes produções da Broadway realizadas no Brasil como “CATS” (Rum Tum Tugger), “Mamma Mia!” (Harry Bright), ambas produzidas pela T4F, e “A Madrinha Embriagada” (Aldolpho), produzida pelo Atelier de Cultura com direção de Miguel Falabella. Seu primeiro trabalho em teatro musical foi na montagem de “Tieta do Agreste” sob direção de Christina Trevisan e Pedro Paulo Bogossian. Em teledramaturgia foi dirigido por Flávia Moraes na primeira temporada do seriado “Tô Frito” exibido na Band e MTV. Na Casa de Artes Operária foi aluno de Ana Taglianetti, Kátia Barros e Saulo Vasconcelos, onde participou das montagens acadêmicas de “Sweeney Todd” (Juiz Turpin) e South American Way (David Sebastian).

Luiz Araújo – Formado pela Escola de Artes Dramáticas da USP, já atuou em mais de 16 peças de teatro com destaque para Lisbela e o Prisioneiro – O Musical com direção de Dan Rosseto e Ligia Paula Machado, Hecuba de Eurípedes, dirigido por Gabriel Villela, Zorro, o Musical com direção de Roberto Lage, Tieta do Agreste, o Musical de Jorge Amado, com direção de Christina Trevisan, Tom e Vinícius, o Musical de Daniela Pereira de Carvalho, dirigido por Daniel Herz e Garota Glamour com texto e direção de Wolf Maya, Mania de Explicação de Adriana Falcão, dirigido por Gabriel Vilela. Foi indicado ao PREMIO QUALIDADE BRASIL na categoria Melhor Ator de Musicais, por Tieta do Agreste, o Musical. Na TV atuou na minissérie Dalva & Herivelto de Maria Adelaide Amaral. No cinema participou dos filmes Jovens Tardes, Cama de Gato, Coda, Não Vai ser Fácil e Desatino

Teatro Cetip (Instituto Tomie Otake)

O Instituto Tomie Ohtake, inaugurado em novembro de 2001, destaca-se por ser um dos raros espaços da cidade especialmente projetado, arquitetônica e conceitualmente, para realizar mostras nacionais e internacionais de artes plásticas, arquitetura e design.

Como homenageia a artista que lhe dá o nome, o Instituto desenvolve exposições que focalizam os últimos 60 anos do cenário artístico, ou movimentos anteriores que levam a entender melhor o período em que Tomie vem atuando, organizando mostras inéditas no Brasil como Louise Bourgeois, Josef Albers, Yayoi Kusama, Salvador Dalí, Joan Miró, entre outras.

*Para assuntos relacionados ao Teatro Aliança Francesa:

Telefone: (11) 2245-1900
Site: http://www.institutotomieohtake.org.br/

, , , , ,

Teatro Gamaro

Gamaro Teatro

Localizado na Mooca, surge um novo espaço cultural, totalmente equipado e projetado para ser um Teatro e para receber todos os tipos de espetáculos, de musicais a prosa.

Com 756 lugares, distribuídos em plateia e 2 mezaninos e, com aproximadamente 2.000m2 de área, o projeto assinado pelos arquitetos Vicente Giffoni e Deise M. Araújo, aproveita a histórica construção da antiga fábrica da Alpargatas.

O principal conceito do projeto está na valorização da região, pois além de espaço para lazer com uma programação variada e freqüente, aqueles que trafegam pela Radial Leste têm uma nova imagem no local, ampla e iluminada.

A aleia de acesso é coberta por uma estrutura metálica com telhas em policarbonato incolor e iluminada com colunas de luz, que define um eixo de ligação da rua à arena de eventos e esportes.

Este eixo é enfatizado com a presença de colunas estruturas dos edifícios e garante ao passeio interno a proporção de uma via urbana. Uma rua de palmeiras e um jardim totalmente iluminado proporcionam uma agradável área externa que levam a bilheteria.

O Teatro tem no seu foyer um pé-direito de 14,50 metros, precedido por uma ampla bay-window em estrutura metálica e vidro e uma escada em mármore branco iluminada, que dá acesso à plateia no térreo e mezanino. Neste ambiente, há acesso ao café, bem como sanitários e elevador para portadores de necessidades especiais.

O acesso aos camarins e cenários é feito através da rua Dr. Almeida Lima, pelo corredor de lateral. São quatro camarins divididos em 140m², sendo um camarim principal, um camarim de apoio e dois camarins gerais.

Serviços:

Bilheteria e Informações:
Atendimento: de quarta a domingo das 14h às 19h. Em dias de espetáculo funciona até o início do mesmo.

Telefone: (11) 2081-5924
Rua Dr. Almeida Lima, 1.176 – Mooca.
São Paulo/SP
CEP: 03164-000

Administração:
Atendimento: de 2ª a 6º das 10h às 18h
Telefone: (11) 2081-5924
E-mail: contato.teatro@gamaro.com.br
Comercial: comercial.teatro@gamaro.com.br
Site

Venha fazer parte deste Projeto

Venha fazer parte deste projeto.

,

O PALHAÇO E A BAILARINA

O espetáculo infantil O PALHAÇO E A BAILARINA é uma linda e comovente história de amor vivida e sonhada com muito ardor e felicidade por um casal de artistas, um palhaço e uma bailarina. Ambos vivem e trabalham juntos em um circo, onde tem como administrador um carrasco e fracassado. Este por sua vez não permite os encontros entre artistas em seu circo, mas o palhaço que se faz esperto, sempre da um jeito de ver sua amada.

O PALHAÇO E A BAILARINA

Por conta da severidade e por ser tão maldoso, o dono do circo nunca tratou seus artistas bem, deixando sempre todos muito tristes e muitas vezes sem seu mísero pagamento semanal.

Tudo muda de figura quando um dia Tombo, o torpe patrão , perde muito de seu dinheiro e parte de seu circo no jogo de cartas e por conta deste vício acaba indo a falência. Tombo demite assim todos os artistas de sua trupe menos a graciosa bailarina Anabel, que por sua vez é acorrentada à uma enorme ‘caixinha’ de música e obrigada a ficar ao seu lado apresentando-se para pequenos públicos no intuito de arrecadar-lhe algum dinheiro.

O Palhaço apaixonado é arrancado de sua princesa bailarina e vive solitário pensando o que poderia estar acontecendo com sua linda dama, e porque ela não voltara ainda para encontrá-lo. Eis então que tomado por sua coragem e amor parte decido a encontrar sua companheira. Essa aventura é cheia de surpresas e desafios que somente quem ama de verdade sente-se disposto a enfrentar, mesmo sabendo que terá de vencer seu próprio medo ele vai destemido ao encontro dos perigosos e obstáculos que os aguardam.

FICHA TÉCNICA

Concepção original e Texto: Lázaro Menezes
Letras: Kiara Sasso
Música: Adrian Steinway
Tema e canções adicionais: Kiara Sasso e Lázaro Menezes
Arranjos: Guilherme Terra
Músicas incidentais: Guilherme Terra
Direção: Lázaro Menezes e Kiara Sasso
Direção Musical: Guilherme Terra
Coreografia: Anelita Gallo
Elenco: Kiara Sasso, Lázaro Menezes e Marcelo Goes

Músicos:
Assistente de direção musical / Teclado: Rodolfo Schwenger
Trompete: Bruno Soares
Violão / Baixo: Jef de Lima
Violino: Karina Petry
Bateria / Percussão: Leandro Lui
Reed (Flauta / Clarinete / Sax Alto): Zafe Costa

Cenografia: Lázaro Menezes
Cenotécnica: Betão Serralheria, Fabiano Menezes, Maycon Marcondes, Carlos Tibúrcio, Alex T. Santiago, Roberto Vidal, Esequiel Tibúrcio Jr. e Mara César
Diretor de palco: Fabiano Menezes
Maquinistas: Alex T. Santiago e Mazinho Santana
Equipe de Rapel e segurança aérea: Carlos Tibúrcio e Fabiano Menezes

Figurino: Ligia Rocha e Kiara Sasso
Peruca: Simone Momo
Visagismo: Kiara Sasso
Alfaiate: Domingos De Lello
Modelistas: Angela May e Juliana Queiroz
Costureira: Carmelita Guimarães
Peruqueira / Camareira: Adriana Gomes

Designer de Luz: Drika Matheus
Designer de Luz Associado: Rogério Cândido
Operador de Luz: Drika Matheus e Rogério Cândido
Canhoneiros: Douglas Amorim, Fábio Govith e François Moretti

Designer de Som: Gabriel D’Angelo
Designer de Som Associados: Bruno Pinho, Gabriel Bocutti, Alexandre Martins “Japa”
SFX: Luciano Monson
Operador de som: Alexandre Martins “Japa”
Microfonista: Paulo Altafim
Professor de Acordeon: Jovenil Santos

Designer Gráfico: Vicka Suarez
Fotografia: Caio Gallucci
Assessoria de Imprensa: Morente Forte Comunicações
Vídeos para redes sociais: Desteatrando
Estratégia Digital: Gigi Prade e Renata Stavalle “Super Amigos Digital”

Direção de produção: Kiara Sasso e Lázaro Menezes
Gerente de Produção: Egberto Simões
Produtor Administrativo: Gustavo Fló
Assistentes de Produção: Rodrigo Burgese e Bruna Vacariano

SERVIÇO

O PALHAÇO E A BAILARINA

Teatro Porto Seguro (508 lugares)

Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elísios

Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto na compra de 1 ingresso + acompanhante. Formas de pagamento: Todos os cartões de crédito e débito. Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos. Estacionamento no local: Estapar R$ 20. Serviço de Vans: TRANSPORTE GRATUITO ESTAÇÃO LUZ – TEATRO PORTO SEGURO – ESTAÇÃO LUZ. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. COMO PEGAR: Na Estação Luz, na saída Praça da Luz/Rua José Paulino, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro.

Vendas: www.ingressorapido.com.br e 4003.1212

Site: http://www.teatroportoseguro.com.br/

Facebook: facebook.com/teatroporto – Instagram: @teatroporto

Sábados e Domingos às 15h

Ingressos:

R$ 50 (Plateia) | R$ 30 (Balcão/Frisas)

Duração: 65 minutos
Classificação: livre
Gênero: musical infantil
Estreou dia 27 de Fevereiro de 2016
Temporada: até 15 de Maio (temporada prorrogada até 29 maio)

Kiara Sasso.

Atriz, cantora, bailarina e produtora. Protagonizar os maiores musicais que foram montados no Brasil como A Bela e a Fera, O Fantasma da Ópera, A Noviça Rebelde e Mamma Mia entre outros.

, ,

Prince Rogers Nelson | R.I.P.

Foi um músico multi-instrumentista e dançarino norte-americano, considerado por muitos um dos maiores ícones pop de todos os tempos, assim como um dos mais talentosos e conhecidos mundialmente, após de ter vendido mais de 100 milhões de álbuns e 60 milhões de singles. Os singles e álbuns de Prince, especialmente os lançados nos anos 1980, estão quase sempre entre as cinco primeiras posições de todas as listas de melhores canções ou discos de todos os tempos, com destaque para o álbum Purple Rain, lançado em 1984. Sua música mistura diversos gêneros musicais como funk, R&B, soul, new wave, jazz, rock, pop e hip hop. Foi considerado o 33.º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.

Prince tinha a habilidade de juntar elementos de todos estes estilos musicais fazendo uso de sintetizadores e bateria eletrônica desde o início da sua carreira no fim dos anos 1970, tornando conhecido o som de Minneapolis, influenciando todos os novos artistas até hoje.

Prince tinha a reputação de ser um workaholic, seja a trabalhar nas suas canções ou a produzir outros artistas até o ponto de deixar muito material inédito na gaveta. Considerado um perfeccionista, tinha a imagem de uma pessoa difícil de se trabalhar e por ser altamente protector de sua música. Escreve, compõe e produz todas as suas canções. Também toca todos os instrumentos nos seus álbuns. Muitos críticos elogiavam seu trabalho pela sua versatilidade compor, tocar, cantar e dançar, fazendo da sua performance em palco algo extraordinário.

Prince faleceu, em casa, a 21 de abril de 2016, uma semana após ser hospitalizado com sintomas de gripe.

Filme: Purple Rain
Data de lançamento: 1984
Prêmio: People’s Choice Award: Nova Canção Favorita

Prince – Purple Rain (Super Bowl 41 Halftime Show)

Prince – Super Bowl XLI Halftime Show (Full Show)

Prince Rogers Nelson’s entire 1999 CNN interview

, ,

Elvis Presley

Elvis Aaron Presley (East Tupelo, 8 de janeiro de 1935 — Memphis, 16 de agosto de 1977) foi um famoso músico e ator norte-americano, mundialmente denominado como o Rei do Rock. É também conhecido como Elvis The Pelvis, apelido pelo qual ficou conhecido na década de 1950 por sua maneira extravagante e ousada de dançar. Elvis também foi um dos pioneiros e principal idealizador do movimento conhecido como rock and roll. Uma de suas maiores virtudes era a sua voz, devido ao seu alcance vocal, que atingia, segundo especialistas, notas musicais de difícil alcance para um cantor popular. A crítica especializada reconhece seu expressivo ganho, em extensão, com a maturidade; além de virtuoso senso rítmico, força interpretativa e um timbre de voz que o destacava entre os cantores populares, sendo avaliado como um dos maiores e por outros como o melhor cantor popular do século XX.

Começou sua carreira em 1954 na lendária gravadora Sun Records e era acompanhado pelo guitarrista Scotty Moore, pelo baixista Bill Black e pelo baterista D.J. Fontana, Presley foi um dos criadores do rockabilly, uma fusão de música country e R&B.

Elvis tornou-se um dos maiores ícones da cultura popular mundial do século XX. Entre seus sucessos musicais podemos destacar “Hound Dog”, “Don’t Be Cruel”, “Love me Tender”, “All Shook up”, “Teddy Bear”, “Jailhouse Rock”, “It’s Now Or Never”, “Can´t Help Falling In Love”, “Surrender”, “Crying In The Chapel”, “Mystery Train”, “In The Ghetto”, “Suspicious Minds”, “Don’t Cry Daddy”, “The Wonder Of You”, “An American Trilogy”, “Burning Love”, “My Way”, “My Boy” e “Moody Blue”. Na Europa, canções como “Wooden Heart”, “You Don’t Have To Say You Love Me”, “My Boy” e “Moody Blue” fizeram sucesso. Particulamente no Brasil, foram bem-sucedidas as canções “Kiss Me Quick”, “Bossa Nova Baby”, “It’s Now or Never” e “Bridge Over Troubled Water”.

Após sua morte, novos sucessos advieram, como “Way Down” (logo após seu falecimento), “Always On My Mind”, “Guitar Man”, “A Little Less Conversation” e “Rubberneckin”. Trinta e oito anos após sua morte, Presley ainda é o artista solo de maior sucesso comercial e com maior número de “hits” nas paradas mundiais, sendo ainda o artista solo recordista em vendas de discos, com mais de 1 bilhão de álbuns vendidos em todo o mundo.

Elvis – Ao Longo Dos Anos

Elvis Presley in concert – june 19, 1977

Elvis Presley – Comeback Special – Black Leather Stand-Up Show 1#

Elvis Presley – Comeback Special – Black Leather Sit-down Show 2#

Elvis Presley – The Platinum Collection

Elvis Presley – O início de uma lenda

,

B. B. King

Riley Ben King nasceu numa fazenda de algodão em 16 de setembro de 1925 em Itta Bena, perto de Indianola, no Mississippi, Estados Unidos.

Teve uma infância difícil – aos 9 anos, vivia sozinho e colhia algodão para se sustentar.

Começou por tocar, a troco de algumas moedas, na esquina da Second Street. Chegou mesmo a tocar em quatro cidades diferentes aos sábados à noite.

No ano de 1947, partia para Memphis, no Tennessee, apenas com sua guitarra e $2,50 dólares. Como pretendia seguir a carreira musical, a cidade de Memphis, onde se cruzavam todos os músicos importantes do sul dos Estados Unidos, sustentava uma vasta competitiva comunidade musical em que todos os estilos musicais negros eram ouvidos.

Nomes como Django Reinhardt, Blind Lemon Jefferson, Lonnie Johnson, Charlie Christian e T-Bone Walker tornaram-se ídolos de B. B. King.

“Num sábado à noite ouvi uma guitarra elétrica que não estava a tocar espirituais negros. Era T-Bone interpretando “Stormy Monday” e foi o som mais belo que alguma vez ouvi na minha vida.” recorda B. B. King, “Foi o que realmente me levou a querer tocar Blues”.

A primeira grande oportunidade da sua carreira surgiu em 1948, quando atuou no programa de rádio de Sonny Boy Williamson, na estação KWEM, de Memphis. Sucederam-se atuações fixas no “Grill” da Sixteenth Avenue e mais tarde um anúncio publicitário de 10 minutos na estação radiofónica WDIA, com uma equipe e direção exclusivamente negra. “King’s Sport”, patrocinado por um tônico, tornou-se então tão popular que aumentou o tempo de transmissão e se transformou no “Sepia Swing Club”.

King precisou de um nome artístico para a rádio. Ele foi apelidado de “Beale Blues Boy”, como referência à música “Beale Street Blues”, foi abreviado para “Blues Boy King” e eventualmente para B. B. King. Por mera coincidência, o nome de KING já incluía a simples inicial “B”, que não correspondia a qualquer abreviatura.

Pouco depois do seu êxito “Three O’Clock Blues”, em 1951, B. B. King começou a fazer turnês nacionais sem parar, atingindo uma média de 275 concertos/ano. Só em 1956 B. B. King e a sua banda fizeram 342 concertos! Dos pequenos cafés, teatros de “gueto”, salões de dança, clubes de jazz e de rock, grandes hotéis e recintos para concertos sinfônicos aos mais prestigiados recintos nacionais e internacionais, B. B. King depressa se tornou o mais conceituado músico de Blues dos últimos 40 anos, desenvolvendo um dos mais prontamente identificáveis estilos musicais de guitarra, a nível mundial.

O seu estilo foi inspirador para muitos guitarristas de rock. Mike Bloomfield, Albert Collins, Buddy Guy, Freddie King, Jimi Hendrix, Otis Rush, Johnny Winter, Albert King, Eric Clapton, George Harrison e Jeff Beck foram apenas alguns dos que seguiram a sua técnica como modelo.

Em 1969, B. B. King foi escolhido para a abertura de 18 concertos dos Rolling Stones. Em 1970 fez uma turnê por Uganda, Nigéria e Libéria, com o patrocínio governamental dos E.U.A.

Começou a participar da maioria dos festivais de Jazz por todo o mundo, incluindo o Newport Jazz Festival e o Kool Jazz Festival New York, e sua presença tornou-se regular no circuito por universidades e colégios.

Em 1989 fez uma turnê de três meses pela Austrália, Nova Zelândia, Japão, França, Alemanha Ocidental, Países Baixos e Irlanda, como convidado especial dos U2, participando igualmente no álbum Rattle and Hum, deste grupo, com o tema “When Love Comes to Town”.

Em 26 de julho de 1996, aproveitando ter um concerto agendado para Stuttgart, deslocou-se de propósito de avião até à base aérea de Tuzla, para atuar perante tropas da Suécia, Rússia, Bélgica e E.U.A., estacionadas na Bósnia num esforço conjunto de manutenção da paz. No dia seguinte, voou para a base aérea de Kapsjak, para nova atuação junto de tropas norte-americanas. B. B. King confessa: “Foi emocionante atuar para estes homens e mulheres. Apreciamo-los e queremos que eles saibam que têm o nosso total apoio na sua árdua tarefa de manutenção da paz.”

B. B. King terminou 1996 com uma turnê pela América Latina, com concertos no México, Brasil, Chile, Argentina, Uruguai e, pela primeira vez, no Peru e Paraguai. O “Rei dos Blues” totalizou mais de 90 países onde atuou.

Ao longo dos anos foi agraciado com diversos Grammy Awards: melhor desempenho vocal masculino de Rhythm & Blues, em 1970, com “The Thrill is Gone”, melhor gravação étnica ou tradicional, em 1981, com “There Must Be a Better World Somewhere”, melhor gravação de Blues tradicionais, em 1983, com “Blues’N Jazz” e em 1985 com “My Guitar Sings the Blues”. Em 1970, Indianopola Missisipi Seeds concede-lhe o “Grammy” de melhor capa de álbum. A Gibson Guitar Co. nomeou-o “Embaixador das guitarras Gibson no Mundo”.

Morte

B.B. King morreu às 21h40m de quinta-feira (1h40m de sexta-feira no horário de Brasília) de 2015, enquanto dormia, aos 89 anos.

No início de abril, B.B. King foi internado no hospital depois de sofrer de desidratação causada pelo diabetes tipo 2, doença com a qual convivia há mais de 20 anos.

Ele estava com uma turnê marcada para 2015, mas teve que desmarcar os shows por causa da doença. Durante uma apresentação em Chicago em outubro, o músico passou mal no palco devido a desidratação e esgotamento. Ainda faltavam oito apresentações para terminar a temporada.

Curiosidades

Uma das imagens de marca de King é chamar as suas guitarras o nome de “Lucille” – uma tradição que vem desde a década de 1950. No inverno de 1949, King se apresentou num salão de dança em Twist, no Arkansas. Com o intuito de aquecer o salão, acendeu-se um barril meio cheio de querosene no centro do salão, prática muito comum na época. Durante a apresentação, dois homens começaram a brigar e entornaram o barril que imediatamente espalhou chamas por todo o lado. Durante a evacuação, já fora do estabelecimento, King apercebeu-se de que tinha deixado a sua guitarra de 30 dólares no edifício em chamas. Voltou a entrar no incêndio para reaver a sua Gibson acústica, escapando por um triz. Duas pessoas morreram no fogo. No dia seguinte, soube que os dois homens tinham começado a briga devido a uma mulher chamada Lucille. A partir dessa altura, passou a designar as suas guitarras por esse nome, para “se lembrar de nunca mais fazer uma coisa daquelas.”
Quando foi perguntado a John Lennon sobre sua maior ambição, ele disse que era tocar guitarra como B.B. King.
BB King era considerado o melhor guitarrista do mundo por Jimi Hendrix.

A Guitarra

Passou a utilizar uma Gibson ES-335, modelo que foi substituído pela B. B. King Lucille, um modelo baseado na ES-345.
Uma das características de King é chamar as suas guitarras pelo nome de “Lucille” uma tradição que vem desde a década de 1950.
No dia 19 de dezembro de 1997, apresentou Lucille ao Papa João Paulo II em um concerto no Vaticano.
No dia 5 de novembro de 2000, doou uma cópia autografada de Lucille para o Museu de Música Nacional, Estados Unidos.

Honras e Prêmios

Em 15 de dezembro de 2006 o Presidente americano George W Bush premiou King com a Medalha Presidencial da Liberdade.
Em 2004, ele foi premiado como Ph.D honorário da Universidade de Mississippi e o Conservatório Sueco Real lhe premiou com o Prêmio de Música Popular, por suas contribuições significantes para o blues.
King foi agraciado com a Medalha Nacional de Artes, em 1990, nos Estados Unidos.
Ganhador de diversos Grammys de 1971 a 2006.

Álbuns

King of the Blues (1960)
My Kind of Blues (1960)
Live at the Regal (Live, 1965)
Lucille (B.B. King álbum)|Lucille (1968)
Live and Well (1969)
Completely Well (1969)
Indianola Mississippi Seeds (1970)
B.B. King in London (1971)
Live in Cook County Jail (1971)
Live in Africa (1974)
Lucille Talks Back (1975)
Midnight Believer (1978)
Live “Now Appearing” at Ole Miss (1980)
There Must Be a Better World Somewhere (1981)
Love Me Tender (B.B. King álbum)|Love Me Tender (1982)
Why I Sing the Blues (1983)
B.B. King and Sons Live (B.B. King álbum)|B.B. King and Sons Live (Live, 1990)
Live at San Quentin (1991)
Live at the Apollo (B.B. King álbum)|Live at the Apollo (Live, 1991)
There is Always One More Time (1991)
Deuces Wild (álbum)|Deuces Wild (1997)
Riding with the King (B.B. King and Eric Clapton álbum)|Riding with the King (2000)
Reflections (B.B. King álbum)|Reflections (2003)
The Ultimate Collection (B.B. King álbum)|The Ultimate Collection (2005)
80 (album)|B.B. King & Friends: 80 (2005)
One Kind Favor (2008)

B B King Live At The Royal Albert Hall 2011

B.B.King & Eric Clapton – Rock me Baby (1993)

B.B. King – Live in Dallas (1983)

,

Darth Vader | Star Wars

História

Anakin Skywalker

Anakin Skywalker era um garoto prodígio, quando criança ganhou uma corrida de pods, e foi levado, para ser treinado, por Qui-Gon Jinn, depois da morte dele, Anakin foi treinado por Obi-Wan Kenobi. Mais tarde, quebrou uma regra dos Jedi, se casando com Padmé Amidala. Anakin tendo sonhos terríveis em que previa que sua esposa morreria durante o parto de seus filhos, na esperança de salvá-la, junta-se ao lado negro da força após matar o Mestre Jedi Mace Windu, já que este tinha por missão matar o Chanceler Palpatine, tornando-se aprendiz do malévolo Darth Sidious. Ao ser seduzido pelo Lado Sombrio da Força, Anakin (agora conhecido como Darth Vader) esquece completamente o objetivo de salvar sua esposa e passa a se preocupar apenas consigo mesmo.

Nos primeiros atos como aprendiz Sith, Vader inicia a perseguição aos Jedi e acaba com os líderes Separatistas (exceto Wat Tambor entre outros), escondidos no planeta vulcânico Mustafar. Lá, Padmé visita-o e tenta fazê-lo mudar de ideia. Zangado ao descobrir que o seu antigo mestre Obi-Wan Kenobi estava na nave de Padmé, por ciúme, ele usa a Força para enforca-la, mas não a mata. Ele e Obi-Wan Kenobi travam um duelo épico e Obi-Wan, com um golpe preciso, corta-lhe fora o braço esquerdo e ambas as pernas. Anakin, impossibilitado de se mover, é deixado por Obi-Wan, e escorrega da íngreme montanha que o mantinha fora dos rios de lava derretida ao seu redor e seu corpo é consumido pelas chamas. Palpatine chega imediatamente e leva Vader para uma unidade médica, onde o seu corpo é misturado com um suporte de vida robótico, numa armadura negra. Assim que se recupera, Vader pergunta a Palpatine sobre Padmé e seu mestre mente novamente, dizendo que ele a matara em sua raiva. Furioso, Vader destrói o centro médico. A partir de então ele seria o responsável pela ordem de toda a galáxia.

Episódio IV – Uma Nova Esperança

O Império conseguiu conquistar grande parte da Galáxia. Mas uma força surgiu, que se opôs aos atos das forças imperiais: a Aliança Rebelde. Darth Vader então parte no encalço da suposta líder rebelde, a Princesa Leia Organa, que teria em sua posse planos secretos da Estrela da Morte. Vader apanha a nave de Leia, mas não encontra os planos (deixados por Leia num droide, R2-D2, que fugiu numa cápsula de emergência). Vader captura e leva Leia para a Estrela da Morte, uma gigantesca estação espacial de batalha do Império. Lá tentam, com todo tipo de tortura, descobrir a localização da base secreta dos rebeldes. Então o encarregado da Estrela, Grand Moff Tarkin (Governador Tarkin), lança uma nova estratégia: Ameaça destruir o planeta de Leia, Alderaan, se ela não colaborar. Leia então responde (mentindo) que a base estaria numas das luas de Naboo. Ainda assim, Tarkin ordena a destruição de Alderaan. Pouco depois, uma nave estranha é capturada pelo “raio trator” da Estrela da Morte. Na nave vinha uma missão de levar o droide R2-D2 a Alderaan, com Obi-Wan Kenobi, Luke Skywalker e Han Solo.

Enquanto Luke, Han e Chewbacca vão resgatar Leia da área de confinamento, Ben Kenobi desativa o raio trator. Após fazê-lo, encontra Darth Vader, e os dois têm um segundo duelo. Obi-Wan deixa-se matar pois sabe que morto será de mais valia para Luke. Após sua fuga, o grupo segue para a quarta lua do sistema Yavin. Mas não esperavam que estavam sendo rastreados. Algumas horas depois, os rebeldes percebem que a Estrela da Morte estava à frente do planeta Yavin, mas para sorte das tropas rebeldes ela não estava com o planeta na mira (ainda), Tarkin ordena a destruição do planeta. Assim a Estrela da Morte começa a rodear o planeta em busca de sua presa. Os rebeldes mandam um grupo de assalto para destruir a Estrela da Morte, junto a esse grupo está o jovem Luke Skywalker. Enquanto a batalha continua a Estrela da Morte está em um alcance da base rebelde em exatos 15 minutos. É nessa hora em que Darth Vader chama dois pilotos para destruir os esquadrões de caças Asa-X (X-Wing). No mesmo tempo, três desses caças estão em um tipo de corredor que dá acesso ao gerador principal por meio de uma pequena bifurcação (faltando apenas 3 minutos) que liga o gerador à superfície eles tentam acertar um tiro de íons nessa bifurcação, mas não conseguem. Assim a sorte está lançada nas mãos de Luke, que após a morte de um dos seus amigos começa a ouvira a voz de Obi-wan.

Obi-Wan aconselha Luke a desligar seu computador de bordo e se concentrar na Força. Mas, desafortunadamente, Vader está em seu encalço, e acerta R2-D2 com um tiro na traseira do Caça (X-Wing) de Luke. Luke continua se concentrando até que atinge a força e ao mesmo tempo alcança o reator. Vader percebe que a força é muito poderosa naquele Asa-X (X-Wing), então decide destruí-lo, mas na hora em que vai atirar, ele acaba sendo surpreendido por Han Solo, que destrói um dos caças de Vader e faz com que o outro colida com o caça de Darth Vader, que acaba rodopiando por um tempo (afastando-se da estação). Então, Han diz para Luke: “Você tá livre, garoto. Agora arrebenta essa porcaria e vá pra casa!”. Luke atira torpedo de prótons e acerta o alvo, bem a tempo de salvar a base rebelde que ja estava na mira da Estrela da Morte, que estava a ponto de disparar. Assim, Luke destrói completamente a Estrela da Morte.

Episódio V – O Império Contra-Ataca

A Aliança é obrigada a mudar de base e escolhe uma nova no gélido planeta Hoth. Mas o Império encontra-os, e eles são obrigados a fugir novamente. As naves imperiais começam a perseguir a nave da Princesa Leia, mas perdem-nos numa cintura de asteroides. Mais tarde, Darth Vader captura Leia no planeta Bespin, onde pediriam ajuda ao amigo de Han Solo, Lando Calrissian. Darth, como gratidão por ter ajudado na captura, deixa o caçador de recompensas Boba Fett levar Han Solo, congelado em carbonite. Vader sabia que Luke viria ao resgate dos amigos e quando ele vem, começam um duelo. Então Vader corta a mão de Luke durante a luta, tentando levá-lo para o Lado Sombrio. Mesmo com o grave ferimento, Luke consegue se afastar e então diz a Vader que Obi-Wan Kenobi lhe dissera que o ele era o assassino de seu pai. Vader então faz uma das revelações mais chocantes do cinema: “Não, Luke… Eu sou seu pai!” Mesmo ferido e chocado, Luke escapa, saltando para um fosso. Luke encontra Leia no hospital, e um médico implanta uma mão robótica no jovem Jedi, que parte para salvar Han.

Episódio VI – O Retorno de Jedi

O Império está construindo uma nova Estrela da Morte, protegida com um campo de força gerado na lua florestal do planeta Endor. O próprio Imperador Palpatine decide visitar pessoalmente a estação ainda não concluída e é recebido por Darth Vader. Este, mais tarde, recebe Luke, que se rende querendo provar que Vader ainda possui bondade. Na Estrela, Palpatine começa a tentar Luke para o Lado Sombrio da Força e tendo como ponto a destruição dos Rebeldes, sendo mostrada na janela. Quando Luke vai atacar o Imperador com o seu sabre de luz, Vader, usando uma velocidade espantosa, bloqueia a investida de Luke e começam um último duelo no qual Vader (enquanto Luke estava escondido) utiliza-se da telepatia para descobrir sobre a irmã gêmea de Luke e diz que se ele não se unir ao Lado Sombrio, Leia iria unir-se.

Luke surge, e corta a mão do pai. O Imperador tenta-o pela última vez e Luke nega dizendo “Não, eu sou um Jedi assim como meu pai foi antes de mim”, assim resistindo ao Lado Sombrio. Palpatine, furioso, responde mandando raios contra Luke. Então, quando o Imperador mataria Luke com uma rajada final, Darth Vader, com o seu braço restante, agarra Palpatine e lança-o no poço do reator principal da Estrela da Morte, destruindo definitivamente o diabólico Senhor dos Sith, assim concluindo a profecia na qual os Sith são exterminados, e ele torna-se novamente Anakin Skywalker. Ele, então, pede para Luke tirar a máscara, para vê-lo com os próprios olhos uma última vez. Suas últimas palavras são: “Diga à sua irmã que você estava certo” (sobre a sua bondade). Em Endor, Luke queima o corpo do pai num funeral Jedi e vê que ele se tornou um espírito do Lado Iluminado da Força ao aparecer juntamente com Obi-Wan Kenobi e Yoda.

Episódio VII – O Despertar da Força

No segundo teaser trailer do filme, podemos ver a máscara de Darth Vader queimada e retorcida. Algumas informações dizem que Vader aparecerá em flashbacks, ou será ressuscitado.